Solte a língua!


Você quer falar direitinho qualquer palavra em língua estrangeira? Pois tem um site que ensina, o Forvo.
O Forvo é o maior guia de pronúncias do mundo. Já teve curiosidade de saber como se pronuncia uma palavra? Peça por essa palavra ou nome, e outro usuário irá pronunciá-la para você. Você também pode ajudar outros usuários gravando pronúncias de seu próprio idioma.

Blade Runner

Blade Ruuner by Cronus 07

Eu considero Blade Runner o melhor filme de ficção científica feito até hoje. É um filme de 1982 que não perdeu a atualidade. Se você ainda não o assistiu, ao vê-lo não vai encontrar muita coisa de original nele, mas Blade Runner foi o precursor de muito que se vê por aí em matéria de ficção científica. Foi a primeira ficção científica noir a ser filmada.
O filme se passa em 2019, na cidade de Los Angeles. Nesta época a terra está praticamente destruída, sobrando por aqui apenas gentalha, pois a maioria dos seres humanos, com saúde física perfeita, foi embora do planeta e vive em colônias espaciais.

Blade Runner by Filipe Hattori
Tyrell Co.

A Tyrell Corporation é uma empresa que cria andróides, chamados de Replicantes, e criou o Nexus 6, virtualmente idêntico a um ser humano, porem com mais força e agilidade, e pelo menos idêntico em inteligência aos seus projetistas genéticos.
Os Replicantes eram usados em trabalhos escravos, em explorações perigosas e colonização de outros planetas.

Rachael by Kizz Shizzle
Depois de um motim sangrento comandado por um Nexus 6, Replicantes foram considerados ilegais no planeta Terra, sob a pena de morte. Destacamentos especiais da polícia – Unidades Blade Runner – tinham ordens para disparar e matar qualquer Replicante que infringisse a lei. Isto não era chamado de execução, mas sim de aposentadoria.

Zhora

Depois desta breve explanação, começa o filme. Cinco Replicantes deram entrada ilegalmente na Terra, sendo que uma delas morreu ao entrar, mas os demais conseguiram e se encontram entre os humanos.
Deckard e Rachael

Qual a razão de eles virem para a Terra mesmo sabendo que serão caçados?
Bem, não vou contar mais para deixar um suspense para quem deseje assistir o filme.
Você já assistiu Blade Runner? Se já, o que acha do filme?

Meus Avós Paternos

Pelos meus cálculos esta foto é de 1940. Meus avós paternos eram imigrantes italianos e vieram para o Brasil no começo do século XX. Segundo meu pai contava, minha avó, Francesca Palladino, natural de Palermo, era de uma família rica que não aceitou o casamento dela com meu avô, Angelo Gaeta, por este ser muito mais velho do que ela e amigo do pai dela. Foi por este motivo que resolveram vir para o Brasil. Eles deveriam vir como imigrantes, que era como todos, ou quase todos, os italianos vinham para cá, mas a ama de leite de minha avó se compadeceu da situação deles e pagou a passagem de ambos. Quando vieram, já tinham uma filha, minha tia Antonieta, já falecida.
Quando chegaram aqui, meu avó abriu um restaurante na cidade de Jaú - SP, daí todos os filhos serem ótimos cozinheiros.
As crianças da foto seriam sobrinhos do meu pai, mas como meu pai era filho temporão, a garotinha teria hoje quase a mesma idade de meu pai se ele estivesse vivo.
Os italianos fizeram do Estado de São Paulo o que ele é hoje, e eu tenho muito orgulho de ter sangue italiano em minhas veias, pois os italianos eram trabalhadores e não tinham medo de suar a camisa para vencerem na vida.
E seus avós, eram brasileiros ou estrangeiros como os meus?

Lista de Leitura



Compro, ganho, empresto e peço emprestado livros. Assim sempre tenho uma lista grande de livros por ler, entre aqueles que estão disponíveis e aqueles que ainda planejo comprar.
Nos últimos tempos estes livros têm me incomodado bastante, pois com esta história de blog, os livros (não apenas eles) foram ficando de lado, para depois. Então resolvi colocá-los em um lugar onde não possa esquecê-los: debaixo do telefone da sala. Sempre que o telefone toca, ou preciso ligar para alguém, tenho que me conscientizar deles.
Eu estava lendo “Ricardo III”, de William Shakespeare, mas deixei na metade para começar “A Casa de Ossos”, de Adriano Villa (este eu pretendo resenhar aqui no blog assim que terminar), então minha lista, de acordo com o que aparece na foto, ficou assim:
1) Sonata a Kreutzer – A Felicidade Conjugal, de Tolstoi;
2) Breve História de Quase Tudo, de Bill Bryson;
3) Persuasão, de Jane Austen;
4) Sharon e Minha Sogra, de Suad Amiry;
5) O Judas de Leonardo, de Leo Perutz; e
6) A Taça de Ouro, de Henry James.
Estou me prometendo que não comprarei nenhum livro novo enquanto não ler todos os que tenho.
Você também tem uma Lista de Leitura ou passa longe dos livros?
Boa semana a todos!

Gatos de Prata


Eu adoro gatos. Acho que são animais fantásticos, com uma graça e um equilíbrio que nenhum outro animal possui. Tenho cinco gatos em minha casa, gatos de verdade, e mais uma quantidade grande de objetos que representam gatos.
Nesta semana, passei em frente de uma vitrine e os dois gatinhos da fotografia miaram para mim. É verdade, miaram! Daí eu, morrendo de pena, tive que trazê-los para casa. Agora vivem parte do tempo em meu portajoias e parte do tempo pendurados em meu pescoço passeando por aí.

Bom Final de Semana!

Modelo: Lara

Pequenina

Eu bem sei que te chamam pequenina
Es ténue como o véu solto na dança,
Que és no juízo apenas a criança,
Pouco mais, nos vestidos, que a menina...

Que és o regato de água mansa e fina,
A folhinha do til que se balança,
O peito que em correndo logo cansa,
A fronte que ao soffrer logo se inclina...

Mas, filha, lá nos montes onde andei,
Tanto me enchi de angústia e de receio
Ouvindo do infinito os fundos ecos,

Que não quero imperar nem já ser rei
Senão tendo meus reinos em teu seio
E súditos, criança, em teus bonecos!

Antero de Quental, "Sonetos"

Ron Mueck

Angel 1997

Boy - tem 5 metros de altura

Artista trabalhando na escultura "Couple"

Two Women

In Bed

In Bed - detalhe

A Girl - 2006

Ron Mueck é um escultor hiperrealista australiano, nascido em 1958, que trabalha na Gran Bretanha. Como o próprio nome já diz, suas esculturas vão além do real.  Ele cria figuras humanas que poderiam ser confundidas com pessoas reais, exceto pelo tamanho, pois são ou grandes demais ou muito pequenas, e conseguem transmitir a fragilidade do bicho homem, com suas expressões faciais e corporais.
Caso queira saber um pouco mais sobre este grande artista, click aqui. Também é interessante vê-lo trabalhando em seu estúdio.

Imãs de Geladeira

geladeira aqui de casa

comprinhas

Eu coleciono imãs de geladeira. Já não sei mais quantos tenho, mas tenho muitos. Na frente da geladeira eu coloco os não comerciais, e nas laterais ponho os imãs comerciais.
Fica fácil me dar um presente sem gastar muito, basta me dar um imã novo, pois eu A-DO-RO.
No final de semana comprei novos imãs e ainda não sei onde vou colocá-los, talvez tenha que tirar minha "lista de compras", que fica no canto superior direito da geladeira para encaixar uns três lá.
Estou colocando a postagem com marcador de Decoração, mas na verdade esta overdose de imãs é anti-decorativa.

Uma loja linda!






Nunca foi o meu desejo ser riquíssima, milionária. O que eu tenho dá para viver sem causar inveja em ninguém. Mas cada vez que entro na Loja Star Garden eu começo a pensar que poderia ganhar na megasena para comprar tudo o que tem lá dentro.
A Star Garden é uma loja de móveis e decoração que fica em um Posto de Gasolina, o Rodoserv Star, na Rodovia Castelo Branco, km 191, em Pardinho - SP. Não importa em que pista você esteja, pois dá acesso aos dois lados da rodovia.
Os móveis são dos estilos mais variados, feitos para agradar todos os gostos. As louças, pratarias e cristais são de um bom gosto e beleza que não cabem reparos. Os lustres então ... os lustres são fabulosos! Se você quiser decorar seu jardim, ou área de piscina, lá tem tudo o que você precisa. Se quiser decoração para quarto de adulto, casal ou infantil, lá também tem. Varios ambientes são expostos pela loja, que é imensa! O site da loja ainda está em construção, mas o telefone se encontra lá para quem quiser mais informações.

Outono


Outono dos crespúsculos doirados,
De púrpuras, damascos e brocados!
Veste a terra inteira de explendor!

Florbela Espanca.

Viagem vapt-vupt


Estou saindo de viagem. O blog vai ficar sem postagens até segunda-feira. Então, antecipadamente, desejo a todos um ótimo final de semana.
Beijos

Ganhei um selinho

Estou toda emocionada! O meu blog está completando hoje duas semanas de existência e já ganhou um selinho da Anna Carolina, do blog Girls.


Seguindo as regras:

7 Coisas sobre mim:

1- Amo minha família
2- Amo meu marido
3- Adoro animais de estimação
4- Gosto de ler
5- Gosto de cinema
6- Sou consumista
7- Odeio injustiças

Indicando 7 blogs:
Antes que briguem comigo, devo explicar que os blogs escolhidos foram só os blogs femininos que se refiram à moda, beauté, artesanato e outras cositas mais de que trato no meu próprio blog. Desculpem-me garotos, mas tive que deixá-los de fora.

Minha Fama de Mau


Eu gosto da pegada rockeira de Erasmo Carlos. As músicas dele não envelheceram, tanto é que estão sendo gravadas pelo Skank, pelo Jota Quest. Ele é um cara querido e admirado por todos os demais músicos deste país, e uma das gravações mais bonitas que já ouvi é a da música "Mais Um Na Multidão", em que ele canta junto com a Marisa Monte.
Quando vi o livro dele sendo vendido, não aguentei e trouxe para casa. O livro é uma delícia! Além de ser uma viagem no tempo, dá a sensação que ele está sentado em uma mesa de bar, em uma calçada, no happy hour, com uma tulipa de chopp na mão, conversando com a gente como um amigo conversa na maior informalidade.
No livro ele vai contando passagens de sua vida, a maioria delas engraçadas, mas nem por isto foge das passagens tristes, sem se fixar nelas chorando as mágoas.
1/3 do livro fala da grande amizade que existe entre ele e o Roberto Carlos, os outros 2/3 ele fala da sua esposa Narinha.
O livro ainda pode ser encontrado a venda, e eu recomendo e muuuuuuuito.

Solução barata e interessante


Torre de Livros

Não sabe o que fazer com seus livros? Sem dinheiro ou espaço para uma nova estante na casa? Eu adorei a solução encontrada nesta foto (infelizmente faz tempo que a tenho e já não sei mais a origem): Torre de livros. Eu adoraria poder fazer umas torres destas aqui em casa, mas como tenho cinco gatos, provavelmente as torres se transformariam em arranhadores.

Elena Kalis - Alice In The Waterland











Pegando carona no filme "Alice In The Wonderland", apresento aqui Elena Kalis e um pouco do seu trabalho "Alice In The Waterland", que foi feito muito antes de que Tim Burton cogitasse filmar a obra de Lewis Carroll.
Elena Kalis nasceu em Moscou e morou durante 10 anos nas Bahamas, com seu marido e dois filhos.
Ela é formada em Artes, mas nos últimos tempos tem se voltado mais para a fotografia. Veja outros trabalhos dela, aqui.

Onda Pink

Da Esquerda para a Direita: Esmalte Big, Esmalte Colorama e Batom Dailus

Neste final de semana me assaltou uma onda pink. Começou quando eu pedi para minha manicure passar o esmalte da Colorama, "Rosa Chiclete". Este esmalte é um rosa forte, mas ainda não era o rosa que eu queria. Foi quando vi em uma vitrine, de uma loja de cosméticos, uns esmaltes que mais pareciam marcadores de texto, e tinha o rosa que eu queria, rosa choque, de tão rosa que ardia nos olhos. Eu nunca comprei esmalte desta marca antes: Big. A cor se chama "Andrômeda".
Se não bastassem os esmaltes, desde o Oscar, estou cismada com o batom pink, pois ele apareceu, e muito, no red carpet. Quero um dos batons rosa que vai ser lançado pelo Boticário, mas a nova coleção de make up só vai estar a venda nas lojas depois do dia 20 deste mês, então só resta esperar. Enquanto a nova maquiagem não vem, entrei em uma farmácia e comprei um batom da Dailus, na cor "Grape". Não poderia ter acertado mais no tom!
Ainda bem que tudo foi bem barateeeeeeeeeenho e vai dar para aproveitar o finzinho de verão com muito pink.

Alice In The Wonderland




Estou aguardando ansiosa o lançamento do filme do Tim Burton, "Alice no País das Maravilhas", que está programado para o dia 23 deste mês.
Sempre gostei da personagem Alice. Acho que o primeiro livro que li inteiro na minha infância foi este, de Lewis Carroll, com tradução de Monteiro Lobato. O segundo que li foi "Alice no País dos Espelhos". O primeiro tinha o fundo da capa amarelo e o outro era um rosa forte, quase roxo. "O País das Maravilhas" foi lido e relido tantas vezes que ficou meio desmoronado com o passar dos anos, mas ainda assim sobreviveu o bastante para que eu o lesse para minha filha. Espero que ela também leia para a filha dela.
O filme é da Disney, e o elenco é o melhor possível. Contando com: Jonnhy Depp, Helena Bonham Carter, Anne Hathaway, entre outros. O papel de Alice coube a Mia Wasikowska.
Enquanto Alice não chega vou esperar por ela no Jardim das Rosas.

Foto Montagens


Sem nenhum programa para este final de semana? Que tal trabalhar as suas fotos? Você pode se colocar em vários lugares e situações.
Então mãos à obra: Escolha uma foto e divirta-se! Já ao trabalho!


Bom Final de Semana!


Ode ao gato (Pablo Neruda)


Os animais foram

imperfeitos,

compridos de rabo, tristes

de cabeça.

Pouco a pouco se foram

compondo,

fazendo-se paisagem,

adquirindo pintas, graça, voo.

O gato,

só o gato

apareceu completo

e orgulhoso:

nasceu completamente terminado,

anda sozinho e sabe o que quer.



O homem quer ser peixe e pássaro,

a serpente quisera ter asas,

o cachorro é um leão desorientado,

o engenheiro quer ser poeta,

a mosca estuda para andorinha,

o poeta trata de imitar a mosca,

mas o gato

quer ser só gato

e todo gato é gato

do bigode ao rabo,

do pressentimento ao rato vivo,

da noite até seus olhos de ouro.



Não há unidade

como ele,

não tem

a lua nem a flor

tal contextura:

é uma só coisa

como o sol ou o topázio,

e a elástica linha em seu contorno

firme e sutil é como

a linha da proa de um navio.

Seus olhos amarelos

deixaram uma só

ranhura

para jogar as moedas da noite.



Oh pequeno

imperador sem orbe,

conquistador sem pátria,

mínimo tigre de salão, nupcial

sultão do céu

das telhas eróticas,

o vento do amor

na intempérie

reclamas

quando passas

e pousas

quatro pés delicados

no solo,

cheirando,

desconfiando

de todo o terrestre,

porque tudo

é imundo

para o imaculado pé do gato.



Oh fera independente

da casa, arrogante

vestígio da noite,

preguiçoso, ginástico

e alheio,

profundíssimo gato,

polícia secreta

dos quartos,

insígnia

de um

desaparecido veludo,

seguramente não há

enigma

na tua maneira,

talvez não sejas mistério,

todo o mundo sabe de ti e pertences

ao habitante menos misterioso,

talvez todos o acreditem,

todos se acreditem donos,

proprietários, tios

de gatos, companheiros,

colegas,

discípulos ou amigos

do seu gato.



Eu não.

Eu não subscrevo.

Eu não conheço ao gato.

Tudo sei, a vida e seu arquipélago,

o mar e a cidade incalculável,

a botânica,

o gineceu com seus extravios,

o por e o menos da matemática,

os funis vulcânicos do mundo,

a casaca irreal do crocodilo,

a bondade ignorada do bombeiro,

o atavismo azul do sacerdote,

mas não posso decifrar um gato.

Minha razão resvalou na sua indiferença,

o seu olho tem números de puro.



(Tradução de Maria Teresa Almeida Pina)

Alyssa Monks


Vou ficar devendo o nome desta obra.
Se alguém souber, por favor, me avise para que eu possa completar aqui.

Chicago

Doll

Almost

Everybody Loves A Parade

Wait

Floating

Fragment

Inhale

Lake George

Laugh

Lift

Maybe I Was Wrong

Mosaic

Pause

Raw

Vapor

Esta é uma pintora que fica entre o Realismo e Hiper-realismo. Mora em Nova York,
Se você quiser saber um pouco mais sobre ela está aqui!
Desde 04 de março de 2010.
Voltar ao topo
© Gosto disto!
Todos os direitos reservados.
Personalizado por: Elaine Gaspareto
imagem-logo