12 Ícones de moda - 12 Fashion icons

1 de fevereiro de 2011

Considero ícones de moda pessoas ou objetos que sobrevivem à efemeridade da moda e permanecem em nossos corações no decorrer dos tempos. Os objetos continuam a serem desejados através dos tempos e o passar dos anos os valorizam. As pessoas icônicas são aquelas que são copiadas pelas suas atitudes, pela maneira de vestir, de andar, de falar; e, ainda que não estejam mais entre nós, continuam a serem copiadas ad infinitum.


Marilyn Monroe

Beleza indiscutível! Rosto de boneca, aliás o seu rosto serviu de modelo para várias bonecas mesmo. Tinha um corpo escultural, e transbordava em sensualidade e doçura. Todos os homens a desejavam e todas as mulheres queriam ser como ela. Muitas atrizes a copiaram e continuam copiando ainda hoje. Madonna se inspirou nela e copiou o seu vestido rosa do filme Os Homens preferem as Loiras.

Chanel n° 5

Não sei se ainda é o perfume mais vendido no mundo (parece que perdeu o posto para o J'Adore), mas já foi e sua vendagem continua fantástica. Antes dele os perfumes eram todos florais, ele foi o primeiro com composição heterogênea, usando materiais sintéticos.
Já ouvi algumas garotas afirmando que tem cheiro de avó. O problema é que o Chanel n° 5 é um perfume personalíssimo e cheira de maneira diferente em cada pele. Em algumas pessoas ele não caí tão bem...
Marilyn Monroe, quando perguntada o que usava para dormir, respondeu: "Chanel n°5".


Audrey Hepburn

Símbolo de classe. Ela era chic, e chic sem esforço. Era a queridinha de Givenchy. Com seu vestido preto e os óculos Ray-Ban, ganhou as telas em Breakfast at Tiffany's, no papel de Holly, papel originalmente escrito para Marilyn Monroe. Será que alguém consegue imaginar outra Holly que não Audrey Hepburn?

Wayfarer Ray-Ban

Audrey Hepburn apareceu usando um óculos destes em Breakfast at Tiffay's, depois disto ele pulou das telas para os rostos da fashionistas e não saiu mais! Copiado por outras marcas de óculos, mas nunca igualado, ele continua em alta no mundo da moda. Pode sumir por uma ou duas estações, mas logo retorna às vitrines como objeto de desejo do mundo fashion.

James Dean

O eterno rebelde sem causa. Fez poucos filmes e morreu muito cedo. Sempre que você vir por aí uma calça jeans desbotada, uma jaqueta de couro, uma moto roncando alto, lembre-se dele, pois ele alavancou esta onda que nunca mais acabou.
É o pai de todos os rebeldes que vieram depois dele, mas ninguém se igualou a ele em rebeldia (nem mesmo Keith Richards), pois sua sexualidade dúbia fazia dele um rebelde completo em todos os sentidos. Era estiloso e seu estilo persiste até hoje.

Brigitte Bardot

Em uma época em que as mulheres eram donas de casa e vestiam cintas elásticas para modelar o corpo, Brigitte apareceu como um sopro de liberdade. Mergulhando nua no mar ou quando muito usando um biquini, considerado minúsculo para os padrões da época. Andava descalça e  soltava o cabelão loiro ao vento. Era linda e livre, livre como um pássaro. Sua liberdade está na moda até hoje e sempre estará.

Kate Moss

Acredito que Kate Moss vai ficar para sempre como um ícone fashion. Ela já passou por várias tempestades, inclusive foi flagrada cheirando cocaína (pecado mortal no mundinho fashion), e apesar das ameaças ela conseguiu ser absolvida e continuar no eden do fashionismo.
Uma inglesinha com um rosto especial, de olhos um tanto separados e cabelos revoltos. Consegue unir "chiquiteza" com rebeldia, o que a faz única e insubstituível.

Birkin da Hermés

Originalmente a bolsa foi desenhada para a atriz e cantora Jane Birkin e virou símbolo de status. Os preços desta bolsa variam de US $ 9.000 a $ 150.000, e para conseguir uma é necessário entrar numa fila de espera.

Jackie Kennedy

Eu a considero a mulher mais elegante do mundo. Tinha atitude, porte, presença e educação. Nunca antes dela uma primeira dama se sobressaiu tanto, e nem depois dela, seja nos E.U.A., ou em qualquer parte do mundo. Símbolo de boa mãe e esposa perfeita (sendo que seu casamento era quase que inexistente depois do nascimento de seu filho caçula, John-John). Ela conseguia chamar mais a atenção do mundo do que o seu primeiro marido Jack Kennedy. Foi amada não apenas pelos americanos, mas por todo mundo.
Depois de viúva casou com o armador grego Aristoteles Onassis e a sua luz própria deu visibilidade a este grego baixinho e de pouca cultura, mas muito charmoso. Ela sempre será lembrada como símbolo de elegância e requinte.


Bolsa Chanel 2.55

Lançada por Coco Chanel em fevereiro de 1955, ganhou o nome devido a data, 2.55. Foi a primeira bolsa tiracolo do mundo. Chanel a criou com o intúito de deixar as mulheres com as mãos desocupadas, pois antes só existiam bolsas de mão. Não conheço uma fashionista que não a tenha, ou não queria tê-la.

Pérolas via janemayjones.com

Pérolas sempre existiram e sempre foram usadas pelas mulheres, mas Chanel conseguiu eternizar as pérolas fake. As pérolas são símbolo de feminilidade, e depois de Chanel este símbolo se tornou mais democrático, pois qualquer mulher pode ter um colar de pérolas artificiais.

Trench Coat da Buberry

Esta capa de chuva foi criada em 1895, pelo inglês Thomas Buberry e era usada pelos soldados da realeza na Primeira Grande Guerra, mas foi em Hollywood que viruou ícone coll. Vários atores usaram em filmes, mas acredito que quem tenha eternizado esta capa tenha sido Humphrey Bogart, no filme Casablanca.

Estes foram os ícones que eu listei, você se lembra de mais algum ícone de moda? Qual ou quais?


Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+


SUBIR