Tem gente que não se ajuda (inclusive eu)


Tem gente que não se ajuda (inclusive eu)
Imagem via tumblr, desconheço a autoria


Tenho uma amiga na academia que usa muito esta expressão: “Tem gente que não se ajuda”. O que seria uma pessoa que não se ajuda? Imagine alguém acima do peso usando roupa listrada na horizontal. Vai ficar bem ou vai engordar mais? É claro que listras horizontais engordam! Então aí está um caso de gente que não se ajuda.

Várias pessoas não se ajudam e acho que o caso mais típico é o daqueles alargadores de orelhas que são um bocado asquerosos (descobri que em alguns casos eles cheiram mal), não são bonitos, não são charmosos, não ficam bem em ninguém. Quando vejo alguém com alargadores, já me vem na cabeça a frase “tem gente que não se ajuda”.

Hoje, no serviço, estávamos discutindo sobre bolsa família e tudo começou com o caso do gato que ficou um tempão recebendo bolsa família, daí comecei a divagar com algumas colegas, pois esse assistencialismo do governo faz mais mal do que bem. Sofri um bocado para conseguir uma empregada registrada para minha casa, pois ninguém mais que ser registrado! As pessoas querem fazer faxina duas vezes por semana e não ter registro algum para poder receber o bolsa família. Por que estou falando isto? Porque aí está um caso de gente que não se ajuda! Prefere ficar vivendo do assistencialismo governamental a ter uma carteira assinada e a possibilidade de se aposentar mais tarde!

Esta história de gente que não se ajuda vai além das roupas que se usa ou do estilo que se adota, pois atinge também o comportamento da pessoa, o caráter!

Andei lendo no jornal de minha cidade a história de uma idosa cujo filho é drogado e só aparece lá na casa da mãe para agredi-la verbalmente e ameaçá-la fisicamente. O tal filho já foi denunciado “n” vezes pelos vizinhos, que tentam salvar essa mãe dos maus tratos do filho, mas ela sempre acaba recebendo ele de volta. Lendo a reportagem pensei: “tem gente que não se ajuda”. Você vai dizer que esta senhorinha é mãe e mãe está sempre de braços abertos para os filhos, mas esses tais braços abertos têm limite, pois se ela deixar que essa agressão cresça e ele chegue a feri-la gravemente ou matá-la, que bem isto poderá fazer para ela ou para ele? Na reportagem ela jurava que não iria cair no erro novamente de abrir as portas para o filho. Eu espero que não, espero que ela se ajude, pois talvez se ajudando esteja ajudando ao filho também.

Agora vamos em frente... Por que eu contei esta história da senhorinha agredida pelo filho? Contei porque me vi criticando uma situação muito triste, mas quantas vezes me vi em situações tristes e arrumei desculpas para pessoas que não mereciam nenhuma? Quantas e quantas vezes abri as portas para amigos interesseiros, parentes que só procuram por mim quando não têm mais nenhum outro lugar para ir? Quantas e quantas vezes não passei a mão na cabeça de quem estava errado na esperança de que a pessoa mudasse, de que a fase ruim para esta pessoa passasse? Bem, as fases ruins das pessoas passam, e elas passam também e deixam a gente de lado, assim que não precisam mais da nossa ajuda.

Eu arrumei desculpas para quem não teve tempo de vir me abraçar quando eu estava doente. Eu arrumei desculpas para quem me pediu dinheiro emprestado, não pagou e não deu nenhuma justificativa. Eu arrumei desculpas para quem bateu a porta na minha cara sabendo que minha porta sempre está aberta para todos! As pessoas nunca precisaram se desculpar comigo, pois eu sempre arrumei desculpas para o indesculpável.

Quer saber de uma coisa? As pessoas não vão mudar, mas eu resolvi que está na hora de eu me ajudar. Mudei eu!

Não pretendo sair por aí dando porrada e nem gritando com ninguém, não vou cobrar nada, mas estou aprendendo a não dar a segunda chance. Logo eu que não dava apenas mais uma chance, mas dezenas, centenas delas. Fez errado, a culpa é sua, se fizer de novo, a culpa é minha, pois fui eu que deixei você fazer. Na primeira vez eu posso ter sido pega de surpresa, mas na segunda eu acreditei em alguém que não merecia confiança, então a culpa é minha.

De hoje em diante, está decidido: Virei alguém que se ajuda!

Espero que você, assim como eu, já tenha aprendido a se ajudar também e não apenas usando as roupas certas para o seu tipo físico, mas também tomando as atitudes corretas para a sua vida.



Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

66 comentários:


  1. Betty,

    Encontrar o nosso melhor caminho, não é muito fácil... Mas ando feliz comigo mesma pois estou tentando achá-lo.
    Bjo grande!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cláudia,
      Tb estou tentando e espero estar no caminho certo agora.

      Excluir
  2. Ah!Quanto as frases de estilo,você pode ficar a vontade pra usá-las.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Paulo! Já tem post pronto para amanhã com uma delas.

      Excluir
  3. OLá Betty.
    Concordo com o Paulo muito bom mesmo.
    Beijinhos grandes.

    ResponderExcluir
  4. oi Betty,

    e tem gente que não se ajuda mesmo,
    eu também sou uma delas,
    vou me inspirar em suas palavras e começar a mudar...

    beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem muitas gente que não se ajuda, mas acho que sempre é tempo de aprender a se ajudar.

      Excluir
  5. Precisamos nos ajudar e isso implica até em renuncias grandes e dolorosas! Belo texto, belas reflexões! beijos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Chica,
      O problema são as renúncias! Sempre arranjo desculpa para não fazê-las.

      Excluir
  6. Porque muitas vezes o que nós achamos ser um acto de ajuda os outros entendem como criticas destrutivas :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade... mas sou muito quieta, caladinha e preciso aprender a mudar isto.

      Excluir
  7. Me gusto mucho el post de hoy amiga querida!,si a mi me pasa no me ayudo ,,que tengas un buen comienzo de semana
    Besos

    ResponderExcluir
  8. Obrigada, Angélica! Espero que o tradutor tenha dado conta do recado, pois o texto ficou um pouco longo.

    ResponderExcluir
  9. Oi Betty, eu concordo com você, eu também já dei chances para alguma pessoas, mas é dar murro em ponta de faca, eu não caio mais nesta... e tem uma outra coisa: teve um tempo que eu tinha uma academia de ginástica, foi super bem durante um tempo, mas depois por alguns problemas no clube em que ela estava instalada, começou a me dar prejuízo ao invés de lucro, aguentei 6 meses no vermelho, quando vi que eu não estava me ajudando, que estava tirando dinheiro do bolso eu resolvi parar, vendi os equipamentos e fui trabalhar como personal... algumas pessoas me criticaram, falaram que eu não aguentei, que eu não tinha competência, no começo aquilo me magoou bastante, mas depois eu vi que na verdade eu estava me ajudando e confesso que foi o melhor, nunca mais perdi dinheiro... beijosss!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As pessoas que mais criticam são aquelas que nunca tentaram sair da zona de conforto! Vc saiu e isto é importante, ter iniciativa, tanto para começar algo como para acabar.

      Excluir
  10. Oi Betty,
    Olha só, me vi em muitas das situações que você citou, porém já tem algum tempo que penso primeiro em mim depois nos outros! Cheguei a conclusão que: trabalho, sou do bem, estou sempre querendo o bem de todo mundo, aí vem uns mal resolvidos querendo apagar a estrelinha da gente, nos fazendo ficar triste e as vezes até doente. Sim, sim já fiquei doente por uma "encheção de saco" que não tinha nada a ver!
    Hoje penso assim, se a vida me afasta de alguém, não corro atrás, nem quero de volta. Não me interessa quem seja. Pode ser radical da minha parte, mas estou vivendo muito melhor, perto das pessoas que meu coração seleciona e vice versa!
    Seja muito feliz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jossara,
      Eu tb somatizo. Meu CA tinha muito de emocional, pois ninguém na minha família tinha tido Ca antes.
      Eu estou aprendendo que não preciso de um segundo CA e quero me cuidar para que não aconteça de novo. Entre estes cuidados está em manter longe pessoas que não são do bem!

      Excluir
  11. Adorei seu texto. E também tenho aprendido a me ajudar há algum tempo, isso só nos melhora. Saber dizer não e deixar claro que não estamos dispostos a exploração é algo que muitas vezes precisamos deixar claro para o outro. E se ele se aborrecer? Antes ele do que eu! Bjs e ótima quinta-feira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os devedores sempre se aborrecem, ainda que a gente não cobre a dívida. É melhor se afastar do credor do que assumir a responsabilidade. Então, falando ou não, dá no mesmo para quem está errado.

      Excluir
  12. Como sempre este post veio a calhar! (é assim que se escreve?)
    Pois bem, hoje é meu ultimo dia na empresa em que trabalho a quase seis anos.Já havia quase um ano que estava insatisfeita e que vir aqui era um sacrifício para mim.
    Pois bem pedi para me mandarem embora e nada fui me arrastando e isso estava acabando comigo.
    Quando apareceu uma nova oportunidade de emprego pra mim pensei o que? vou ficar me torturando como muita gente faz "para ser mandada embora e receber meus direitos" ou vou embora desse lugar que pra mim e horroroso e nem olho mais para tras?
    Você não imagina a felicidade que estou hoje é meu ultimo dia!
    Bejuz
    Gi Almeida
    www.todas-amam.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fez muito bem, Gi! Com certeza vc vai se dar bem no novo emprego.

      Excluir
  13. Você estácompletamente certa, passei e estou passando no momento por isto, gente que só quer sugar tudo que pode de mim,mas estou pensando em tomar mais atitudes apartir de agora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esta gente que suga e suga, são os chamados "vampiros emocionais", é preciso tomar cuidado com eles.

      Excluir
  14. Oi Betty

    Ainda ontem estava refletindo por traz de uma desgraça sempre tem gente tirando vantagem.
    Sempre haverá alguém querendo tirar o que é nosso não só material, mas nossa paz e nosso sossego (as más noticias chegam e as vezes ficamos arrasadas).
    Já ajudei muita gente, e nem obrigado recebi. Mas aprendi que isso tb é da educação de cada um e educação minha amiga a pessoa ou tem ou não tem. Dinheiro algum compra isso.
    Acredito tb que muita gente fica acomodada com essas ajudas do governo, o certo é que isso tivesse prazo, queria ver se a pessoa não arrumaria emprego logo.
    Mas trabalhar pra que né? Se o governo dá dinheiro sem fazer nada.
    Há várias tirinhas na internet que brincam com isso.
    Muita coisa precisa mudar nas pessoas.

    bjokas e um lindo dia =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bell,
      Na maioria das vezes não recebo obrigada e nem espero por isto, mas daí até sentir a ingratidão há um bom espaço!

      Excluir
  15. . Betty postagem enriquecedora demais!
    . li tudinho e concordo com tudo, não mudo uma vírgula sequer, eu uso uma frase "esse não tem família" mas com o mesmo sentido do "tem gente que não se ajuda".
    . adoro vir aqui.
    . ah! viu que cortei o cabelinho né? coloquei no blog:
    http://www.vitrineaugusta.com/2014/05/cortei-meu-cabelo-joaozinho-parecido.html
    . beijinhos mil.
    . fique com DEUS.
    . leila diniz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Embora concorde com "esse não tem família", acho a frase "tem gente que não se ajuda" menos drástica.

      Excluir
  16. Comecei a ler o texto e logo fiquei imaginando as talifãs de Lula e Dilma comentando no post as inúmeras razões pelas quais elas defendem o Bolsa Família, como se não pudessem ou soubessem ver que as moedas tem dois lados.
    Tenho certeza de que todo mundo que leu se identificou com alguma situação que viveu ou vive, e se não viveu ainda com certeza irá viver, pois faz parte do aprendizado, a gente nunca se faz um mal porque quer mas quando vê está fazendo. Aí é hora de parar e refletir. Para essas pessoas podemos dar o link desse post.
    Beijos,

    Luciana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu,
      Eu não quis dar a este post uma conotação política, mas tive que me segurar muito para isto, pois este assistencialismo governamental já passou muito dos limites!

      Excluir
  17. Sabe amizade x interesse...pois é o que sempre acontece comigo. Pessoas que nunca aparecem, quando me procuram é pra me pedir alguma coisa...só aparecem nesses momentos, já se tornou previsível.
    E eu como você, sempre procurando desculpas...E como pra mim não existe coisa mais difícil do que dizer NÃO...
    Minha mãe é que sempre me diz "você nasceu pra servir..."
    Preciso aprender a me ajudar, não é mesmo amiga? Por mais difícil que seja pra mim...
    Adorei teu texto Betty!
    bjus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E como tem gente interesseira no mundo!!! Já levei rasteira deste tipo de gente em serviço, é terrível, me senti traída.

      Excluir
  18. Certíssima. custei aprender, mas acho que aprendi.

    ResponderExcluir
  19. oi Betty, estou passando por uma fase bem ruim e talvez precisasse ouvir isso hoje. Obrigada
    bjjk,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karine,
      Qdo escrevi este post, fiquei em dúvida se colocava on line ou não, mas daí eu pensei que ele poderia ser útil a alguém além de mim e postei. Não imaginei que tanta gente estava na mesma barca!
      Espero ter ajudado um pouquinho com as minha palavras.

      Excluir
    2. Betty, quando li pensei na mesma coisa: quanta gente se sente exatamente assim? Eu me encaixei "feito luvas". Teu texto só reforçou minha decisão em "acordar" de verdade. Te agradeço. Bjs no teu coração

      Excluir
  20. Betty, de "gente que não se ajuda", o mundo está cheio, mas sempre é tempo de mudar e sim, passar a se ajudar...vejo isso em várias situações, inclusive na minha profissão que é área de saúde, pessoas que não se ajudam em nada, mas querem soluções imediatas para seus problemas, desde que não precisem se mexer.Se sua atitude anterior não te fazia bem, mude, mude mesmo!
    Bj e um ótimo fds

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois de muita terapia, aprendi que não posso mudar os outros, mas posso mudar a mim mesma. E lá vou eu...

      Excluir
  21. Betty estava a ler o teu texto e a rever-me muito. Afinal também já desculpei o indesculpável mais vezes do que gostaria de admitir. E a verdade é que tens razão, a maior parte das vezes caímos em situações más porque simplesmente não nos ajudamos, ancorados que estamos em pensar nos outros e só depois em nós. Acho que também preciso de me mentalizar que preciso me ajudar mais, ainda que isso implique um certo egoísmo.:)
    www.letirose.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode até ter um lado egoísta, mas quem te prejudica tb foi egoísta, não foi?

      Excluir
  22. aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaamei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico tão curiosa qdo alguém comenta como anônimo!!!
      :D

      Excluir
  23. Betty minha querida,
    com tantos tombos na minha vida, pessoas indevidas que passaram por ela, aprendi
    a me valorizar e cuidar de mim.
    Hoje em dia eu me ajudo e muito, olho sempre p/ o alto pois tenho um Deus poderoso
    que estar sempre pronto pra me socorrer.
    Uma coisa eu lhe digo o mundo tá cheio de oportunistas, pessoas que não vão a luta, só
    querem coisas nas mães. As coisas só acontecem se a gente agir, irmos a luta, aí tudo
    funciona. Eu gosto de cortar o mal pela raiz, se alguém me prejudica eu corto a raiz e jogo
    fora. Tudo que me mal e me incomoda jogo no lixo.
    Parabéns pelo texto!

    Beijinhos, sucessos sempre ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu espero ter serenidade para me afastar de pessoas que me fazem muito mal e não se importam com o mal que fazem. empatia tem que existir de ambas as partes e não apenas da minha.

      Excluir
  24. Oi Betty, adorei o post!
    Menina, como tem gente que não se ajuda…eu que o diga!
    Gostei de ver a sua mudança de atitude, sua auto-estima subindo, sim, porque quando você ficava encontrando desculpas para justificar o mal que os outros te fizeram, na verdade achava que eles mereciam mais consideração do que você…
    Parabéns, continue nesse caminho.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca pensei neste sentido de quem mereciam mais consideração do que eu, mas vc tem razão...

      Excluir
  25. Betty,
    Chega um dia que a gente cansa e toma atitudes certeiras. Os problemas existem para serem resolvidos. "Mais é claro que o Sol vai voltar amanhã, mais uma vez, eu sei"... música do poeta Renato Russo.
    Fique com Deus e beijocas

    ResponderExcluir
  26. Oi Betty!

    AMEI o seu post! Eu sou bem dessas que não se ajuda...já "mudei" meu modo de agir em algumas coisas, mas ainda tenho uma pedrinha no sapato que não consigo "fugir das desculpas". Eu tenho a consciência só não consigo agir (ainda), mas sei que sou eu que tenho que mudar.
    Essa coisa de assistencialismo eu acho um absurdo! Além de ajudar o povo a não pensar por si cria a dependência...é terrível. Ela me lembra a história do monge com a vaca, conhece? Um monge viajava com seu seguidor e resolveram para em uma fazendola pobre para pedir água. Os camponeses deram-lhes água, uma sopa rala. Conversaram no jantar e o camponês disse que era pobre e que seu único bem era uma vaca. No dia seguinte o monge pediu ao seguidor enquanto eles voltavam a estrada que jogasse a vaca numa vala. O seguidor achou um absurdo, ia contra todas as leis da hospitalidade, mas foi lá e jogou. Ele acompanhou o mestre por mais um ano, mas sempre lembrava da vaca e se revoltava. Um dia ele resolveu abandonar o mestre e voltar àquela fazendola para ver se podia ajudar o camponês. Ao voltar olhou e no mesmo lugar da fazendola havia uma fazenda grande, com muito gado, plantações etc. Ele pensou - Coitado do campones teve que se desfazer da fazenda fazenda para não morrer de fome! Mas eis que ele vê o camponês todo pimpão numa camionete último tipo. aí ele vira e pergunta se ele estava trabalhando onde antes era sua fazenda. O que o outro respondo - Que nada! Logo depois da saída sua e do seu mestre nós percebemos que nossa vaca havia morrido, aí tivemos que nos virar. O filho foi trabalhar na cidade, eu comecei a plantar outras coisas, a mulher passou a cozinhar para fora e trabalhando conseguimos crescer e deu nisso tudo! Aí ele percebeu o que o mestre havia feito por aquela família, havia tirado-os do marasmo.
    Ui, falei muito!

    beijos, Renata
    palpitandoemtudo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A estória do camponês é tipicamente da pessoa que não se ajuda, até que tem que se ajudar. Eu tenho que me ajudar.

      Excluir
  27. Olá ,concordo com você,quem tem que mudar é a gente deixar de ser capacho dos outros desculpando-os sempre, quando fazemos a nossa parte e as pessoas não "se ajudam" podemos lavar as nossas mãos e ficar com a consciência tranquila ,porque fizemos a nossa parte .O bom disto é que todo bem que fizemos aos outros um dia retorna para nós um dia.
    bjs neste grande coração
    Marta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marta,
      Este bem tem voltado em forma de ingratidão, mas eu não quero paga, quero apenas que pare e se parar depende de mim, então paro eu,

      Excluir
  28. Tem gente que não adianta insistir, é cabeça dura e só vai aprender dando muita cabeçada na vida.
    big beijos

    ResponderExcluir
  29. Betty, esse post serve muito bem para mim. Eu estou cansada de não me ajudar e arranjar desculpas para família, amigos, colegas de trabalho... Uma colega uma vez me disse que a culpa é nossa e não dos outros. Nós é que devemos mudar e que eu não deixasse acontecer comigo o que acontecia com ela. Guardei as palavras dela, é difícil, mas já comecei a mudar. Estou aprendendo a dizer não. Antes
    tarde do que nunca. Tenho que me ajudar...
    Bom restinho de semana.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  30. Oiii Betty, meu problema é: e quando vc tem que conviver com essas pessoas dentro da sua própria casa? sem poder mandar embora? ai amiga, aí é bem difícil. Tenho me aproximado mais de Deus ultimamente e tem me feito um bem danado, andava muito afastada do Pai. O que tenho feito já que não posso expulsar esses sangue-sugas do meu caminho (por enquanto) tenho orado muito por elas porque no final das contas, elas é que saem perdendo, a vida dá o troco, a gente colhe o que planta, mesmo que demore 50 anos.
    BjoBjo queridona;)
    Celina Alves
    Luxos e Luxos

    ResponderExcluir
  31. Betty li com prazer esse texto
    olhe eu sou muito severa comigo mesma, sou cordial e educada com todos,
    e pretendo o mesmo dos outros,
    e não, não sou uma que dar terça chance, ao máximo segunda, e olhe là rs


    baci

    ResponderExcluir
  32. Betty
    Eita que texto legal e delicioso! Eu sou uma boba, não guardo mágoas, daqui há algum minutos já estou bem e me esqueço o que aquela pessoa me fez... Se bem que há poucas pessoas que me machucaram rsrsrsrsrs
    Mas, é sempre tempo de mudar, de pensar mais em você e aprender a dizer algund "nãos"

    Bjos e bom final de semana,
    Sheyla.

    ResponderExcluir
  33. Eu fiz um curso de Eneagrama esse ano em BH e descobri que sou uma pessoa que não se ajuda em nenhum aspecto. Sou o que eles chamam de número 9, ou seja, meu ego é o número 9. A partir de então eu estou tentando mudar muita coisa na minha vida, estou querendo me ajudar mais pois eu ajudo a todos e esqueço de mim mesmo muitas vezes. Estou me sentindo mais feliz, mais bonita e mais importante agora e tenho certeza de que isso vai melhorar ainda mais. É incrível como a vida muda a partir da feita que começamos a nos amar mais..muitas coisas boas já me aconteceram.
    Quanto ao Bolsa Família, ao meu ver isso é uma fábrica de votos. O governo comprando votos dos mais ignorantes..infelizmente :( O povo não se atenta pra isso porque precisa de dinheiro fácil, nem que seja o mínimo possível.
    Enquanto aos alargadores, eu acho horrível. Não sei muito bem o que as pessoas pretendem com eles mas no meu ver eu acho que isso é necessidade de ser diferente, de aparecer, de chocar os outros. Acho que são pessoas que precisam de terapia, sei lá. De alguma coisa pra poder resolver esses traumas da infância. Eu aprendi que a maioria das nossas atitudes de hoje são reflexos de traumas sofridos na infância, mesmo que sejam os mínimos possíveis.
    Não sei se falei baboseira, mas esse é meu depoimento.

    ResponderExcluir
  34. Eu mudei muito nos últimos anos, Betty, depois de ter ficado doente e ninguém ter me visitado; os mesmos que se aproveitavam do meu trabalho. Mas ajudar-se é um trabalho de todos os dias... vez por outra tenho umas recaídas... rs
    Abraço,
    Jussara - minasdemim

    ResponderExcluir
  35. Adoreiii
    É a minha cara, preciso mudar bastante, pois arranjo desculpa.
    Tenho uma amiga que diz que muitas vezes faço o papel de mãe para quem não precisa.

    ResponderExcluir
  36. Oi Betty, diminuir as expectativas pode ser uma coisa muito útil. A gente se magoa mais pelo que espera dos outros do que pelo que eles realmente são. Então, a ideia é, quando ajudar, fazê-lo sem esperar retorno. Se a pessoa for merecedora ou não do nosso tempo, afeto ou bens, bem, a gente decide depois. Na próxima oportunidade, poderemos selecionar melhor quem ajudar, de forma que possa ter um efeito mais positivo sobre a vida de quem a recebeu, e não ser apenas um paliativo.

    Sua reflexão é válida porque, antes de tudo, devemos nos amar mais e nos proteger mais de pessoas inescrupulosas, que abusam da bondade alheia.

    Beijos,

    Luiza Mallmann

    ResponderExcluir
  37. Ótimo post! Realmente, essa coisa da gente se ajudar é mais ampla do que imaginamos às vezes. Algumas atitudes que até parecem pequenas ou besteiras, mas são repetidas tantas vezes que acabam atrasando nossa vida e trazendo até problemas mais sérios, porque demoramos a enxergar que precisamos mudá-las.

    ResponderExcluir
  38. Puxa Beth! Confesso que vesti a carapuça agora com gorro,cachecol e tudo...rss...que maravilha de texto,menina! Vi lá no blog da Chica e vim correndo,parabéns! bjs,

    ResponderExcluir
  39. Oi Betty!!
    Que texto!!! Comecei a ler com uma certa "distância" do assunto, mas de repente me vi completamente "dentro", quase uma personagem...depois desta leitura com certeza vou me ajudar mais.Assim como a Anne,vim do blog da Chica!!!

    ResponderExcluir
  40. A ajuda mútua alivia a alma. Excelente texto. Vim por recomendação da Chica.
    Abraços.

    ResponderExcluir

Voltar ao topo
© Gosto disto!
Todos os direitos reservados.
Personalizado por: Elaine Gaspareto
imagem-logo