A mulher invisível, aquela que ninguém quer ser






Tinha uma pessoa que frequentava os mesmos círculos sociais que eu, mas que eu não conhecia pessoalmente. Todo mundo definia esta pessoa como “Fulana não é feia”, daí começavam a falar dela, de onde tinha ido, se tinha viajado, etc.

Eu ficava intrigada com esta pessoa, até o dia que conhecia a Fulana e entendi porque a definiam como “Fulana não é feia”, ela era uma mulher que não era, ela não era feia e nem bonita, não era gorda e nem magra, não era antipática e nem simpática, não era inteligente e nem burra. Era uma mulher que não era. Daí eu concluí que não tem definição pior para uma mulher do que “Fulana não é feia”, pois isto define uma mulher que não é.

Quando alguém fala de uma mulher e diz que ela não é bonita, sempre completa com “ela não é bonita, mas é estilosa”, “ela não é bonita, mas é charmosa”, “ela não é bonita, mas é interessante”. O mesmo se dá quando alguém diz que “Fulana é feia, mas é charmosa”, “é feia, mas sabe se vestir”, e por aí vai. Mas quando dizem que uma mulher não é feia e ponto, é porque ela não é nada.

Eu sei que não sou bonita, mas uma amiga me contou que num grupo de amigos, um cara badaladíssimo tinha me definido como uma mulher interessante, e os demais homens presentes concordaram, sendo seguidos depois pelas mulheres.

Eu adorei ser interessante, pois para mim Jackie Kennedy era uma mulher interessante, ela nunca foi bonita, mas sempre soube tirar o melhor do que d’us lhe deu e quando entrava num ambiente, só dava ela.

Outra mulher interessante era Maria Callas. Ela era uma prima donna bem gordinha que virou a mesa e divou. Quando a Callas entrava num ambiente todas as luzes se voltavam para ela. Existem outras mulheres interessantes que admiro, como Cris Guerra, Danuza Leão, Carla Bruni, Sarah Jessica Parker. Se eu estou neste time, então fico muito satisfeita.

Até um adjetivo negativo é melhor do que ser a Fulana que não é feia. Sarah Jessica Parker é feia, mas pelamordedeus! eu queria ser feia e charmosa como ela. Danuza Leão nunca foi um padrão de beleza, mas sempre soube ser Danuza!

Para as bonitas é fácil, pois todos vão definir uma mulher bonita pela sua beleza e ela já tem meio caminho andado em tudo que quiser fazer na vida. Não me venha com pieguices dizer que o que vale é a beleza interior. Tá, até vale, mas a primeira impressão é a que abre as portas e se você tem beleza as portas são escancaradas para você. É certo que se você tiver um péssimo caráter, mais hora, menos hora, essas portas vão fechar, então é melhor se preocupar também com o conteúdo e não apostar apenas no seu aspecto externo.

Pronto... Derivei... Vamos voltar ao assunto.

Como mulheres burrinhas eu apontaria Geisy Arruda, Carla Perez e Luciana Gimenez. Será que elas são tão burrinhas assim ou só fazem gênero? Não importa, ela são definidas como burrinhas e isto não atrapalha nem um pouco a vida delas. Nem burrice atrapalha uma mulher, mas não ser incomoda muito!

Esta fulana que não é feita é casada com um homem de segunda mão que não gosta dela. Ela fez tudo para engravidar dele e ele só assumiu o filho quando a criança já tinha seis meses. Acho que o que fez esta Fulana que não é feia procurar esta gravidez foi o fato de saber que se não fosse assim, ela não seria mãe, pois ela é a mulher que não é. Ela fica num casamento fracassado porque tem medo de se fazer notar e ter que ser, já se acostumou a ser a fulana que não é feia.

Então fica a dica, você não precisa ser bonita, nem inteligente, nem bem sucedida, nem magra, mas não deixe que preguem em você o rótulo da Fulana que não é feia. É melhor enfear, emburrecer, emagrecer ou engordar, mas seja! Não se transforme em um não ser!



Beijinho da blogueira

Imagem vintage, via Zsa Zsa Bellagio
Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

47 comentários:

  1. Menina, e é bem verdade isso tudo! E o importante é ser e estar feliz conosco!
    Beijos e bom dia!
    CamomilaRosa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o importante é ser feliz, mas ser feliz exige que a gente saia da zona de conforto.

      Excluir
  2. Oi Betty querida bom dia
    Adorei esse texto acho que muitas vezes isso acontece por falta de auto estima incentivo ou por as vezes falta de amor afeto,mas acho que depende muito de nós mulheres não permitirmos.

    Tenha uma linda quarta

    http://framboesafashionista.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema se resume em permitir, pois dá uma preguiça danada de reagir e se tornar algo ou alguém.

      Excluir
  3. Eu gostei da parte "se fazer notar, ter que ser". Às vezes eu não quero me fazer notar, mas é visivelmente mais interessante ser notada. Eu não sei como os amigos e conhecidos me definiriam...realmente não faço ideia. Eu também não prego apenas a meiguice, sou braba!

    Gostei da postagem Betty, sinto dó de quem não quer ser e vive assim...de fracassos para não cair em derrocada.

    :**
    ótima quarta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não sabia como me definiam e foi uma surpresa qdo descobri que sou "interessante", adorei ser interessante.

      Excluir
  4. Adoreii, assim como a Bárbara as vezes não sei me fazer notar, talvez por um pouco de medo insegurança sei lá, mas gosto quando as pessoas dizem que sou interessante, misteriosa, alguns caras me chamam até de charmosa, não só a top, mas graças as Deus não sou a mulher que não é feia rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que não é bem se fazer notar, acho que este "se fazer notar" acontece naturalmente qdo vc está segura de si.

      Excluir
  5. Que texto interessante, Betty... fiquei pensando em, como vc diz, nas derivações... porque ser bonita mas ser conhecida por ser só bonita também deve ser um saco. Ser bonita e ter que provar que é mais alguma coisa além disso também.. Se Vinícius estava certo e beleza é fundamental, ter mais alguma coisa além de beleza, o que seria?

    Beijos,

    Luciana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até a beleza exige complementos, mas a beleza ajuda muito. A amiga mais bonita que eu tinha, tinha um péssimo caráter, mas isto não a impedia de ganhar todas as paradas. O que ninguém via , na época, é que este caráter era algo doentio e hj ela está internada em uma instituição.

      Excluir
  6. Quando a gente liga muito para os rótulos que colocam na gente, acabamos tristes e frustados. Isso de beleza é tão relativo, né? Adorei o texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é o problema dos rótulos (eu não ligo a mínima para rótulos), é o problema de não ser ou ter nada, nem rótulos. Aquela mulher que cai num vazio existencial.

      Excluir
  7. Vdd, tem mulheres que passam despercebidas.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  8. eu ja estive nessa.... 'ela não é feia'.. estive praticamente zumbi em alguns bons anos.... hoje estou revertendo o quadro. 'ela não é feia' .... é o fim do tunel. Gostei do post. Bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lila,
      Brigadim por compartilhar o post no FB. Acho que eu tive numa fase de "ela não é feia", qdo estive com uma pessoa muito castradora.

      Excluir
  9. De fato, não ser nada deve mesmo ser muito impactante na vida de uma mulher! É preferível que falem que sou feia seguido de um mas, do que falem que não sou feia seguido de um ponto. Dá a sensação realmente de ser uma mulher invisível! Mas prefiro acreditar que há olhos com capacidade para enxergar uma mulher invisível, sempre há!

    Bjs! =)
    Vivendo e Aprendendo
    Fotos e Prosas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Si,
      Acho que a mulher invisível, quer ser ou está acomodada nesta invisibilidade, pois ser, dá trabalho.

      Excluir
  10. Mas de fatp é terrivel nao ser nada. Nem feia nem bonita, nem gorda nem magra. Obviamente não é bom ser feia, mas seria mais facil de abituar com esse fato do que simplesmente nao saber o que é?
    Eu e meu noivo começamos a fazer
    bolos no pote para juntar dinheiro
    para o nosso casamento.
    Ele nunca fez nada em casa, nem um ovo,
    e agora é ele quem prepara os bolos,
    e ficam deliciosos hein.

    Olha nosso insta @casamentoaep

    Beijokas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mandy,
      Pelo jeito vc está transformando o noivo em boleiro. Assim que tiver um tempinho vou lá olhar.

      Excluir
  11. Betty,
    é terrível alguém ser chamada de feia, acho melhor ser invisível, a auto-estima vai lá para baixo.
    Apesar que não tem ninguém feio e sim maltratado pela vida.
    Eu adoraria ser invisível, rsrs.

    Bjs, sucessos sempre! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Andréa,
      Eu prefiro ser feia do que não ser nada. Existem tantas feias charmosas, interessantes, descoladas. As bonitas são exceções.

      Excluir
  12. hahaha Post interesante demais, amei!!

    Mil beijokas,
    http://www.dmulheres.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Betty, este post vale por uma sessão de terapia!
    Que percepção incrível você teve. Aquela que não é, simplesmente não construiu para si uma identidade, tornou-se amorfa. Há várias causas para isso, mas geralmente uma mãe que rivaliza com a filha, ou uma criança que sofreu abusos.
    Ser invisível talvez seja uma das piores coisas para uma mulher, ainda mais quando ela se torna invisível por não ter a força para ser o que é. Seja feia, linda, burra, inteligente ou o que for...
    A mulher que não é, escolhe para si uma não vida, e geralmente torna-se amarga na velhice.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É triste, mas eu já estive em um casamento ruim e me transformei em uma mulher invisível. É certo que não me conformei com a minha invisibilidade e me libertei, mas vejo tanta gente acomodada nesta invisibilidade, principalmente mulheres.

      Excluir
    2. Betty, fico feliz por saber que teve forças para se libertar, embora seja difícil uma mulher como você ficar invisível...
      Bjs

      Excluir
  14. Oi Betty!
    Saudades de "ocê"...
    Menina essa conversa dá pano pra mangas e pernas rsrsrsrs. Excelente texto!
    Vou te contar uma do maridón:
    Um dia ao sair com um grupo de amigas, ele cheio de boas intenções disse - Cuidado! e eu retruquei: Relaxe, no meio de tantas mulheres bonitas ninguém vai olhar para euzinha.
    Betty olha a resposta/elogio:
    - Bia, onde vc chega, tem uma aura diferente que chama a atenção, independe de beleza.
    Meu maridón é um fofo!
    Vou dar mais um passeio aqui, para matar saudades...
    Bjosssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bia, sua linda!
      Que saudade!!! Maridon apaixonado! Esta aura vale muito mais do que qualquer beleza.

      Excluir
  15. Quando comecei a ler pensei na Macabéa !
    Eu não tenho sido... acho que a terapia tem me ajudado nisso.
    Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Greyce,
      Qdo escrevi o post não pensei na Macabéa, mas agora que vc falou, esta mulher no qual o post foi inspirado, lembra fisicamente a Macabéa.

      Excluir
  16. oi Betty , que crônica, hein?! É pra refletir... o que será que as pessoas pensam de mim?
    Adorei, viu.
    bjk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karine,
      Não sei o que as pessoas pensam de vc, mas para mim vc é uma fofa, muito especial.

      Excluir
  17. Terrível isso de ficar na invisibilidade. Infelizmente algumas pessoas não conseguem sair disso.

    http://doce-madreperola.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Num quero esse rótulo não...
    Adorei o texto amiga, bjus!

    ResponderExcluir
  19. Amei o texto. Perfeito! Ficar na invisibilidade é a pior coisa.
    Beijo

    Dicas para Todas

    ResponderExcluir
  20. Oi Betty!

    Esse texto me deu o que pensar...não vou me estender, nem entrar em detalhes, apenas dizer me sinto um pouco assim...invisível. Não sou aquela que "chega chegando", Já fui...aliás, já fui muita coisa ...
    Gostei do texto!

    beijos, Renata
    palpitandoemtudo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Renata,
      Em uma época, eu estive nesta situação de invisibilidade. Era muito mal casada e queria que o casamento desse certo, então fui me anulando, me encolhendo, me escondendo até que joguei a toalha e disse chega.

      Excluir
  21. Eu também prefiro este adjetivo "interessante" porque acredito que desperta mais curiosidade do que ser simplesmente linda. Concordo com o exemplo de Jacqueline Kennedy, era interessantíssima e cheia de classe. Pior do que ser feia é ser desinteressante e burra. Assino em baixo com os exemplos que colocaste. Beijos
    www.brasildobem.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Janeisa,
      Eu não me estendi na lista de mulheres interessantes para não deixar o texto muito longo, mas tem uma turminha boa que cabe aí.

      Excluir
  22. Olá Betty
    Adorei o assunto de hoje, acho que devido à minha timidez eu seja mais para mulher invisível, contudo, tenho consciência que já dei grandes passos para reverter este quadro.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tb sou tímida e sou quietinha, mas não me sinto invisível. Já fui invisível, mas mudei o quadro, me libertei.

      Excluir
  23. Oi Betty,

    legal seu texto. Ser interessante ee melhor que ser bonita. As pessoas sempre me acham engracada, mesmo eu achando que estava sendo seria. Melhor do que nao ser nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se tem uma pessoa que eu jamais imaginaria como invisível é vc. Vc é a maior bagunceira da net!!! Qdo vc some, a net fica tão chata...

      Excluir
  24. Interessante o seu texto.
    Ser interessante é bom. A beleza passa.
    Sinto que tenho uma aura boa e tb sou bem alegre e de bom astral (e modesta....rs).
    Tem gente que ri das coisas que digo. As vezes nem digo nada para ser engraçada.
    Cada qual com seu jeito.
    Não tenho temperamento para ficar num casamento fracassado. Não é a toa que estou indo para o 3º casamento. Só vale a pena, viver bem e ser feliz.
    Bjs, Betty.

    ResponderExcluir
  25. Adorei seu post, foi muito profundo e filosófico!
    Realmente é meio ser feia e interessante/divertida do que apenas ser feia e sem qualidades notáveis.
    Beijos

    https://garotasdejales.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  26. Texto muito interessante. Acho que ser invisível é a pior coisa mesmo.
    Ah! Sobre o yukata, é um tipo de kimono que é usado no verão. Ele é mais leve e feito de algodão. Bjs!

    deliriosdeconsumismo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  27. Oi Betty, que texto perfeito para quem não é, como eu não fui, por um bom tempo, ao ponto de adoecer por não poder ser. O resgate de minha vida, foi muito sofrido, tentativas e tentativas, até que consegui.
    Sempre fui, por que não podia mais ser?
    Não me importa o que acham ou falam de mim, eu hoje sou, como me vejo, hoje eu existo.
    Luto, me expondo, para que outras mulheres não tenham o mesmo fim, de não ser.
    Obrigada, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir

Voltar ao topo
© Gosto disto!
Todos os direitos reservados.
Personalizado por: Elaine Gaspareto
imagem-logo