Mude o foco e sua vida irá mudar




Quantas vezes a gente não passa por coisas ruins contra as quais não se pode fazer nada? Você já se sentiu injustiçada e não teve como reagir? Sabe aquele sapão que a gente engole e não tem como cuspir para longe? Pois é, eu perdi as contas das coisas ruins pelas quais passei, mas eu saio delas, sempre saio, se não saísse não estaria aqui escrevendo, não é mesmo?

Não quero ficar batendo na tecla do “quando eu fiquei doente”, mas não vai ter jeito, pois esta foi uma das piores coisas pela qual passei, e por incrível que pareça, a doença não me deixou caída, não me deixou triste, era algo pelo que eu estava passando e pronto, mas durante a doença eu realmente caí numa depressão, que só não foi profunda porque os médicos me cercaram de cuidados e me acudiram em tempo. Eu me deprimi não pela doença, mas porque alguém, me culpou pela minha doença, como se eu pudesse escolher entre ficar doente ou não. A sensação de injustiça e de solidão me jogou num abismo profundo, mas eu consegui sair antes de chegar ao fundo do poço e não devo isto apenas aos medicamentos, mas sim à mudança de foco.


Eu tenho isto: eu sei mudar o foco. É como se eu pudesse desligar o botãozinho do mal e ligar o botão do bem, iluminando o lado bom da vida e das coisas. Foi assim que o blog nasceu, de uma mudança de foco.




Então se você está se sentindo triste por algo ruim que aconteceu e não tem como mudar este acontecimento, experimente a mudança de foco.

Quando coisas ruins acontecem, elas ganham uma proporção muito maior do que realmente têm. A vida da gente parece estar girando em torno daquele fato, mas pare para pensar: o seu cachorro ainda precisa passear, você ainda tem que arrumar a cama, o café não vai se fazer sozinho.

Sim, as outras coisas ainda continuam lá e precisam ser vividas ainda que o monstro do mal esteja bafejando em seu pescoço.

Para começar, faça o que tem que ser feito, como tomar banho, passar batom, fazer lista do supermercado, e depois vá além. Sempre teve vontade de aprender latim? Talvez seja esta a hora! Está descuidando de ir para a academia? Vá, mesmo sem vontade. Vá, e depois se proponha a correr uma maratona ou algo que exija muito de você.  Sempre quis escrever um livro, então comece, faça as suas anotações, suas pesquisas, e vá em frente e enfrente.

O monstro do mal não vai embora por causa destas coisas, mas perde de tal forma a importância que você vai ver que ele não tem 2 metros de altura, como você pensava, talvez ele seja um monstrinho de uns 50 cm, quando muito.

O monstro vai estar ali, mas vai ser algo tão bobinho perto dos seus planos. Sem a luz que ele estava sendo focado, ele perde o brilho! Dê foco para o que realmente quer dar. Foque nos seus planos, nos seus sonhos, nas pessoas que verdadeiramente amam você.




A injustiça não vai virar justiça, mas vai deixar de incomodar . O mal não vai se transformar em bem, mas nunca se esqueça que quem esfaqueou você também feriu a própria mão, mostre quem vai se curar primeiro, ou seja, você.

O mal existe, mas não precisa ser prioridade na sua vida, não deixe que ele seja! Só quem pode mudar o foco é você.



Você já respondeu à enquete do blog? Se ainda não, então participe! Clique no banner.



Todas as imagens são via tumblr , desconheço a autoria, sendo que a última é de uma anúncio da Sonia Rykiel.
Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

37 comentários:

  1. Oi Betty,

    que lindo post, também tenho isso comigo, o meu lado criançona sempre vem e me faz serelepar.
    As vezes que fiquei triste demais foi quando perdi o meu pai aos 18 anos, quando perdi o meu cãozinho amado, quando a empresa em que trabalhei 26 anos me mandou embora e quando vi que não dava para ser artesã em minha cidade. Mas tudo passou e estou aqui serelepandooooooooo.

    Bejim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Meire,
      Eu tb sofri por perdas dos meus anjos de estimação, da minha avó, da minha madrinha, dos meus pais, são todas perdas irreparáveis. Tb desmoronei quando fui demitida. As perdas de vida eu vou guardar para sempre no meu coração, mas ser demitida fez de mim uma pessoa melhor, ou ao menos bem melhor do que quem me demitiu para colocar um apadrinhado no meu lugar.
      eu tenho este lance de assoprar a poeira e continuar.

      Excluir
  2. Por aqui, vivendo esses maus momentos, mas sem perder o foco;Vamos em direção à cura e ela virá e logo festejaremos novamento o KIKO! Não podemos nos focar na tristeza, até porque quem está doente, precisa de nós inteiros. E assim temos que estar pro bom e por ruim, superando com coragem! Vamos que vamos! vjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por pior que seja o monstro, esteja certa que ele é temporário e que nunca é tão grande qto a gente pensa.

      Excluir
  3. Querida: és uma pessoa maravilhosa, iluminada. Já te disse no Insta como eu te adoro e amo este teu Blog. Deus te abençoe sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lisandra,
      Vc sempre tem a capacidade de deixar o meu coração morninho e açucarado.
      Bjs

      Excluir
  4. É perfeito amiga! Devo guardar nos meus favoritos esse post, só pra não esquecer, de não fazer tempestade num copo de água, quando o oceano me espera! ;)

    Beijos
    Ótima Quarta querida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou Lu,
      eu até faço as minhas tempestades, mas paro e penso: vale à pena? Vai resolver? Daí caio na real e mudo o foco.

      Excluir
  5. Oi Betty!

    Você tem toda razão! E realmente acredito que mudar de foco seja o ideal. Concordo com você e fico até sem palavras para adicionar às suas. Você é um exemplo disso. Comigo isso também funciona...mas como sou muito intensa, preciso sentir tudo de vez, ir fundo no problema...e então deixar ele passar e mudar o foco.

    Senão sinto que algo ficou incompleto. Mas é necessário que façamos essa mudança mesmo, para que a vida siga e tudo possa ser sentido e vivido.

    O Dalai Lama costuma falar algo assim: Se um problema não tem solução, então não tem problema. E se ele tem solução, então também não tem problema.


    :***

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bárbara,
      Já fui cobrada por parecer muito fira, de não ter esta intensidade. Eu tenho sim, mas sempre tive por hábito, engolir o sapo, e daí vêm as doenças e outras coisas ruins. Gostaria até de saber gritar e espernear, mas sou um bocado caramujo. A minha grande vantagem é que sei driblar e mudar o foco.

      Excluir
  6. Ótimo texto, Betty... Suas palavras me tocaram profundamente, talvez esteja precisando mudar de foco e acordar pra vida, antes que seja tarde;) Com fé e força eu chego lá!
    Bjs e bom dia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda que a vida esteja ótima, sair da zona de conforto para descobrir novos caminhos, sempre é bom. Uma das maneiras de sair da zona de conforto é mudando o foco.

      Excluir
  7. Que mensagem maravilhosa. Fantástica.
    Eu concordo e assino embaixo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Tem toda razão, Betty! As vezes mudar o foco muda tudo! <3
    Beijo

    Dicas para Todas

    ResponderExcluir
  9. Betty minha linda,
    Sábios conselhos, linda postagem, adorei, muito bom levantar o nosso astral!

    Um grande bjo no seu ♥

    ResponderExcluir
  10. Oiiiii.....

    Nossa era tudo que eu precisava ler.... me traduz em tudo, preciso dominar meu "mal", porque na verdade não é do tamanho que eu faço o meu problema.

    Ameiiiiii sua postagem!! Parabéns pela iniciativa de postar sobre isso.

    Quando puder conheça meu blog relatando minha luta com a balança:

    http://avidafitness.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Danielle,
      Assim que sobrar um tempinho, vou sim! Afinal, todas estamos em luta com a balança.
      Bjs

      Excluir
  11. Bateu direto no alvo aqui Betty...
    Parabéns pelo post amiga, foi tão bom pra mim te ler!
    Obrigada viu?
    bjus!

    ResponderExcluir
  12. Ás vezes a gente está tão focado no negativo que não conseguimos ver solução. Mas você está certíssima Betty, é só trocar a perspectiva, mudar o foco, para sair desse buraco (que parece sem fundo)!

    ResponderExcluir
  13. Amei este post, Betty. Parabéns por tudo! Vc é uma guerreira e uma mulher de atitude!
    Bjs e obrigada por compartilhar uma mensagem positiva para cada um de nós.

    ResponderExcluir
  14. Betty,
    Uma vez , reclamando sobre um momento de minha vida, uma desilusão amorosa.. um amigo me disse extamente isso: Sheyla muda de foco! Nossa, como foi um choque, mas ai eu mudei mesmo e depois de um tempo a coisa desfocada já não tinha mais tanta importância.
    Ai você vem com esse lindo post, é isso mesmo, é tudo uma questão de foco. Amei, como sempre, você sempre com ótimos relatos e boas reflexões.

    Mil beijos,
    http://www.dmulheres.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qdo a gente está muito focada num problema, nem vê o que tem a nossa volta, mas a vida continua ali e precisa ser vivida.

      Excluir
  15. oi Betty, eu sou do tipo que fica mal e torna tudo mal ao meu redor... mas acho que estou melhorando, pq era bem pior. Outro dia, quando estava respondendo a sua enquete, me deu conta de quanta coisa boa eu tenho e de quanta mordomia eu desfruto, sai agradecendo a Deus por tudo. Realmente o tamanho do mostro é a gente que faz. Belas palavras, adorei, serviu pra abrir meus olhos, mais um pouquinho.
    bjk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A enquete está sendo uma surpresa para mim, pois a maioria tem nível universitário e trabalha! A renda familiar da maioria é muito boa! Eu tenho um público de primeira e não sabia disto!

      Excluir
  16. Oi Betty!

    Legal seu toque. Eu sou daquelas que "sofre" até cansar, chora, xinga, esperneia, se "derrama", mas aí dá um clique e passa, fica pra trás.
    Já passei por algumas "durezas", mas tem coisa que nem lembro mais. Só acho ruim é que tem coisas que demoro a perceber que são tóxicas, que fazem mal, e vou levando aquele incômodo como se fosse um "problemão". Mas passa...tudo passa.

    Beijos, Renata
    palpitandoemtudo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando vejo que estou afundando no problema, eu me dou um break e puxo a minha orelha.
      Sabe que isto de se esgotar no sofrimento tb não é de todo ruim? Meu terapeuta achava que poderia ser bom, pois quem joga todas as cartas, uma hora vê que tem que sair do jogo.

      Excluir
  17. Bravo, Betty, adorei suas palavras, realmente você está certa, o negócio é aprender a agir como você fez.
    Valeu mesmo.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  18. Olá, olho seu blog todo dia, mas nunca comento nada...
    Mas este post.. ele me fez pensar em um zilhão de coisas num segundo só.
    Escrevo esse comentário com lágrimas nos olhos..
    Eu sempre penso que tudo que a gente faz tem repercussão na vida das pessoas, e é por isso que tanta coisa dói aqui, hoje.
    Obrigada por ter escrito tudo isso, valeu muito para mim.
    Grande beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Verônica,
      Vc não tem ideia da alegria que eu sinto qdo aparece um comentário como o seu. O blog tem mais de 4.000 visualizações por dia, mas pouca gente comenta. Fico muito feliz em saber que vc está lendo o blog, que está gostando, que se identifica com ele e consequentemente comigo. Esta é a verdadeira paga de uma blogueira.
      Bjs

      Excluir
  19. Que verdadeiro, a gente vê que você fala por experiência, a voz vem da alma.
    Bjs

    ResponderExcluir
  20. Oi Betty... realmente é preciso mudar o foco... muitas vezes chego em casa mega desanimada por algumas coisas que aconteceram durante o dia, mas me forço a ver as situações por outro ângulo... já passei por diversas situações ruins, mas sempre procuro acreditar que tudo vai passar e tudo vai melhorar... sou uma boba otimista, rsrsrs beijosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que não sou otimista, sou realista, sei que as coisas mudam.

      Excluir
  21. Oi Betty, mudar o foco é sempre uma ótima saída, porque paramos de investir nossa energia em algo que não podemos mudar, que já passou e que tem que ficar lá atrás. Eu sempre uso esta máximo que aplico na "mediação de conflitos, que é uma das ferramentas que se usa: enfoque prospectivo, ou seja, gerar visualizações futuras.
    Bjs querida!
    www.brasildobem.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca pensei desta maneira,mas é uma boa saída.

      Excluir
  22. Oi, Betty. Excelente artigo! Com a experiência de vida, a gente vai aprendendo muita coisa não é mesmo? Mudar de foco me lembra uma frase que eu li que dizia: não confie sua felicidade naquilo que não depende de você. Ou, então: se as coisas não vão mudar, mude sua maneira de lidar com elas. É libertador! Beijos carinhosos. Denise

    ResponderExcluir

Voltar ao topo
© Gosto disto!
Todos os direitos reservados.
Personalizado por: Elaine Gaspareto
imagem-logo