Até que ponto é amor?


Até que ponto é amor?


Todo mundo já fez loucuras de amor na adolescência, se você não fez não tem ideia do que perdeu. Sabe aquela choradeira no quarto fechado que parece que não vai ter fim? Pois é, eu já passei por isto, mas o tempo passa e depois dos 20 a gente vai tomando juízo. É claro que se apaixona. Para se apaixonar não precisa ter 13 anos de idade, qualquer época é época, mas a fase de loucuras fica esquecida lá na adolescência. Quando a gente lembra o que fez dá uma risadinha muda e não conta para ninguém, melhor não recordar.

Tem gente que não perde esta capacidade de fazer bobagens por amor. Acho que são pessoas mais passionais, para não dizer com um parafuso a menos. Este tipo de gente é que ”mata por amor”, e aí já me aparece a pergunta pela primeira vez: até que ponto é amor?


Mas o que eu quero falar é de algo menos drástico do que morte morrida por amor, mas sim de paixões incendiárias, normalmente unilaterais, que algumas pessoas nutrem independente da idade.


Até que ponto é amor?


Eu estava no facebook e deparo com a foto de uma conhecida com o ex marido. Abraçadíssima! Amorosíssima!  Com uma legenda tão doce que seria mortal para um diabético. Esta pessoa tem três filhos com ele, sendo que desde o primeiro ele parecia não querer. Casamento feito e mal feito ela resolve costurar esta união instável com mais um filho. Com dois filhos para criar, ele virou as costas e foi embora. O tal do caso “ele não está assim tão a fim de você” um tanto tardio. Sei lá o que ela fez que apareceu grávida do terceiro filho! Quando vi aquela barriga achei que era caso de insanidade, mas cada um sabe de si. Pois bem, ela amargou uma gravidez sozinha já tendo dois filhos para criar.

Fim de casamento consumado.

Agora o último filho já está sendo alfabetizado, e ela me aparece no facebook cheia de amor para dar ao mesmo homem.

Pode parar! Até que ponto é amor?




Estou falando deste caso como exemplo, por estar chocando porque está acontecendo agora, mas estou cansada de ver mulheres (se este mal aflige aos homens é em proporção muito menor) se arrastando atrás de homens que não gostam delas e deixam claro este não gostar. Estou cansada de ver mulheres fingindo que não sabem que o marido tem uma namorada com a qual viaja nos finais de semana. Estou cansada de ver namoradas fingindo não saber que o cara é casado (não, ele não some porque é ocupado demais, mas sim porque é CASADO).

Vira e mexe aparecem fotos aqui na net de faixas colocadas em via pública declarando o seu imenso amor por um Fulano que vai casar com outra.

Este amor de mão única não é amor. É falta de amor por si mesma. Quando é que as mulheres vão aprender a se amar um pouco mais e entenderem que não existe relacionamento de uma pessoa só, que são necessárias duas pessoas para formar um casal?

Se você está caindo nesta história deste louco amor unilateral, pare e se pergunte: ele faria o mesmo por mim? Acrescente aí: ele faria o mesmo por mim agora? Não adianta esperar ele mudar, porque não vai. Se ele não tem a capacidade de amar você hoje, não vai ser amanhã que vai desenvolver este sentimento que você quer que ele tenha por você. Se a resposta for não, então caia fora. Eu sei que é fácil falar e difícil de fazer, mas cabe aí um terapeuta para ajudar nesta solidão que você quer acreditar ser a dois, e não vai ser um terapeuta de casais, pois se você não entendeu, então é bom saber: ele nunca esteve e nem estará a fim de você.


Beijinho da blogueira

Fotos antigas á venda no ebay
Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

42 comentários:

  1. Muita gente vive Betty, um amor de necessidae!
    Quem não sabe se amar de verdade,fica cheia de carências e se auto afirma no outro para se encontrar. Sim,eu fiz loucura por amor,sim eu amei de verdade,me apaixonei muitas vezes,mas hoje te digo,amor de verdade tenho pelo meu filho,lindo dia para ti,beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que fazer loucuras por amor faz parte de uma fase da vida, mas com a idade a gente aprende o que é realmente amor.

      Excluir
  2. Realmente o amor não é uma via de mão única! Muitas mulheres não têm amor próprio e se não se amam, como vão amar o outro? Quando mais jovem fiquei presa a um relacionamento por 10 anos e que não me fazia nada bem, mas eu tinha o péssimo pensamento de achar que "ruim com ele, pior sem ele!" Um dia acordei, me olhei no espelho e disse: o quê? Pode parar! Dei um basta! Muitas mulheres querem viver o conto de fadas, eu quis, quem não quer?! Os contos de fada nos apresentam um príncipe lindo, gentil e maravilhoso, mas na vida real a coisa é bem diferente! Não existe ninguém pronto, temos nossos defeitos, nossas imperfeições! Por isso que "amar não é querer alguém construído, mas sim construir alguém querido!" O amor é recíproco, se constrói juntos, como vc disse "não existe relacionamento de uma pessoa só!" E tem mulher que ainda diz ao ser amado (que não a ama!) que o amor dela é tão grande que dá para os dois! Oi? Como assim??? É pra rir ou pra chorar? Só rezando muito, viu?!

    Bjs Betty, adorei o texto, lindo dia! =)
    Vivendo e Aprendendo
    Fotos e Prosas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Si,
      Eu já caí na besteira de enxergar príncipe em sapo, mas a fichá caiu e eu me mandei. É claro que o sapo virou um ser rastejante Qdo viu que para mim tinha bastado, mas não tinha mais jeito, depois que vc vê como a pessoa realmente é, não tem magia que faça voltar ao início.
      Mas tem gente que demora muito para ver!

      Excluir
  3. Muito bem colocado tudo aqui,Betty! Há que faça coisas que não é amor! É teimosia, burrice, idiotice até! Me desculpem, mas vemos cada capachilda, sendo humilhada e não caem a ficha. Aff! Me errem essas! Não tenho saco e pior, depois vem se queixar pra nós. Fuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuui, nessas horas!rs...

    bjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ri muito com a "capachilda". Não conhecia o termo, mas vou incorporar.

      Excluir
  4. Excelente texto, Betty, mas infelizmente há mulheres doidas assim! Eu conheço umas! Triste, muito triste. Beijinhos e lindo dia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria Luiza,
      Não deveria existir nenhuma, mas infelizmente a gente conhece "umas".

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  5. Falou Td Betty, tem muita mulher querendo "se enganar"
    Amor é cuidado, é carinho , é tesão, td junto. E tb vejo
    muito lambe lambe no face q as vezes parecem q as pessoas
    querem vender aquele amor maravilhoso pra todos, ou seja,
    convencer os outros de que td esta maravilhoso.

    bjus
    ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EstAs utopias amorosas são mais fáceis de vender no mundo virtual do que no real.

      Excluir
  6. Betty,
    perfeito o seu post, concordo com vc que esse tipo de amor unilateral só pode ser por falta de amor próprio. É difícil as pessoas que estão acomodadas em um relacionamento doentio assim se livrar. Creio que o outro lado (no caso o ex da sua amiga) contribui para dar esperanças a ela. Os homens acabam tendo medo de dispensar com todas as letras e sempre deixam uma faísca para ter sempre aquele rabo de saia aos seus pés. Cabe a mulher perceber e se livrar disso. E não adianta conselhos.
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já li algo a respeito de que os homens se casam mais com o casamento do que com as esposas, tanto é que quando um casamento esfria a mulher (mulher norma, não a carente) quer sair por falta de amor e os homens não entendem isto, pois estão acomodados no casamento. Talvez seja esta acomodação que algumas mulheres entendem como amor.

      Excluir
  7. Você tem toda razão, Betty, somente uma pessoa insana cai nessa!
    Cada caso é um caso, existem homens que são perfeitos carrapatos e não há como se livrar de uma pessoa assim, a não ser deixar que ele te mate!
    Quando quis me livrar, não consegui e adoeci!
    A minha salvação foi a fé, Cristo me fortaleceu para dar um basta e tirar o mal da minha vida, ter entrado com o divórcio em outra cidade, para conseguir me livrar, mesmo perdendo tudo e até parte da minha casa.
    Antes desse indivíduo, sabia lidar muito bem com meus sentimentos e até dava conselhos para mulheres, pois achava um absurdo elas se submeterem a isso. Nunca fui atrás desse homem, mas é difícil para uma mãe, quando seus filhos a acusam e até ameaçam te matar.
    Não tive escolha Betty, não queria filhos assassinos!
    Hoje, depois de sentir na pele, não julgo mais ninguém, porque o que se passa entre 4 paredes, às vezes nem as paredes percebem!
    Aconselho, sim, para que denunciem as agressões, mas mesmo assim fico preocupada, não temos pessoas gabaritadas para atender às mulheres em situação de risco, uma vez que a impunidade impera.
    Estou levando a público, para inibir o predador, estou ameaçada de morte!
    Não tenho mais medo de morrer, todos meus filhos estão casados, não precisam mais de mim, não tenho mais o que perder, mas deixo registrado e publicado quem me ameaça!
    Quando estamos numa relação assim, é porque desistimos de viver, nos entregamos, por acreditar que é nosso carma, não conseguimos raciocinar direito!
    Perdemos nossa auto-estima.
    Só mesmo a fé consegue nos libertar desse cárcere!
    Agradeço, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, Maria Teresa, eu pensei que tivesse enfrentado algumas relações ruins na minha vida, ,as o seu caso é grave! Parabéns por não se amedrontar e se libertar.

      Excluir
  8. Oi Betty!
    Concordando com você em gênero, número e grau!
    É isso mesmo...tem coisas que não entram na minha cabeça..como pode ser amor, se a pessoa nem mesmo se ama?!

    Falou tudo, e esse é mesmo só um exemplo.

    :**

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pelo texto amiga!
    Infelizmente esse assunto é triste. E quando acontece com alguém que a gente gosta, e a gente não pode ajudar, fazer nada... É porque conselho não adianta, a gente fica é mal na fita. É triste...
    Boa tarde Betty, bjus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não tenho tanta liberdade com esta pessoa que eu citei aqui, ,as gostaria de ter para poder ajudar. Com sorte ela lê este post, mas se ler, será que vai se ver nele?

      Excluir
  10. Betty, olá! Que crônica, hem amiga... que crônica =0)
    Betty, tenho essa questão em família e até esse momento, não consigo entender. Juro!!!!

    Um casamento acabado e ela, ainda, fazendo poses e divulgando posts de viagens e afins para o ex saber. Me pergunta se ele faz o mesmo em relação a ela? Na-da!

    Queria saber porque mulher é assim. Que questão é essa de não entender quando as coisas terminam e a gente, elas, mulheres, ficam passando recibo de boboca para os ex companheiros terem a certeza que ainda tem essas mulheres no estalar de um dedo.

    beijos mais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paula,
      Este tipo de comportamento é patético, por mais que eu tente evitar esta palavra não consigo encontrar outra para definir.

      Excluir
  11. Betty
    Você sabe que ainda busco um amor bilateral hahah Mas, quando me deparo com tudo isto que você, pois tenho amigas que são cegas ou sei lá, que amam o amor unilateral. Me pego agradecendo por está sozinha hahaha. Peço que se o amor um dia chegar, que eu não fique cega, nem burra, nem doida hahah
    Ótimo post.

    Beijos,
    DMulheres
    @dmulheres

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sheyla,
      Esteja certa que é melhor estar só do que ter um amor inventado. Isto não é amor, é desamor por si mesma.

      Excluir
  12. Betty, realmente é melhor nem lembrar das loucuras que já fizemos por uma pessoa que achávamos ser o "homem de nossas vidas"... Diferentemente do que vemos, o amor traz paz, sossego, conforto, e eu não tive nada disso quando me meti com a pessoa errada. Felizmente eu percebi a tempo e mudou o rumo da história... mas tem gente que não consegue enxergar e vai dando chances pro azar.
    bjk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho até válido dar uma cabeçadas por amor, quando a gente é adolescente, mas vejo mulheres fazendo loucuras aos 40, 50, 60! Vamos falar a verdade, nem sempre loucura é amor e tem gente que não sabe traçar está linha divisória.

      Excluir
  13. Estou digitando com os pés, porque minhas mães estão ocupadas batendo palmas hahaha.
    Sério, seu textos é sensacional.

    Eu acredito que o amor entre um casal é racional, portanto é uma escolha (na verdade, esse meu ponto de vista é bem complexo, mas resumindo é isso). Acredito que uma mulher que sofre com seu relacionamento tem a capacidade de escolher não amar mais este homem (não é instantâneo) e se não tem essa capacidade, é doente e precisa de ajuda.

    Não consigo aceitar mulheres que apanham de seus maridos ou são traídas por seus namorados com frequência e toleram isso dizendo que os amam. Elas confudem amor com "dependência", elas acreditam que precisam desses homem, que sem eles não conseguiram viver (ou que "ruim com ele pior sem ele"). Elas precisam de ajuda.

    Parabéns pelo post
    Thaís Xavier

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thais,
      Eu seria uma péssima delegada de Delegacia da Mulher, pois se uma mulher chegasse me dizendo que apanhou do marido, na hora eu iria perguntar se ela reagiu e se não tivesse reagido eu iria ensinar como fazer. Então eu acabaria tratando violência com mais violência, o que sei que não é correto, mas fico tão revoltada que quero que a vítima reaja!
      Ri muito com o "digitando com os pés".

      Excluir
  14. Hello, Betty!
    Infelizmente tem muitas mulheres carentes e não tem amor próprio e acabam
    se submetendo a esse tipo de amor.
    Se o casamento acabou cada um segue o seu rumo, viver de ilusão não dá, o ex
    não tá nem aí, já está em outra.
    Em ambas as partes tem mulheres e homens que tem comportamentos estranhos quando
    acaba o relacionamento, precisam de tratamento urgente.
    Mas essa aí superou, divulgando posts de viagens e tudo mais p/ o ex, saber, rsrs.

    Bjs ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem gente que não precisa nem de casamento ou um relacionamento sério para chegar a um ponto de descontrole. É desamor por si mesma.

      Excluir
  15. Uau! Tirou as palavras da minha boca!!!!
    Menina, o que eu vejo de mulheres nessa situação, você não imagina!
    E o pior são aquelas que não procuram ajuda e acham que amor é isso...
    Adorei seu comentário aí encima sobre mulheres que apanham do marido, que é isso? e ficam quietas, continuam na relação? e algumas ainda transam para fazer as pazes depois de apanhar!!! Loucura!
    Gente, e os casos de homens avisando a esposa que eles estão tendo um caso através de mensagem no whatsapp???? E elas os chamam para conversar!!!! Ai Jesus!!!!
    Nossa, eu sou espanhola demais, tá bom que um homem fizesse algo parecido, eu ia sapatear encima dele!!! E nunca mais iria querer ver a criatura.
    Dez com louvor para você, amiga!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb não tenho sangue de barata. Sempre disse que se um homem batesse em mim, que fizesse para ao menos me desmaiar, pois se eu levantasse não ia ser para bater,mas sim para matar. Sempre digo, não sou boazinha, mas sou justa e solidária.

      Excluir
  16. Betty, pra mim isto não é amor, é falta de auto-estima, é dependência emocional e/ou financeira é medo de dar uma guinada e mudar de vida e/ou melhor enfrentar a vida. Super bj.
    www.brasildobem.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O caso que eu citei no post, ela é rica, muito rica, e ele é de u,a classe inferior. Não se trata de dependência econômica, mas sim emocional.

      Excluir
  17. Oi Betty... já tive um momento de besteira assim na minha vida... era apaixonada e beijava o chão de uma pessoas que não queria nada comigo, ainda bem que me dei conta rápido e não houve maiores estragos, mas vejo também muitas mulheres assim por aqui, que até agridem outras mulheres porque são elas as culpadas pelas escapadas do marido... seria cômico se não fosse trágico... beijosss!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tinha me esquecido deste foco: mulher que culpa a outra pela escapada do marido. Este tema já daria outro post.

      Excluir
  18. Oi Betty
    Graças ao bom Deus não passei por nada tão radical como isto, uns namoradinhos que não estavam a fim de assumir nada sério, mas que passaram bem rápido pela minha vida, e acabei encontrando meu marido, somos casados há 30 anos, felizes, de bem com a vida,claro,não somos perfeitos, mas temos respeito e confiança um no outro.
    Tenho um exemplo bem próximo a mim de mulher que se submete às escapadelas do marido e continua com ele, por falta de opção ou por pensar mais nos filhos.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acredito em uma mulher que fique com o marido por causa dos filhos. Meus pais eram muro mal casados e eles viviam dizendo que estavam juntos por minha causa, até que eu fiz 13 anos e comecei a entender um pouquinho mais da vida. Coloquei os dois contra a parede e disse que por minha causa não precisavam se sacrificarem, pois eu não aguentava mais a situação. Separaram? Não, continuaram brigando, mas pararam de jogar a culpa nas minhas costas.

      Excluir
  19. Ola,Betty. Excelente posto. Parabéns. Aqui em Portugal também ha muito desse tipo de mulheres sofredoras, mas que aguentam, e isso não devia acontecer. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que este tipo de mulher não depende muito de área geográfica. Rsrsrs

      Excluir
  20. Oi Betty! Faz tempo que não apareço por aqui... estou um pouco afastada do meu blog e sem tempo para visitar os blogs que gosto. Puxa esse assunto rende muita conversa! Vejo muitas mulheres passando por situações assim... Tive uma amiga próxima em um relacionamento péssimo. Dei conselhos mas no fim das contas o cara conseguiu fazer ela perder as amizades. Eles ainda estão juntos, acredita? Juntos em uma semana, separados na outra, e lá se vão vários anos... Infelizmente isso é muito comum. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já fui afastada de amizades por um cara que não valia à pena e não foi fácil sair do relacionamento, mas quando me libertei quem sofreu foi ele.

      Excluir
  21. Oi, Betty. Estou atrasada com os comentários, mas vou pô-los em dia agora rsrsrs. Adorei seu artigo, penso da mesmíssima forma. Já fui muito boba e tolinha com os homens quando era mais nova, mas, hoje me dia, começou a me maltratar, eu ponho pra correr e não tem volta. Também vejo cada coisa que não consigo acreditar nas atitudes carentes e desesperadas de algumas mulheres. Acho que é muito cultural, como diz a antropóloga Miriam Goldenberg, marido no Brasil é capital, então a brasileira que não tem marido é considerada inferior, fracassada até discriminada. Num país machista como um nosso, uma mulher casada impõe muito mais respeito do que uma mulher sozinha. Por isso, eu queria morar na Europa. Lá o valor da mulher está na sua capacidade intelectual, na sua carreira profissional, não no seu estado civil. Beijos carinhosos, Denise

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito quem ,árido já foi capital, mas será que ainda é assim? Acho que não. Compromete mais estar com um idiota do lado do que estar sozinha.

      Excluir

Voltar ao topo
© Gosto disto!
Todos os direitos reservados.
Personalizado por: Elaine Gaspareto
imagem-logo