Pare de se comparar com os outros


Pare de se comparar com os outros


Pode parecer brincadeira, mas mesmo na idade que estou, e não sou nenhuma menininha, vivo me deparando com pessoas que fazem comparações, e se eu não tomar cuidado, posso cair nesta rede. São pessoas invejosas? Algumas são sim, mas a maioria é somente insegura.

Eu estou falando pessoas, mas na verdade estou falando mulheres, pois 95% das pessoas com quem convivo e me relaciono, são do sexo feminino.

Eu mesma já caí nesta rede perigosa da comparação, mas o amadurecimento me fez dar um basta e pode acreditar que minha vida melhorou um bocado depois que aprendi umas coisinhas...

1. Auto-aceitação

Eu não nasci de cabelos loiros e me tornar loira foi um acidente quase programado, ou seja, as luzes foram acumulando e eu fui aloirando, mas até hoje estranho quando me chamam de loira.
Sou baixinha e gostaria de ser mais alta, então uso muito sapato de salto.

Um dia estava conversando com uma amiga que realmente é loira e tem quase 1,80m de altura e brincando falei que eu estava fazendo o tipo loira alta, pois estava usando um sapato de plataforma. Ela olhou para mim e disse que eu nunca seria nem loira e nem alta.

Ela estava coberta de razão e naquele momento acenderam duas luzes poderosas que me fizeram ver duas realidades:

1º) O que ela disse era verdade e eu passei a me aceitar como sou, nem loira e nem alta. Posso usar salto, não usar salto, mudar a cor do cabelo, mas dentro de mim sou uma castanha de 1,60 m e não me incomodo nem um pouquinho com isto.

2º) Esta amiga não era tão amiga assim, pois quem gosta da gente nunca é tão mordaz, não é mesmo?

Sabe aquela oração de São Francisco de Assis que diz para mudar o que pode ser mudado, aceitar o que não pode e saber ver a diferença entre uma e outra coisa? É isto aí, se você está se sentindo mal por estar acima do peso, então procure uma nutricionista, você pode emagrecer. Se você gostaria de conhecer Paris e até hoje não teve dinheiro para ir, está na hora de se programar e guardar dinheiro para a sua sonhada viagem. Mas pare de lutar com moinhos de vento sonhando com aquilo que nunca vai ter, como mais altura, por exemplo, ou um pai rico.

2. Concentre-se nos seus pontos fortes

Todas nós temos pontos fortes e fracos. Quando eu era adolescente, como a maioria das adolescentes, eu focava naquilo que não gostava em mim, como minhas pernas, que são finas. Daí criava o meu calvário escolhendo roupas para esconder minhas pernas finas, minha cintura grossa, minha pouca altura...

Hoje eu continuo tendo estes mesmos problemas, só que em lugar de me preocupar com aquilo que eu não gosto, trato de realçar aquilo que gosto.

Se você tem um belo colo, valorize-o com decotes. Tem olhos bonitos? Use a maquiagem certa, que os destaque. Tem pés bonitos? Sandálias neles. Mãos bonitas? Anéis.

Vai por mim, pois valorizar o seu lado bom sempre funciona, e não apenas quanto ao aspecto físico. Se você não é fluente em inglês, não tem problema, peça para traduzirem e use o seu melhor sorriso ao pedir.

3. Esqueça o perfeccionismo

Este é o meu pior defeito, ou era, até que resolvi ter um blog e tive que aprender a aceitar que nem tudo tem que ser perfeito.

Eu adorava fazer crochê, mas demorava trocentos anos para terminar uma blusa, pois se a blusa estivesse quase pronta e eu descobrisse um pontinho errado lá no começo, eu desmanchava a peça todinha e começava de novo. Desmanchava e recomeçava tantas vezes que acabava por transformar a tal blusa em um novelo de lã que ficava guardado esperando pela minha coragem de fazer novamente.

Eu desisti de pintar porque me convenci que eu não tinha um traço tão preciso quanto um Da Vinci. Embora os professores dissessem que eu era ótima, eu não me conformava por não atingir a perfeição.

Blogar é ter um post novo todos os dias on line e se eu ficasse bordando e rebordando, como eu sempre fiz com tudo na vida, você não estaria lendo isto aqui. Tive que aprender que sou imperfeita e que posso errar, engolir letras, recortar mal um foto, mas o show vai continuar.

Fica a dica: Não tente ser perfeita, pois ninguém é. Pare de se comparar com os Da Vinci da vida, pois se Van Gogh tivesse se comparado com ele, jamais teria pintado. Dê o seu melhor e vá em frente.


Pare de se comparar com os outros


4. Se for competir que seja com você mesmo

Eu já fui vítima de uma stalker, ou seja, uma blogueira se fez de amiga e passou a me perseguir on line. Virou uma doença, pois ela começou a seguir meus amigos, meu parentes, pessoas homônimas e quando eu a interpelei, dizendo que não estava gostando do que ela estava fazendo, ela me disse que achava que essa competição entre blogueiras era saudável.

Este tipo de competição não é legal. Agora o blog está grande o bastante para que outras blogueiras não entrem neste tipo de competição comigo, mas se você tem um blog que recebe até 1.500 visitas por dia, este tipo de competição entre blogueiras, supostamente amigas, é bem comum. E uma fica vigiando o blog da outra para ver se está com mais seguidores, se o instagram está crescendo, como está indo a página do blog no Facebook.

Seja no blog ou na vida, a única competição saudável é aquela que você trava com você mesma. É claro que eu quero mais visitas no blog, embora já tenha bastante, mas é bom ver o gráfico das estatísticas na ascendente. Eu também quero aguentar mais peso na academia, mas quero dentro do meu limite, e não ficando de olho em quanto peso a minha colega de turma está levantando.

A dica é esta: supere-se, mas não paute esta superação nos parâmetros alheios.

5. Gratidão

Esta dica eu aprendi com o meu terapeuta, que me perguntou como eu reagia quando algo de ruim acontecia, ou quando eu fazia algo errado. Eu demorei uns bons 15 minutos para contar como era a minha reação. Daí ele me perguntou como eu reagia quando eu fazia algo certo, quando conseguia o que eu queria. E eu disse que eu falava: Yes!

Ele me mostrou que eu dava muito pouca importância aos meus sucessos e engrandecia meus fracassos.
É preciso focar no melhor!

Seja grata, com tudo, com aquilo que você conquistou, com o bem que fazem para você.
Alguém fez algo que ajudou você a crescer, então agradeça de coração.

Você conseguiu uma vitória, seja ultrapassando uma meta que você traçou, seja passando em um concurso, então vá para frente do espelho e se dê os parabéns. Agradeça a você mesma pelo seu empenho e sucesso.


Pare de se comparar com os outros


6. Procure amigos do bem

Quando eu era pequena minha mãe dizia que tatu não anda com porco, ou seja, você deve procurar os seus iguais. Se você é do bem, cerque-se de pessoas do bem. Pessoas do bem não ficam se comparando umas com as outras, não perseguem umas as outras, não competem umas com as outras. Pessoas do bem ajudam umas as outras, acolhem, ensinam aquilo que sabem e gostam de aprender aquilo que você tem para ensinar. Pessoas do bem não somente falam, mas ouvem e como são do bem, querem o seu bem.



Este post foi inspirado em 7 ways to stop comparing yourself to others, mas não é uma tradução ou uma cópia, mas sim escrito com base na minha própria experiência de vida.


Beijinho da blogueira

Fotos: 1- Sophia Loren e Jayne Mansfield via Daily News; 2- NYMag; 3- Foto japonesa dos anos 50, desconheço origem e/ou autoria.
Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

31 comentários:

  1. Beleza de dicas e sugestões.Com elas, vive-se bem melhor. Aceitação é preciso! bjs, lindo dia! chica

    ResponderExcluir
  2. Que dicas preciosas e enriquecedoras, Betty! Adorei! É pra vida toda! Não vou me esquecer! Obrigada! Agora vou lá conferir o seu post "como lidar com comentários maldosos", tem gente que acorda só pra atormentar a vida da gente! Mas já colocando em prática as dicas de hoje: não sou perfeita e vou me concentrar no meus pontos fortes.
    Super beijo, ótimo dia! =)

    ResponderExcluir
  3. Adorei o post Betty! Dicas inspiradoras para colocarmos em prática. Uma coisa temos em comum, nossos terapeutas pensam da mesma forma, sinal que estão cheios de razão. Então, "bora" valorizar o que temos de melhor. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sabia que vc tb fez terapia. Não estou mais, mas foi uma experiência maravilhosa.

      Excluir
  4. Betty
    Tanta coisa aprendi com o passar dos anos, com o amadurecimento, como você diz. O post é bastante enriquecedor, a pior cobrança vem de nós mesmas. Auto aceitação é tudo nesta vida! Sou uma eterna aprendiz de tudo, sempre!!

    Beijinhos,
    Blog: DMulheres
    Instagram : @dmulheres

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu me cobrava muito! agora estou mais boazinha comigo.

      Excluir
  5. Penso que Betty que, a maturidade e estes 12 anos fora do Brasil, me fez ser exatamente o que sou.Simplesmente Patricia,cheia de defeitos,nada nos padrões de moda ,mas feliz.Muito bom este post,um deleite,feliz dia,beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Bom dia, querida Betty!
    Postagem rica com bons ensinamentos.
    Dicas perfeitas para colocarmos em prática, obrigada pela partilha!
    Cada pessoa é única, temos que nos aceitar do jeito que somos e sempre
    melhorar no que for possível.

    Beijinhos, ótimo feriado! ♥

    ResponderExcluir
  7. Betty, Bom Dia!
    Simplesmente, AMEI o post! Obrigada ;)
    Um beijo pra vc

    ResponderExcluir
  8. Betty, vc é tão linda (parece até a Barbie), chique também.
    Temos sim que exaltar os nossos pontos fortes sempre. Inveja sempre atrairemos pois quem é de luz sempre atrai.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem vejo muito como inveja, mas sim como insegurança, mas na verdade todo invejoso é inseguro.

      Excluir
  9. Betty! Que post bacana!
    Cada tópico, uma mensagem pra gente refletir. Adorei!
    Bjs

    www.digoporai.com

    ResponderExcluir
  10. Betty,
    sempre amo esses seus posts que nos levam a reflexão. Aprendi depois de muito levar na cara a andar só com quem quer o meu bem. E isolar aquelas pessoas que me fazem mal, tem inveja de mim. E que horror essa história da blogueira invejosa! Aff... Deus me livre de pessoas assim.
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que isto é bem comum. Tenho visto muitas blogueiras gringas reclamando. Eu achava que era só comigo que tinha acontecido, mas não.
      Tb procuro andar com gente do bem, mas às vezes algumas pessoas que não são bacanas fazem parte do no círculo de amigos e não tem muito como evitar...

      Excluir
  11. Maravilhoso Betty, isso de ficar se comparando com os outros não leva a nada MESMO (a não ser um belo complexo de inferioridade). Cada um é incrível do seu jeito e é isso que nos torna especiais! <3

    ResponderExcluir
  12. Que post maravilhoso, temos que nos amar mais e deixar de querer ser perfeitas comparando com os outros neh! Adoro livros que fala o mesmo que você falou..Parabéns pelo blog..

    https://petitluxo.com/2016/05/25/duvidas-feedhi-brasil/

    ResponderExcluir
  13. Agora vou usar uma expressão que é a cara da minha mãe... "Dá gosto" ler um post desse, parabéns amiga!
    A parte que você fala sobre aceitação, me tocou fundo... aceitar meus cachos, foi duro amiga!
    bjus Betty!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para mim foi duro aceitar minhas pernas finas e hj gosto delas, elas andam bem... vão longe!
      rsrsrs

      Excluir
  14. Oi Betty!

    Parabéns! Que delícia de post! Que ótimos toques vocês deu...me vi em muita coisa...mas uma das coisas que mais me tocou foi quando você falou sobre focar mais nos acertos que nos erros. Como a gente perde tempo se sabotando, não?

    Beijos, Renata
    palpitandoemtudo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre fui uma carrasca de mim mesma, mas estou tentando mudar isto.

      Excluir
  15. Olá, Betty!
    Que presente o seu post. Era tudo que eu precisava ler. Me cobro demais, mania de perfeição e me frustro se as coisas não saem como o planejado.
    Por outro lado, aprendi a ser mais grata, até tenho um pote da felicidade em que faço meus agradecimentos ao longo do ano.
    Big beijos
    Lulu on the sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comecei a fazer este pote de felicidade, mas acabei me esquecendo. Foi bom vc falar, vou retornar.

      Excluir
  16. Oi Betty
    Beleza de assunto, você mandou muito bem, eu já fui muito insegura, me sentia inferior em relação a determinadas pessoas, sempre achei que não tinha talento pra nada. Hoje, do alto dos meus enta e tantos, consegui superar muito esta situação, como você disse- somos seres humanos imperfeitos. Sei que tenho várias limitações, mas por outro lado, tenho outras qualidades tanto físicas como espirituais e morais.
    Um beijo e um ótimo feriado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Além da insegurança quanto ao meu físico, acho que minha maior insegurança era quanto ao meu talento. Se eu tivesse sido mais segura, talvez tivesse outra profissão. Hj tb superei.

      Excluir
  17. Betty, adorei este post!
    Menina, estamos numa sintonia....essas são as armadilhas do predador interno.
    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Betty, excelente, optimo para ler e reflectir.
    Beijos aqui de Lisboa
    Júlia

    ResponderExcluir
  19. Betty esse anónimo aí sou eu Júlia Albuquerque Vieira não consegui entrar em minha conta do Google, como queria parabenizá-la foi assim mesmo só depois vi que vai sem nome. Este vai anónimo na mesma mas pelo menos leva o nome. Beijos

    ResponderExcluir
  20. Oi Betty... excelente post, eu já me comparei muito com algumas pessoas e isso me deixava pra baixo, aí veio a maturidade, os filhos, sei lá, hoje não me vejo comparando com ninguém, sou mais eu, rsrsrs beijosss!!!

    ResponderExcluir
  21. Perfeito, sugestões maravilhosas, Betty,Amei!
    Dias felizes, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir

Voltar ao topo
© Gosto disto!
Todos os direitos reservados.
Personalizado por: Elaine Gaspareto
imagem-logo