Intimidade sim, mas até certo ponto


Intimidade sim, mas até certo ponto


Até que ponto você é íntima de alguém, seja de um namorado, do marido ou de amiga? Intimidade tem limites e limites que podem ajudar ao amor.

Comecei a namorar um médico, cirurgião plástico, que era o sonho de consumo de minha mãe. O cara era culto, rico, com especialização em Paris e tanto ele, quanto meus pais, queriam muito se conhecer. Para mim estava um pouco cedo, o namoro tinha pouco mais de um mês, mas depois de muita pressão, de ambos os lados, fomos recebidos na casa de meus pais, os quais caíram de amores pelo tal doutor.

Combinamos de sair para jantar com os meus pais e estávamos esperando eles ficarem prontos no jardim da casa, quando o tal doutor soltou um sonoro peido. Sim, foi um peido, pois pum é mais sutil, mais meiguinho e aquele peido não tinha nada de meigo.


Intimidade sim, mas até certo ponto


Pode acontecer com qualquer um, é meio chocante, mas acontece e o peidorrento disfarça ou pede desculpas pelo feito. Mas não! Ele assumiu o peido e disse que era saudável e não iria ficar segurando algo que era natural aos seres vivos, e completou com uma rajada de peidos!

Terminamos e nem foi por causa dos peidos, mas digamos que os peidos foram complementos, como o molho de um prato caro. Mas no momento dos peidos eu já sabia que não ia dar para continuar.

Se ele peidava em um mês de namoro, se casado faria o número 2 com a porta do banheiro aberta.


Intimidade sim, mas até certo ponto


Intimidade é bom, pois quando somos íntimos de alguém nos sentimos amparados em nossas aflições, angústias, fraquezas e depois de certo tempo de casamento ou de uma longa amizade, a outra pessoa se torna uma extensão da gente, embora não deva nunca se tornar toda a gente.

Mas todo ser humano precisa de seu próprio espaço, de sua individualidade e quando ela é desrespeitada deixa de ser intimidade e amor e passa a ser desaforo, invasão ou como quer que você queira chamar.

Isto vai além das relações entre casais.


Não confunda intimidade com invasão, com falta de limites, com abuso. Aceitar os limites do outro é amor, é respeito. Ninguém pode ser tudo na vida de outra pessoa e se chegar a ocupar uma parte, ainda que pequena, que faça desta parte um canto muito especial e que mereça ser ocupado.

Beijinho da blogueira

Fotos: 1- Evan Kirby; 2- Ryan Pouncy; 3- Angelina Litvin. Todas via StockSnap.io
Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

42 comentários:

  1. Great post! I love it so much.


    STYLEFORMANKIND.COM
    Bloglovin

    ResponderExcluir
  2. Ui...rsrs... Essa foi boa. Esse médico era muito do despachado. Mas um pouco inconveniente. Esse lance de intimidade leva tempo para termos com outra pessoa. E mesmo assim o encanto da individualidade é bem vinda sempre.
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com o tempo a gente vai relaxando, ficando mais íntima, mas em um mês! Meu marido não faz isto nem com 15 anos juntos!

      Excluir
  3. Eu sempre fui e sou cheia de mesuras ainda. Intimidade é coisa séria e eu continuei assim mesmo depois de casada. Relaxei um pouco com relação a palavrões do tipo bos..., mer..., agora falo sem pudor, mas nem isso eu dizia. Fico escandalizada com pessoas assim, feito o tal médico! Bom, muito bom assunto! Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou muito de palavrões, mas às vezes um PQP é relaxante.

      Excluir
  4. Tudo na vida tem limite e quando o outro ultrapassa o da gente a coisa não dá certo, não é mesmo? Pode até ser uma questão de necessidade, mas também tem a questão do respeito e como dizem os mais velhos... respeito é bom e eu gosto. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não me lembrei desta frase "respeito é bom e eu gosto", senão teria colocado no texto. É perfeita.

      Excluir
  5. Betty...que ótimo post!
    Concordo plenamente com você! Banheiro é algo muito privado, eu mesma gosto de estar lá só. Banho juntos só se for pra namorar, fora isso, cai fora do meu espaço!

    Graças a Deus meu namorado e eu somos bem parecidos em diversas coisas, e a convivência se torna tranquila nesse aspecto.
    :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb penso assim qto ao banheiro. Qdo tomo meu banho estou tirando 20 minutos de férias no dia, não gosto que invadam.

      Excluir
  6. Meu Deus, Betty, eu chamaria isso de falta de educação rsrsrs Eu sou 100% adepta do conselho antigo que a Danuza Leão deu em um de seus primeiros livros. Quando tiver dormido na casa do namorado, quando for ao banheiro pela manhã abra torneiras, dê descarga sem nada, abra chuveiro se necessário para que esses sons abafem qualquer ruído fisiológico que possa acontecer. Recentemente, estava na casa de um cara e o banheiro era perto da sala. Ouvi da sala quando ele foi ao banheiro e soltou um punzinho discreto. Mas aí, nada a fazer. Ele estava no banheiro e eu fingi que nada ouvi. Homem, em geral, ri dessas coisas escatológicas, é até motivo de piada entre eles, já reparou? Mas eu tô fora. Meus ruídos são só meus. hahahaha Beijos carinhosos, Denise

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Denise,
      Não sabia deste conselho da Danuza, mas sabia que a Jackie Kennedy abria a torneira qdo ia fazer o número 2.

      Excluir
  7. Não poderia estar mais de acordo.
    Esse seu namorado não tinha a menor noção das conveniências.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele desmoronou na minha frente, pois até então parecia um cara tão fino!

      Excluir
  8. Eu ri demais.
    Concordo plenamente contigo, cada um deve ter seu espaço pq isso é o mais saudável.O parceiro não precisa ver sua cara cheia de creme e muito menos saber o que você faz no banheiro.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu só passo máscara de argila qdo o marido não está em casa. Tenho medo que ele enfarte se me vir com a cara verde!

      Excluir
  9. OIiii florzinha como vai?

    Eu ri tanto quando li seu post, meu namorado na casa da mae dele, peida o tempo todo, eu fico louca, mas ele sempre foi assim, rsrsrsrrss
    Eu vou ao banheiro e tals, mulher tem mais essas coisas, claro que imagino qdo a gente estiver morando juntos, mas tb já estamos juntos a 8 anos, haja intimidade rsrsrsrs beijos querida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se vc conseguiu se acostumar, tudo bem, mas eu não conseguiria...
      rsrsrs

      Excluir
  10. Sem noção total esse médico hein??? Também não iria durar nadinha comigo. rs...

    ResponderExcluir
  11. Eu vivo brincando no trabalho dizendo: "Pode devolvendo essa intimidade que você acha que eu te dei", mais toda brincadeira tem um fundinho de verdade, acredito que a intimidade vem com o tempo, não um mês, seja com amigos, namorados e afins, tem pessoas que é mais aberta a isso do que outras e criam vínculos mais rápido que outros, não é o meu caso, demoro muito para desenvolver tal amizade, aponto de receber e doar certas intimidades, então é algo complicado nem todos pensam assim rs :D

    http://www.sweetexpected.com.br/

    ResponderExcluir
  12. acredito que tudo na vida exige limites, ser íntimo é bom mas tem casos que eu prefiro ter meu canto, meu momento e se intimidade alguma.

    Beijos :*
    vidro-colorido.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. KKKKKK creio que o medico principe virou Ogro naquele instante rsrsr. meu marido nem depois de 23 anos faz uma coisa dessas e olha que ele é e desencanado e ri quando os outros aprontam essa. Intimidade tem que ser conquistada e respeitada. Um beijo da Eliane.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou casada há 15 anos, mas meu marido não faz isto e nem eu com ele. Tenho cá meus limites.

      Excluir
  14. Dei muita risada da maneira como você relatou o caso. Foi enfeitando o tal médico, e, de repente, a surpresa. Ri muito, viu? e a cara do cachorrinho, então? é a cara que eu faria numa situação dessas. Valeu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi a cara que eu devo ter feito qdo o fato aconteceu, daí o cachorrinho estar aqui para ilustrar.

      Excluir
  15. Achei super divertido seu texto, sua experiência afinal! Mas quem não passa por isso não é!!!
    Concordo contigo, respeito na intimidade! Amei a cara do cachorrinho, hehehehe!
    Beijos
    CamomilaRosa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Queria uma carinha de espanto e a cara do cachorrinho diz tudo, não diz?

      Excluir
  16. Oi Betty,
    Achei muito divertido a forma como escreveu o texto, e a carinha o cachorro ilustrando o seu sentimento, rsrs... Intimidade é uma coisa que se adquire com o tempo, e mesmo assim tem coisas que podem ficar somente na sua intimidade, o banheiro é uma delas.
    Bjs❤

    ResponderExcluir
  17. Minha nossa! Fiquei rindo demais da situação e as pessoas costumam guardar isso por um tempo, mas depois começam a fazer isso, a arrotar, ir ao banheiro de porta aberta e tudo mais. Acho isso relevante agora, Betty, intimidade demais cansa e chateia e fica demais em qualquer relacionamento, mas eu não pensava assim, sabia? Achava tudo normal e invadia a vida do outro demais, algum tempo depois quando senti na própria pele, eu vi como era invadida e desrespeitada em vários momentos, perdi a minha privacidade, meus momentos sozinhas e tão meus. Então, aprendi e não é frescura como muita gente acha.
    Bom texto!

    Beijokas,
    DMulheres
    @dmulheres

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu preciso do meu espaço, até mesmo com amigas. Eu cortei o texto para não ficar muito longo, mas tive problemas tb com uma amiga íntima que se acho no direito de mexer na minha agenda. Mesmo na amizade existem limites para a intimidade.

      Excluir
  18. Achei teu texto muito engraçado, mas a situação não.
    Que horror, "um moço com tantos predicados", como diria minha mãe. Pura falta de educação.
    Boa noite Betty, bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O cara parecia tudo de bom, mas a primeira revelação de que não era foi com os peidos, depois vieram mais coisas. Nem sempre escolaridade e dinheiro fazem alguém ser fino, educado.

      Excluir
  19. Pelo menos espero que agora você consiga rir da situação, haha. Concordo muito com sua colocação. Eu estou morando com meu namorado há pouco menos de quatro meses e muitos amigos ficam mandando uma pergunta para me incomodar: "já rolou peido embaixo das cobertas?". Eu fico louca. Por sorte, meu namorado também não quer que tal situação aconteça (ufa). Tem gente que diz que um relacionamento precisa ser completamente transparente, mas eu já penso como você - há diferentes tipos de situações e cada pessoa pode estabelecer seus limites.

    Beijos,
    Bru
    http://www.moderando.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna,
      Eu vejo grandes diferenças entre transparência e invasão de privacidade. Eu preciso de um espaço meu para poder sobreviver dentro de uma relacionamento, tem gente que não precisa.

      Excluir
  20. Essas coisas (puns, arrotos, etc), apesar de serem "normais", devem ser evitadas em público e muito mais, na intimidade de um casal. Acaba com qualquer romantismo ou sensualidade. Isso na nossa cultura. Não vou nem entrar no mérito da cultura oriental, pois acho que nela o teu doutorzinho se daria muito bem, hahaha...
    Para não desgastar o lado mágico de um relacionamento, não é necessário casas ou quartos separados, mas banheiros separados fazem toda a diferença!
    Beijocas,
    Ana
    www.viagensebeleza.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei curiosa sobre a cultura oriental... Que tal escrever um post sobre isto?

      Excluir
    2. Pois é, Betty, ótima ideia, vou escrever sim! A cultura oriental varia de acordo com o país, mas muita coisa é semelhante. Tem coisas maravilhosas, mas tem outras que para nós, ocidentais, pode parecer muito estranho. A cultura que eu vivenciei de perto e por alguns meses (em 2015 e 2016) é a cultura indiana, então posso falar sobre o que eu vivenciei por lá. É bem curioso... Beijos

      Excluir
  21. Ao mesmo
    Tempo que é engraçado , pra mim é constrangedor. Ninguém é obrigado a sentir os aromas e barulhos alheio. Sei que é natural mas ainda penso que o banheiro é o melhor local pra isso. Se escapar paciência... O negócio é rir ou fingir que nada aconteceu.

    ResponderExcluir
  22. Ah, eu também terminaria! rsrsrs
    Até hoje meu marido não peida na minha frente, e já se vão 7 anos de casamento. E não fui eu que pedi, ele mesmo não gosta disso! rsrsrs
    Eu acho que tem que ter limites, pelo menos no namoro...tem gente que com o tempo de casados relaxa e eu não vejo nada demais...bjosss

    ResponderExcluir
  23. ahaha... ri muito, desculpe!
    Olha, tenho um amigo há uns 12 anos já e, ele faz exatamente isso, ele é Suiço faz isso em qualquer lugar e solta aquela: il est naturel !
    Graças à Deus , encontro apenas 1 vez à cada 2 anos... terrible ! =P

    ResponderExcluir
  24. Nossa Betty, é isso aí, não pode ter tanta intimidade, uma vez ou outra um pum escapar tudo bem, mas direto é falta de respeito com o outro... fiquei imaginando a situação, rsrsrs Beijosss

    ResponderExcluir
  25. Betty, excelente sua observação, intimidade não inclui desrespeito.
    Esse comportamento é própria de um agressor, opressor, que, invariavelmente, iria fazer você engolir, o pacote inteiro, que pode ser um monte de "2"...
    Excelente domingo, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  26. Betty desculpe mas eu ri muito, imagino sua cara de espanto.
    É verdade, tem um limite para intimidade e olha que isso não deveria ser nem entre os mais íntimos dos íntimos. Esse é um caso de intimidade propria, ou seja, você com você mesmo rsrsrs.

    Eli Martins | Blog Encantada
    www.encantadahome.com.br

    ResponderExcluir

Voltar ao topo
© Gosto disto!
Todos os direitos reservados.
Personalizado por: Elaine Gaspareto
imagem-logo