A regra das 48 horas – não apague incêndio com gasolina


A regra das 48 horas – não apague incêndio com gasolina



Esta regra das 48 horas, se eu tivesse aprendido antes, teria me salvo de muitas coisas na vida e resolvi compartilhar com você, pois acho que pode ser útil.

Sabe quando algo ruim acontece? Pode ser uma briga com o marido, namorado ou namorido, pode ser uma desavença em família, uma batida de carro, um contratempo no trabalho, enfim algo que aborrece muito e que você desmorona, tem vontade de chorar, gritar e se promete que tudo vai mudar.

Acredite somente numa coisa, tudo vai mudar, independente de promessas.

Nessas horas ruins se dê 48 horas antes de fazer qualquer coisa, tomar qualquer decisão. Eu sei que você acha que não tem este tempo todo, mas tem. Acredite que tem. 48 horas é mais do que contar até 10, pois às vezes, contar até 10 não resolve nada.

Tenha em mente que qualquer coisa que você fizer antes destas 48 horas será como tentar apagar o fogo com gasolina.

Em 48 horas os fatos não vão mudar, mas a sua visão sobre o que aconteceu vai.


A regra das 48 horas – não apague incêndio com gasolina


Se você está pensando em se separar de um marido que a traiu com a sua melhor amiga, em 48 horas ele vai continuar sendo um traidor, alguém em quem você não vai mais confiar, mas ao menos nessas 48 horas você se resguardou e não tomou um porre de cair na sarjeta e os cachorros de rua lamberem sua boca, nessas 48 horas você não precisa transar com o porteiro do prédio onde mora para se sentir melhor.

Deixe a fervura de seu sangue baixar e respire fundo.

Em 48 horas depois de uma traição monstra, provavelmente você vai estar procurando o melhor advogado para tratar de sua separação e quem sabe esse advogado não seja alguém interessante? Tenho uma amiga que se casou com o advogado que tratou do divórcio dela, se formou em direito (ela era professora) e passou no concurso se tornando juíza.

Juízo é bom e ele sempre aparece depois que o sangue deixa de ferver nas veias, e em 48 horas vai baixar a fervura.

Não faça nada nestas 48 horas de que você vá se arrepender depois, aliás, não faça nada de nada. Se dê um tempo.

Eu teria me dado melhor na vida se tivesse aprendido esta regra das 48 horas antes e talvez não tivesse me casado com quem não devia, não tivesse perdido o emprego, não tivesse ofendido pessoas que não mereciam.


A regra das 48 horas vai fazer de sua vida uma vida melhor, mas acima de tudo, vai fazer de você uma pessoa melhor.

Beijinho da blogueira
Fotos Pexels
Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

26 comentários:

  1. Bom dia! Post incrível, adorei!
    Com certeza isso é verdade, tenho vários casos para ilustrar...vc colocou muito bem.
    E vamos esperar, sentir melhor e raciocinar melhor sempre que possível!
    Beijos, ótimo dia!
    CamomilaRosa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb conheço vários casos e no momento em que escrevia este post, um caso estava acontecendo muito próximo amim. Detalhe: a pessoa estava tão descompensada que ninguém conseguia falar nada, pois tudo que ela queria ouvir é que estava certa.

      Excluir
  2. Perfeito isso! Eu, em 48 horas já coloquei fogo na floresta inteira. já o apaguei, rs... Vale esperar, repensar em tudo e não agir por impulso... bjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já fui assim, até que aprendi a ficar fria. Não é fácil, mas é possível.

      Excluir
  3. Bom dia! Esse post caiu como luva para mim hoje. Estou aqui fervendo de raiva e nas redes tipo assim "porque estou andando de um lado para outro" e suas palavras estão me levando a esperar as 48 horas. Gratidão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espere, você verá que compensa. Deixe a fervura baixar.

      Excluir
  4. Eu jamais tomo uma atitude de cabeça quente, isto já faz parte da minha personalidade, e atualmente ainda trabalho como conciliadora/mediadora ai é que eu sou mais ponderada ainda.
    Ótima dica, uma pena que nem todo mundo vai agir conforme vc orientou, se agissem, o mundo seria bem melhor.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não só o mundo seria melhor, mas seriam pessoas melhores com vidas melhores. Eu já fui cabeça quente e aprendi nas cabeçadas que eu já dei.

      Excluir
  5. Pra mim nada como dormir e acordar com uma nova visão dos fatos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isto mesmo, Clara, uma questão de foco.Deixar a poeira abaixar, muda o foco das coisas.

      Excluir
  6. Oi Betty,
    Eu tenho na minha vida hoje que é sempre melhor tomar qualquer atitude de cabeça fria. Eu aprendi isso com o tempo... mas já quebrei muito a cabeça. Amei o post!
    Bjs❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tb... Hj me acusam de ser fria demais, racional demais, mas não sofro e, principalmente, não faço ninguém sofrer.

      Excluir
  7. Oi, Betty! Muito legal esse post. Boa reflexão e concordo 100% com vc. Na tensão do momento, a gente faz besteira mesmo. Eu já fui mais imediatista até que percebi que estava sendo assim mais por causa dos outros que exigiam de mim uma posição. Era sofrimento dobrado. Meu ritmo é dar um tempo, para me distanciar do fato e poder ver tudo com mais objetividade e não com a emoção pura e simplesmente. Nem sempre, porém, é possível. Tive um namorado que era estourado, queria tudo pra hoje, eu pedia um tempo e ele não aceitava, forçava a barra até eu não aguentar mais. Ainda bem que me separei dele, fiquei livre daquela falta de bom senso e serenidade. Beijos carinhosos, Denise

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Denise,
      Já fui mais passional, hoje sou bem racional, às vezes sou irritantemente racional. Meu marido é o passional do relacionamento.

      Excluir
  8. Adorei a dica, tudo que a gente faz de cabeça quente e no impulso gera um arrependimento.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  9. Reflexão interessante, Betty, gostei!! Realmente depois desse tempo as coisas mudam! Bjos

    ResponderExcluir
  10. Boa dica. Já apliquei e funciona!

    http://juliamodelodemodelo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Em outras palavras, acrescente uma boa dose de paciência e reflexão, antes de tomar qualquer decisão drástica, né? Gostei do conselho Betty!

    ResponderExcluir
  12. Uau! Tá aí um excelente conselho muito bem argumentado. Adorei e vou seguir.
    Deus abençoe.

    ResponderExcluir
  13. Hello, querida Betty!
    Como é bom ler palavras positivas, tem muita gente de sangue quente
    passando por situações parecidas com as que você citou, ler esse texto
    faz a gente reanimar, as esperanças de renovam.
    Eu falo para todo mundo que eu vivo de fé, a fé me move sempre!
    Nada melhor do que um dia após o outro, as coisas boas sempre vem e as
    ruins passam.

    Beijinhos, fica com Deus ♥

    ResponderExcluir
  14. Oi Betty
    Adorei seu texto, muito bom, eu não tenho o hábito de agir por impulso, não tenho sangue quente, acho até que deveria ser um pouquinho mais brava, mas não consigo.
    Em compensação tenho uma irmã explosiva, de sangue fervendo.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já tive sangue quente, mas aprendi a me controlar, embora tenha apanhado muito até aprender.

      Excluir
  15. Perfeito! Não sou impulsiva, mas quando estou irritada acabo fazendo ou falando alguma coisa que não devia. Vou colocar em prática essa técnica. Beijos e obrigada

    ResponderExcluir
  16. Oi Betty... eu também já fui muito impulsiva, mas a idade vai chegando e a maturidade também, os filhos ajudam muito também, eu quase sempre penso neles quando penso em fazer ou falar algo que me arrependerei depois... Beijos!!!

    ResponderExcluir
  17. Gostei, Betty, se eu tivesse esperado 48 horas, não teria entrado na maior fria...
    Mas a gente aprende batendo a cabeça, hoje ando mais ponderada, espero baixar a temperatura, dou tempo ao tempo..
    Bela postagem, amei!
    Felizes dias, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir

Voltar ao topo
© Gosto disto!
Todos os direitos reservados.
Personalizado por: Elaine Gaspareto
imagem-logo