Contra argumentos não há fatos

19 de janeiro de 2017 19 comentários

Contra argumentos não há fatos


Você deve estar achando que eu errei o título do post, pois o certo seria “Contra fatos não há argumentos”, mas não errei, não. Eu tenho me deparado com algumas pessoas que têm tantos argumentos, mas tantos, que pouco importam os fatos.

Como assim?

Dizem que Sartre queria tanto acreditar no comunismo que fez vista grossa para as barbaridades que eram cometidas na União Soviética, e ele sabia o que que se passava nos Gulags russos, mas preferia ser surdo e cego, pois o regime de esquerda era o melhor possível para ele. Ele se apegou aos argumentos e jogou no lixo os fatos, ao ponto de romper uma amizade de anos com Albert Camus, que ousou discordar dele.

Mas vamos no popular, pois Sartre era um filósofo nem sempre muito digerível.


Contra argumentos não há fatos


Eu tenho uma amiga de esquerda que se recusa a ver que o MST é um cancro social e que faz mais mal do que bem para este país e para as pessoas que o integram. Existe um acampamento perto de Bauru e, segundo ela eles tem uma boa produção agrícola, mas só não vendem porque não tem como fazer a distribuição. Não é verdade e todo mundo sabe disto na cidade. Para criar argumentos ela citou eminências pardas internacionais desacreditadas, e eu tentei argumentar que estas pessoas que ela estava citando não eram dignas de crédito.

Diante da falta de fatos concretos ela entrou num surto. Foi aí que eu vi que deveria calar a minha imensa boca. Por 15 minutos esta pessoa só faltou atacar a Branca de Neve e os sete anões! Ela falava como se estivesse vomitando argumentos, babava para não ter que engolir saliva!

Quando me livrei dela, jurei que nunca mais teria uma conversa minimamente séria com esta pessoa, pois ela tinha muitos argumentos, válidos ou não, pouco importavam, ela não tinha fatos.


Contra argumentos não há fatos


Ontem no telefone, conversando com uma pessoa muito querida, vi que ela estava entrando pela via do excesso de argumentos, quando eu sabia bem dos fatos, mas ela não queria saber deles. Ela tinha argumentos e pronto. Cada vez que eu tentava dizer um “mas...”, que eu deveria completar “mas você sabe o que aconteceu”, ela não me deixava sair do “mas”, e pouco se importava. Ela tinha argumentos.

Me vi calada do outro lado da linha enquanto esperava o surto argumentatório passar. Eu sei que a palavra correta seria “argumentativo”, mas diante de uma verborragia, argumentatório é um termo mais eficaz (acabei de inventar, gostou?).


Contra argumentos não há fatos


Já enfrentei outros casos no dia a dia, estes dois são os mais recentes, mas se você parar para pensar, já deve ter visto muitos argumentos nas redes sociais, e argumentos totalmente falhos, pois os fatos estão ali para mostrar a verdade, mas os fatos, ora os fatos... Afinal, para que servem os fatos mesmo?

Eu preciso aprender a detectar os argumentadores sem fatos, pois vira e mexe tropeço em um deles e tudo que faço é calar a boca. Não dá para argumentar com este tipo de gente, então o melhor é aprender a detectá-las e passar longe, evitar que surtem.

Deveria ter um tratamento emergencial nos Hospitais Psiquiátricos, com um 0800 que a gente pudesse ligar e pedir para colocarem uma mordaça no surtado até a crise argumentativa passar!


Dá próxima vez que você se deparar com um surto argumentativo, seja na internet, seja na vida real, não se deixe levar por este tipo de psicopata, só mantenha a calma e procure dentro de si mesma: onde estão os fatos destes argumentos? Se não existirem ou forem totalmente equivocados, caia fora de mansinho. Não vai adiantar nada você tentar mostrar a verdade, pois a verdade, diante deste tipo de surto, é só um pequeno estorvo.

Beijinho da blogueira

Fotos: 1- Cantora Anahi no clip "Mi Delírio"; 2- Jack Nicholson em "O Iluminado"; 3- Personagem Arlequina; 4- commons.wikimedia.
Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

19 comentários :

  1. Muito bom o tema e colocaste exatamente o que tantas vezes acontece!Nessas horas, melhor mesmo é o silêncio...Deixar acabar o "surto"...bjs praianos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fico com vergonha alheia nessas situações. Fico quieta e pensando: Será que ela não vê o ridículo do que está fazendo?
      Bjs

      Excluir
  2. Fantástico este tema Betty e eu me vi nesta mesma situação. Tenha uma amiga brasileira casada com Belga q mora no Brasil e vem cá todos os anos.Somos amiga de muitos anos ela é da Bahia,artista plástica tem um trabalho social lindo com uma ONG que fundou e dirige.Deixou a burguesia do seu nascimento e foi viver em prol do pobre e eu amo muito ela é admiro o seu trabalho. Mas ela é PT doente, nesmo tendo nascida em berços de ouro ela é uma revolucionária e acha que o PT só fez bem para o Brasil.Tu acredita que ela quase n fala mas comigo com uma amizade de mas de 20 anos porque eu n aceito o PT? Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já perdi amigos por divergências políticas tb. É muito chato. Eu evito discutir política e religião, mas tem gente que insiste, por mais que eu diga que não quero me manifestar e que respeito a posição de todos, embora não concorde com algumas.Até a neutralidade é ofensiva para algumas pessoas.
      Bjs

      Excluir
  3. Acredito que todos nós temos esse surto pelo menos uma vez na vida. É a necessidade de defesa de interesses em causas que muitas vezes só enchergamos o lado que nos interessa. Essa postura, de encontro com a postura contrária do outro com o qual se tenta convencer, causa conflitos e até inimizades. Saber discernir é um ato complicado e, não deixar o emocional e os particularismos interferirem nessa separação, é difícil até para os ditos mais justos juízes. Gostei do tema de hoje.Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que você matou a charada "Só enxergamos o lado que nos interessa"! Mas vejo gente surtando por coisas bem bobas mesmo...
      Bjs

      Excluir
  4. Betty c este tipo naooo perco meu tempo, deixo falando sozinhos/as, so veem o q lhes e conveniente, paciencia Zeroooooo c esta turma fanatica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, este tipo de comportamento sempre envolve um certo fanatismo!

      Excluir
  5. Oi Betty... também já tive experiências assim, na minha Família inclusive, meu marido sempre me fala "nem entra na discussão", a pessoa vai falar o que quiser, vociferar que a opinião dela tem que ser respeitada e nem pensa em respeitar a sua e ainda vai te atacar sem mais nem menos... um dessas que eu tive que ouvir é que eu era "riquinha" pois estava contra os "pobres"... logo eu, Professora, rsrsrs... hoje eu fujo rapidinhos dessas discussões!!!
    Beijosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jane,
      Tb fujo, mas quem disse que é preciso estar disposta a discutir ou ouvir para encontrar um argumentador feroz pela frente?!?
      É bom ser "riquinha", rica de disposição para trabalhar, rica de entusiasmo pela vida, rida de planos e concretizações. Você é rica mesmo! acredite nisto.
      Bjs

      Excluir
  6. Betty, olá! Atualmente discutir política no país é para guerreiros.
    Diferentemente dos europeus, onde se discutir política é um ato histórico-social e cultural, e se você não discute política é colocado no patamar dos ignorantes e sem estofo, aqui no Brasil você periga ler e ouvi certas idiotices e ainda ser ameaçado ou coisa que o valha.

    Eu compreendo que, assim como religião, nível cultural, escolaridade, torcidas etc, política/Partidos cada qual tem o seu e devemos não apenas respeitar, sobretudo compreender a dimensão que isso tem na vida de uma pessoa e levar aquilo como um aprendizado de outro ponto de vista sua vida, quebrando seus paradigmas, igualmente.

    Já li e ouvi muitas aberrações e colocações que saem do âmbito partidário para avançar sobre suas escolhas e no que cada qual acredita ser melhor a si e ao país.

    Assim como tenho ciência de escalabros (coisas com conchavos, desvios e sem retidão) feitos por "supostos justiceiros" que no fundo, desejam apenas a famosa Lei de Gérson, levar vantagem em tudo...

    A tristeza faz-se grande e estranha quando essas colocações político-partidárias avançam e atingem famílias e amizades que deviam, a título da própria nomenclatura, deixar essas escolhas abaixo do carinho, da amizade e dos elos que unem pessoas, ora pelo sangue, ora pelo afeto.

    Perdem todos com esse tipo de conduta.

    beijos mais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paula,
      Se fosse só política, dava até para contornar, mas estou vendo gente argumentar até sobre cor da calcinha da Marilyn Monroe!Discutem e argumentam como se aquilo tivesse importância e tentam impor uma verdade que não existe.
      Eu tenho sido alvo de verborragias sem fundamento algum e tudo que posso fazer é esperar passar o surto.
      Bjs

      Excluir
    2. Super de acordo. Beijos mais e saiba que você não está sozinha nisso.

      Excluir
  7. Nossa, Betty! Conheço muita gente assim! E sinceramente faço igual a você...chega um momento em que você precisa se livrar da pessoa senão surta junto com ela no mar de delírios. Enfim!

    :*
    Um ótimo dia pra ti!

    ResponderExcluir
  8. O problema é que hoje vivemos num mundo cheio de fatos fabricados e argumentos vazios, então a gente não tem muito pra onde correr. O mais saudável tem sido evitar o conflito mesmo. :/

    Um beijo Betty!

    ResponderExcluir
  9. Nossa me identifiquei demais com isso, e também tenho deparado com muitas pessoas assim ultimamente. Meio que parei de ter discussões / conversas de muitos assuntos com muita gente pra me poupar. Melhor falar de trivialidades do que se estressar rs. Morri de rir com seu comentário "faltou atacar a Branca de Neve" (algo assim rs).

    Beijos
    Mari Dahrug
    http://www.rabiskos.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é por aí mesmo, estou me poupando, quando posso, só que não é sempre que posso, pois sou atropelada por alguns surtados!
      rsrsrs

      Excluir
  10. Ei Betty
    Sem dúvida não há quem não se depare com pessoas que defendem seu ponto de vista até morrer, eles sempre têm razão, mas como sou da turma dos calados, fico na minha e deixo a pessoa falar até cansar.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também sou da turma dos calados, mas prefiro não provocar este tipo de gente.
      rsrsrs
      Bjs

      Excluir



SUBIR