A moda surreal de Elsa Shiaparelli

4 de abril de 2017 7 comentários

Você está se achando moderninha com o seu sapato Oxford de sola tratorada? Pois saiba que tudo o que se usa agora é muito boring perto da moda que Elsa Shiaparelli criou. Ela trouxe o surrealismo para a moda e depois dela nada foi o mesmo em matéria de modelagem. Ela foi a criadora da moda surreal.

O surrealismo da moda de Elsa Shiaparelli


Como eu já escrevi, a Chanel não precisava de uma breve biografia, já a Elsa Schiaparelli, vulgo Shiapa para os amigos e entendidos, embora conhecida por muitos, não teve a mesma fama de Chanel. Então vou me estender em uma mini biografia, merece dar uma lida!

Nascida em Roma no apartamento de sua família no Palazzo Corsini, Schiaparelli, por sua própria conta, era uma criança difícil que irritava nos encontros e não tinha quem a controlasse nos eventos sociais e familiares. Sua liberdade pessoal era imensa, mesmo quando adulta e essa liberdade acabou sendo expressa em seus projetos pessoais.


O surrealismo da moda de Elsa Shiaparelli
Vestido Musical de 1939

O surrealismo da moda de Elsa Shiaparelli


Em criança, ela era propensa a travessuras que muitas vezes geravam consequências nos adultos. Conforme relatado em sua autobiografia, uma vez ela fez uma arruaça, por ter sido proibida de comparecer a um jantar oferecido por seu pai, como retaliação ela abriu um frasco cheio de pulgas sob os convidados, o que desencadeou uma comichão entre todos os infelizes, antes que fugissem da cena.


O surrealismo da moda de Elsa Shiaparelli
Inverno 1937-38 - feito de seda, metal, couro e plástico

Ansiosa por evitar a pressão paterna para se casar com um aristocrata russo, Elsa aproveitou uma oportunidade para cuidar de crianças em Londres em 1913, deixando Roma para trás para sempre. No ano seguinte, ela se casou, impulsivamente, com um polonês-suíço que a ensinou misticismo espiritual poucos dias depois de seu encontro. Depois de dois anos em Nice juntos, o casal se mudou para os EUA, onde Elsa permaneceria durante os próximos seis anos. Depois de dar à luz sua única filha em 1920, ela se separou de seu marido e trabalhou em vários empregos para se sustentar até se mudar para Paris em 1922.


O surrealismo da moda de Elsa Shiaparelli
Terno feminino 1939

Em sua viagem de 1916 à América, o encontro casual com Gabrielle Picabia, esposa do pintor dadaísta Francis Picabia, desenvolveu-se em uma forte amizade que acabou levando ao envolvimento de Schiaparelli com os defensores do Movimento Surrealista em Arte e depois conheceu um renomado estilista revolucionário em moda; Paul Poiret. Em 1924, Elsa fazia roupas para ela e seus dois amigos íntimos. Poiret notou seu estilo de alfaiataria e foi o primeiro a encorajá-la à costura como uma saída para suas próprias inclinações artísticas. Estava dado o primeiro passo para que Schiaparelli criasse a moda surreal.
                        
Depois de vários anos desenhando e vendendo suas peças como freelancer, ela abriu um pequeno ateliê em 1927 na Rue de l'Université e conquistou os mundos da moda européia e americana com suas primeiras coleções com blusas tricotadas à mão. Seus desenhos iniciais eram geométricos, mas em novembro daquele ano ela introduziu um design preto e branco trompe l'oeil padronizado com um colar quadrado e pica-pau vermelho que surpreendeu um comprador americano e lançou sua carreira.

Nos próximos anos, suas ofertas evoluíram de blusas e roupas esportivas para uma linha completa de roupas. Em 1932, ela já tinha 400 funcionários produzindo entre 7.000 e 8.000 peças de vestuário por ano, no número 4, da Rue de la Paix. Esses projetos iniciais, embora mais conservadores do que seus trabalhos posteriores, incorporaram sua estética peculiar e imaginativa.


O surrealismo da moda de Elsa Shiaparelli
Vestido Lagosta - desenhado com a colaboração de Salvador Dali

 As roupas e acessórios que ela criou entre meados da década de 1930 e 1940, quando ela colaborou com os artistas surrealistas Jean Cocteau, Salvador Dali e Leonor Fini, e continuando a inspirar-se em sua longa associação com o fotógrafo Man Ray e representam a apoteose da sua criatividade.


O surrealismo da moda de Elsa Shiaparelli
Estudos para chapéus, incluindo o chapéu-sapato, uma peça de moda surreal que virou a peça mais icônica de Schiaparelli

O surrealismo da moda de Elsa Shiaparelli
Jaqueta Zodíaco - 1937

Enfatizando ainda a teatralidade surrealista da roupa desse período, Schiaparelli organizou algumas delas em coleções temáticas - "Pare de olhar e escutar" em 1935, "Música" e "Paris 1937" em 1937, "Zodíaco", "Pagan" e "Circus" em 1938, e "Commedia dell 'Arte" em 1939.

Como resultado de ter vivido por um longo período na América, Schiaparelli foi particularmente sintonizada com a indústria da moda americana e as preferências estilísticas e utilitárias da mulher americana de classe média alta. Essa conexão lhe serviu financeiramente. Embora apenas alguns de seus clientes usariam seus desenhos mais escandalosos, ela poderia vestir estilos um pouco menos aventureiros através de seus muitos arranjos comerciais com grandes lojas americanas e lojas especializadas. Antes da Segunda Guerra Mundial, como relatou o New York Sun em 1940, a produção de suas oficinas no número 21 da Place Vendôme, onde ela havia se mudado em 1935, cresceu para 10 mil peças por ano.

A francesa de origem italiana Couturière Elsa Schiaparelli é mais conhecida pelas bravatas com uma certa hostilidade desenfreada, às vezes perturbando a originalidade de sua obra.


O surrealismo da moda de Elsa Shiaparelli


Enquanto suas contemporâneas Gabrielle Chanel e Madeleine Vionnet definiam os padrões do período de gosto e beleza no design de moda. A convenção de Schiaparelli falhou em um seguimento de um estilo mais íntimo.

Shiaparelli ia além, acreditava que a moda e a arte podiam sim, andarem juntas. Mas aprendeu que apesar de seu estilo ser "interessante"...ele não sobreviveu.

Para sua época, e até hoje, Schiaparelli foi e é genial! Sua moda surreal foi além do seu tempo. Surpreendente!

Em 1954, a Casa de Schiaparelli declarou falência e  ela aposentou-se, passando a maior parte do seu tempo na Tunísia, onde ela tinha uma casa. Morreu em Paris aos oitenta e três anos. Em 1973.

Fonte e fotos: The Met



Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

7 comentários :

  1. Algumas coisas dá até pra usar...como aquele vestido com notas musicais...acho que a Lady Gaga usaria com gosto as inspirações dela. Além de tudo, achei extremamente criativa!
    ^^

    :***

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bárbara,
      Aquele vestido foi relançado pelo Valentino e foi usado em um red carpet pela Katy Perry. Ficou lindo!
      Bjs

      Excluir
  2. Oi Paulo e Betty... acabei de ler um livro em que uma das personagens estava usando um vestido de Elsa Shiaparelli, bem moderninho e criativo... Beijosss!!!

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante o post, gostei de saber sobre a Elsa Schiaparelli.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Muito elegante. Adorei saber sobre a moda dela.
    Big Beijos,
    Lulu
    BLOG | CANAL

    ResponderExcluir



SUBIR