Feminismo Assédio Sexual e a Nova Idade das Trevas

19 de janeiro de 2018 14 comentários

Feminismo Assédio Sexual e a Nova Idade das Trevas


Fiquei pensando se deveria ou não tocar neste assunto, mas não vejo como me calar diante da histeria coletiva desencadeada a partir da acusação do Kevin Spacey, sim, parece que a bola de neve começou a rolar a partir da denúncia contra ele, e vem crescendo num ritmo assustador.

Quero deixar claro que não estou aqui para defender assediadores sexuais, racistas e estupradores, mas quero viver num mundo em que eu não passe a considerar todo e qualquer homem como um possível inimigo, como um assediador em potencial, como um desrespeitador das mulheres, seja no plano físico, sexual ou profissional. Era quero viver num mundo de iguais e até aparecer a denúncia contra o Kevin Spacey, eu acreditava que o mundo caminhava para isto.

Sou filha de um casal de médicos, minha avó materna já trabalhava fora e tinha nível universitário, então não fui criada com “meninas não podem”, e principalmente meu pai, que vinha de uma família bem mais simples que minha mãe, era uma pessoa com a mente mais aberta do que a ela. Ele tinha uma mãe italiana que não sabia ler e nem escrever, mas ao contrário de um político brasileiro, não se ufanava disto, mas sim do fato de que depois dela, todas as mulheres de sua família liam, escreviam e trabalhavam.

Só contei um pouco da minha história para que você saiba quem está falando com você, quem está tomando a posição que estou.

Eu já estava assustada com a Santa Inquisição que vem acontecendo até o momento em que ela atingiu Woody Allen. Eu adoro a obra de Woody Allen e vou defender a obra dele até o fim dos meus dias, mas isto não quer dizer que vou defender ao homem Woody Allen, que bem pouco me interessa como homem, digamos de passagem.


Feminismo Assédio Sexual e a Nova Idade das Trevas


Sempre gostei do trabalho da Mira Sorvino, afinal ela tem um pezinho na Itália como eu, mas agora ela vem a público pedir desculpas à filha de Woody Allen por ter trabalhado num filme dele! Seria o mesmo que um dos modelos de Caravaggio (adoro Caravaggio) viesse a público pedir desculpas por ter trabalhado com Caravaggio. Se você não sabe, Caravaggio foi um dos maiores pintores de todos os tempos, mas não era um primor de comportamento e morreu muito cedo. No ritmo que as coisas estão tomando, vamos rasgar as telas de Caravaggio, pois seu comportamento vai atingir sua obra e vamos eliminá-la.

Estão emporcalhando a obra de Woody Allen, estão emporcalhando a atuação de Kevin Spacey e a caça às bruxas parece não ter fim!

Por falar em Kevin Spacey, um blog português, do qual não guardei a url, mostrou que o péssimo comportamento do ator, passando cantadas grosseiras em todo mundo, era fato público e notório, ao ponto de servir de piada em séries cômicas de televisão (incluía vídeos das séries). Algo como: “Você levou uma cantada grosseira de que tipo? Tipo a la Kevin Spacey?”

No momento que um cara denunciou Kevin Spacey, todo mundo se horrorizou! As mesmas pessoas que riam do ridículo de suas cantadas infames pararam de rir por medo de serem apontadas como abusadores e passaram a recrimina-lo. Isto se chama hipocrisia!

A cultura norte americana não é a melhor do mundo, se fosse não elegeriam Donald Trump como presidente. Os EUA têm pontos muito positivos, mas tem pontos negativos também e pelo jeito resolveram instituir uma Nova Idade das Trevas. Vamos mergulhar no obscurantismo da Idade Média se não colocarmos um breque nesta histeria coletiva.

Se não fazer nada é errado, é ainda mais errado tomar medidas descabidas e desproporcionais. Não deixe que a história se repita implantando uma Santa Inquisição Sexual no mundo.

Tente saber um pouco mais sobre as Bruxas de Salem, pois quando história é ignorada, ela tende a se repetir.

Se você tiver estomago forte, leia Os Demônios de Loudum, do Aldoux Huxley, baseado em fatos reais, pois vai entender até onde a histeria coletiva pode levar e o mal que ela pode fazer.

Eu, por aqui, vou continuar gostando dos filmes de Woody Allen, e estou pensando em salvar algumas cópias antes que a Santa Inquisição atual mande para fogueira toda sua obra.

Espero poder continuar gostando dos quadros de Caravaggio, de Leonardo da Vinci (este também não era nenhum santo e transava com o seu criado tratando-o com desdém publicamente) e tantos outros homens e mulheres que criaram obras maravilhosas, mas não tinham comportamento irrepreensível.

Desculpe Mira Sorvino, mas não me orgulho de você.


 Imagem @pastiche.in. Desconheço a autoria da foto da Mira Sorvino.
Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

14 comentários :

  1. Concordo plenamente com seu pensamento.
    As pessoas tem uma idéia formada que famosos tem que ser perfeitos,impecáveis, como as roupas que vestem no tapete vermelho.Esquecem que estamos nesse mundo para crescer espiritualmente, todos indistintamente (salvo raras exceções). Fama e prestigio não exima ninguém de ainda , infelizmente, terem certas falhas de conduta e de moral.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema é que falhas sempre existiram, mas agora dá Ibope apontar as falhas alheias. É muita hipocrisia!

      Excluir
  2. Concordo plenamente com você, Betty. O trabalho do profissional não pode ser apagado ou descaracterizado por ele possuir esses desvios de caráter e comportamento. Os atores, diretores, enfim, as pessoas públicas (ou não) não são perfeitas. São pessoas como nós com defeitos. A diferença é que a vida delas vem à tona e vira um escarcel para a mídia ganhar audiência e ter apenas algum mártir pra crucificar enquanto não aparece nada melhor para usar de entretenimento.

    hoje em dia as pessoas só estão alheias à informação porque querem, pelo menos a maioria das pessoas. Se concordam e apoiam comportamentos ignorantes e hipócritas é por que, no fundo, elas também tem algum desvio em seu caráter, para concordar que são superiores às outras a ponto de deteriorar as obras maravilhosas de profissionais maravilhosos, por eles possuírem qualquer traço em sua personalidade da qual discordemos.

    Adorei saber um pouco de sua história também.
    :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A tal história da pedofilia do Woody Allen, foi verificada por médicos e psicólogos há 25 anos atrás e ficou comprovada que a a filha não tinha sofrido violência. A Mia Farrow, que era a ex-esposa, jogava as crianças contra o Woody Allen, e foi um escândalo sem precedentes. Estão revivendo a história pq chama a atenção, mas não pq tenha um fato novo.
      Tem mais, eu não gosto e nem desgosto do Woody Allen como pessoa, mas adoro como cineasta, tem que separar as coisas.
      Bjs

      Excluir
  3. Oi Betty... esse assunto é tão complicado né? Qualquer coisa que se fale parece que você está contra as mulheres e sendo machista e tal... acho um exagero danado destes artistas tomarem partido e crucificarem atores e diretores, dizendo que foram assediados e tudo mais, por que não falaram na época em que aconteceu? A gente não vê nenhum artista que está começando denunciando ninguém, só os que já tem uma carreira sólida né??? Muita hipocrisia!!!
    Beijosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O caso do Woody Allen, foi comprovado medica e psicologicamente, há 25 anos atrás, que não houve contato sexual. Tb não gosto da ideia dele ter se casado com a filha adotiva, que é a tual mulher dele, mas daí a querer classificá-lo como pedófilo e negar a obra dele!!!

      Excluir
  4. Olá
    Eu tenho um problema com isso tudo também. É o que você disse. O comportamento do ser humano não desqualifica sua obra, ou ao menos não deveria desqualificar. O caso do Johnny Deep por exemplo. Eu acho ele um excelente ator. Pra mim, não me importa a vida privada dele. Ele é um bom ator e ponto. Pode ser um merda na vida pessoal, mas isso não muda o fato dele ser um bom ator.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, tem que separar as coisas! Tão batendo tudo junto num liquidificador nojento!

      Excluir
  5. Oi Betty
    Eu sou do tempo em que a gente tinha vergonha de tocar neste assunto .
    Senti tudo isso na pele desde a adolescencia até depois adulta quando ocupava um alto posto numa empresa multinacional .
    E mesmo assim nãoquero pertencer ao grupo ME TOO .Esse é um problema entre o assediado e o assediador .Não vamos resolver nada ou parar o mundo de espalhar para todos .Temos que ter uma legislação que realmente nos proteja e não reclamar anos depois que aconteceu .Agora já passou e não dá para reclamar . Filmes ,obras de arte etc continuarão a serem feitos independente de assédios ou não .
    Ótima publicação

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sofri assédio moral de um misógino, que enquanto não me tirou de um cargo e entregou para uma pessoa do sexo masculino, bem menos qualificada que eu, não sossegou.Realmente este misógino fez coisas absurdas, e como era um Promotor de Justiça, ninguém tinha muito o que fazer a não ser assistir e dizer que sentia muito. Mas assédio sexual eu nunca sofri e se sofresse neguinho estaria ferrado na minha mão, pois nunca abaixei a cabeça. Fui ensinada a atacar de frente e a única vez que não consegui fazer nada foi com este misógino, pois ele tinha um poder nas mãos que ninguém tinha como brecá-lo.
      Bjs

      Excluir
  6. Concordo com você.
    Apenas vou colocar um pensamento pessoal, que aprendi em uma reunião para seleção de bombeiros voluntários aqui em minha cidade. Nesta reunião, o comandante dos bombeiros falava para os aspirantes de que aquele momento dividiria a vida deles, porque a partir do momento em que a pessoa aceitasse ser um bombeiro, ela precisaria manter a sua idoneidade e comportamento, porque a população em geral tem no bombeiro uma confiança impar, de alguém que está ali para ajudar, para salvar. Então seu comportamento a partir daquele momento teria de ser publicamente correto, mesmo não estando com a farda de bombeiro. Anos mais tarde eu me tornaria professor, profissão que seguiria por 23 anos. E penso que quando nos tornamos pessoas públicas, temos de ter comportamentos melhores, porque seremos pessoas mais visíveis e mais notadas. Não que isso tenha de ser uma regra, mas pensando dessa forma, seria como um compromisso com a sociedade o fato de ser famoso ou público, de se manter a melhor imagem possível. É claro que todos somos humanos, errantes e em evolução, mas um esforço na direção de sermos melhores é sempre bem vindo.
    Parabéns pelo texto.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você que as pessoas que têm uma vida pública são mais notadas, pois servem de exemplo para as demais, mas todas as pessoas devem ter uma boa conduta, seja na vida pública ou privada, isto se chama caráter.
      Abçs

      Excluir
  7. Nós , homens, estamos com medo de ser românticos ! Podemos ser taxados de algo ruim !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu filho que usou o meu email. Não sou homem mas avalizo o garoto (33 anos ! ). Muito romântico com a sua amada !

      Excluir



SUBIR