Você não precisa desistir de tudo para ser mãe

10 de maio de 2018 10 comentários

Você não precisa desistir de tudo para ser mãe



Ser mãe é muito bom e foi com certeza a maior realização de minha vida, mas, como para todas as mulheres do meu tempo (espero que você seja mais nova do que eu e que tenha tido mais oportunidades do que eu tive na vida), a maternidade envolveu muitas perdas. Entre perdas e ganhos creio que ganhei mais do que perdi, mas o pai de minha filha, de quem sou separada, não teve perda nenhuma com a paternidade, o que não e justo. Seria justo que dividíssemos as tarefas e responsabilidades, mas não foi assim.

No final do jogo, eu, que era o azarão do páreo, saí ganhando e hoje ele é um desempregado que mora com seu pai idoso... enfim, um perdedor.

Ainda hoje vejo muitas mulheres abrindo mão de muitas coisas para serem mães. Vejo mulheres que abrem mão de uma carreira próspera e se submetem a se tornar o animal de estimação da família. Desculpe falar, mas é verdade, uma mulher sem uma carreira está sujeita a ser um animal e estimação: se o seu dono é bom, ela será bem tratada, se o seu dono é mau, ela será mal tratada.

Então, a primeira coisa que eu quero falar é: não abra mão de sua carreira pela maternidade. Eu sei que é duro, que é tentador ficar com o seu filho ou filhos em casa e que eles precisam de você, mas não se doe até o ponto de se transformar em um fardo para seus rebentos, pois eles não vão estar sempre sob suas asas e quando eles precisarem voar, se você não tiver nada além de filhos, vai tentar brecá-los, sufocá-los e talvez nem veja o mal que está fazendo a eles.

Maternidade envolve responsabilidade, mas de ambas as partes. Não existe mãe solteira, entenda isto. Viva você com o pai de seu filho ou não, você terá que dividir a responsabilidade com ele.


Você não precisa desistir de tudo para ser mãe


Hoje a vida está mais fácil para nós mulheres, mas ainda vejo garotas apaixonadas acreditando no príncipe encantado e se jogando num conto de fadas impossível. Lembre-se que a estória não mostra o que aconteceu com a Cinderella depois que ela casou com o príncipe, não mostra quanto filhos ela teve e nem se foi feliz depois do casamento. Na hora de casar todo mundo é feliz, depois é que são elas... ou eles!

Se você é mãe e se sente culpada de ter que deixar seu filho numa creche para ir trabalhar, não se sinta. Sinta que você está dando uma chance para seu filho ter uma vida além de você, pois você não vai estar ao lado dele a vida toda, embora vá tê-lo em seu pensamento para sempre, pouco importa que idade ele tenha.

Ser mãe não é proteger infinitamente, é ensinar a voar, e é mais fácil dar asas se você tem asas. Você não pode dar asas para seus filhos se está acorrentada a um fogão (entenda como figura de retórica, pois sei que tem gente que adora cozinhar, inclusive meu pai era ótimo cozinheiro).

Seja mãe, mas não tente e nem queira ser mãe e pai (eu cai neste erro e me sacrifiquei além dos limites). Seja mãe, mas não esqueça de ser uma mulher plena com todos os seus planos e realizações, e não faça planos por seus filhos, pois os sonhos deles só cabem a eles mesmos sonharem.

E acima de tudo seja feliz, pois mães felizes criam filhos felizes.



Fotos:@modaoperandi@anthropologie
Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

10 comentários :

  1. Betty, que texto! Que mensagem reflexiva! Você disse tudo o que todas as mulheres necessitam saber. Parabéns pelas sábias palavras!
    Beijos e um dia maravilhoso para você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Isabel,
      Achei que o texto ficou um pouco duro, realista demais, mas arrisquei, pois acho que pode ajudar muitas mulhers que estão se sacrificando além da conta pelos filhos e marido.
      Beijos

      Excluir
  2. Quanta sabedoria nesse texto e conselhos!Adorei e concordo! bjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para nós mulheres é muito difícil balancear bem as coisas, pois somos mais coração do que razão, então resolvi dar um choque de realidade. Desculpe se fui dura demais.

      Excluir
  3. Olá Betty! Um texto maravilhoso. Nunca abrir mão de nada para ser mãe. Sempre trabalhei desde que João tinha 3 meses.E tem razão,uma mãe feliz,faz o filho feliz! Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho certeza que o João é muito feliz e vai seguir a vida dele, como todos os filhos saudáveis devem fazer.

      Excluir
  4. Oi Betty... Nunca abri mão de nada, trabalho, malho, viajo, vou a festas com meu marido e os meus filhos entendem tudo isso, consigo dividir meu tempo entre a Jane e a Mãe Jane, rsrsrs
    ótima reflexão!!!
    Beijosss♥

    ResponderExcluir
  5. Eu queria realmente dizer que amei o seu texto, mas não gostei. Primeiro que acho bem errado você chamar alguém de fracassado por se encontrar desempregado e morando com os pais. Pode ser que ele seja muito mais feliz que quem trabalha sem parar. E mãe que cuida dos filhos não é animal da família. Eu fico com meu filho em casa e tenho meu trabalho free lance. Mostro pra ele que é possível sim dar conta de fazer tudo. A mãe que trabalha fora não é melhor que a mãe que fica em casa e vice e versa. Vamos parar de disseminar essas ideias.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
  6. Betty,
    minha mãe sempre foi dona de casa e por isso dedicou totalmente seu tempo à nossa criação, minha e do meu irmão. Confesso que na infância e adolescência, tinha até vergonha dela não trabalhar fora.
    Sorte que meu pai e ela sempre foram companheiros e viviam muito bem.
    Hoje, que sou casada e mãe, tenho imensa admiração por ela, quem me dera ser metade do que ela foi.
    Engraçado que quando ganhei neném, ela logo me disse: volte logo a trabalhar, você não foi criada para ficar o dia todo em casa, vai entrar em depressão heheh
    Agradeço muito pelo post, é duro, porém realista.
    Vejo que minhas amigas, que não trabalham fora, escutam desaforos dos maridos que não mereciam escutar, e fico muito chateada com isso.
    Abs, adoro seu blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Eu tive um pouco de medo de colocar este post on line, mas li uma mãe que escreveu que "seu filho precisa da sua presença, mas também precisa da sua ausência". Presença demais sufoca! E sufoca de um tanto que quando o filho ou filha já é adulto, muitas vezes tem dificuldade de bater asas e criar a própria vida, por culpa.
      ... mas isto daria outro post.
      Beijos

      Excluir



SUBIR