Porque a ingratidão incomoda tanto

6 de setembro de 2018 23 comentários

Ingratidão



Tem uma brincadeira no Facebook onde você coloca uma resposta para uma pergunta. É uma brincadeira divertida, pois além de você se expor um pouco aos seus amigos, permite que conheçam você um pouco mais e normalmente gera uma interação entre quem respondeu e quem lê e comenta a resposta.

Uma das perguntas era:

“O que eu detesto em uma pessoas é...”
E eu respondi: “maldade, injustiça e ingratidão”.

Todo mundo que comentou na minha resposta, apontou a ingratidão como sendo a pior falha de caráter de uma pessoa e eu fiquei tão cismada que fui procurar a razão da ingratidão incomodar tanto.

Todas as opiniões dos psicólogos que encontrei on line não me pareceram corretas, pois todos, de uma maneira ou de outra dizem que a ingratidão incomoda porque esperamos antecipadamente a gratidão de outra pessoa por quem fizemos algo de bom. Então, já faríamos esperando retribuição.

Eu não concordo e vou explicar porque, acho que dando um exemplo pessoal fica mais fácil.

Eu tinha voltado a morar com minha mãe após a morte do meu pai, e foi a época mais conturbada de minha vida, pois tive que voltar para o interior abrindo mão de um cargo no qual ganhava três vezes mais. A casa que eu tinha sonhado em ter com a minha filha, ficou só no sonho e eu virei uma hóspede na casa de minha mãe, tendo de contrapeso a minha filha.

Quando chegou o aniversário da minha mãe, eu queria dar um presente significativo, pois ela estava fazendo muito por nós nos recebendo, então fui a uma loja top de multimarcas onde ela costumava comprar e pedi ajuda para a dona da loja, que era muito amiga dela.

Não tinha uma roupa ou acessório que minha mãe pudesse querer, pois ela tinha tudo! Então a proprietária da loja me sugeriu um jogo de cavalinhos chineses em miniatura que era um luxo, um luxo bastante caro para mim naquela época. Fui procurar os tais cavalinhos on line e atualmente um cavalinho custa U$ 60,00. Como o jogo tinha sete cavalinhos, é só fazer as contas que você vai ver que o tal jogo ficaria por U$ 420,00, coloque a taxa de importação e faça a conversão do dólar para real e você vai ter ideia do quanto eu gastei no presente. Dividi em dez vezes, com cheques pré-datados (lembra deles?).

Um pouco antes dos convidados chegarem para a festa de aniversário, minha filha foi entregar o presente para minha mãe em nome de nós duas. Ela abriu a caixa vagarosamente o que deixou minha filha ansiosa, querendo mostrar o quanto antes os tais cavalinhos, e rasgou um pedacinho da embalagem. Minha mãe mandou que ela tomasse cuidado com a embalagem, pois ela iria “passar pra frente” os cavalinhos e precisa da embalagem intacta. Eu caí no choro e minha filha ficou atônita com a atitude da avó.

Eu esperava gratidão da parte de minha mãe? Não, eu não comprei o presente esperando gratidão, mas sim querendo agradá-la, mostrar que eu estava grata por ela estar me recebendo de volta.

A ingratidão dela doeu não porque eu esperava que ela fosse grata, mas por não esperar aquela atitude da parte dela.

Todo ingrato nos trata como se fossemos cidadãos de segunda categoria que estivéssemos ali para servi-lo e que tudo o que fazemos de bom não passa de obrigação.

A ingratidão envolve uma decepção, pois a pessoa age de uma maneira que jamais esperaríamos que agisse.

Duvido muito que alguém que tenha sido vítima de ingratidão tenha feito esperando algo em troca, um toma lá dá cá. A vítima se sente excluída, como se não valesse nada para o ingrato, ou valesse muito pouco. A ingratidão sempre envolve soberba por parte do ingrato.

Você não pode se prevenir da ingratidão, ao menos não da primeira vez que o dardo afiado do ingrato atinge o seu peito, mas pode evitar ser vítima do mesmo ingrato por vezes seguidas.

Eu sou abençoada por Deus e tenho mais pessoas boas do que ruins na minha volta, mais pessoas gratas do que ingratas, mas confesso que me afastei de algumas pessoas ingratas, maldosas ou injustas, foram poucas, mas me afastei, e de outras eu mantenho uma distância social, para não criar caso.

Eu não sei revidar, faltei nesta aula na Escola da Vida, então se você quiser me maltratar e me machucar, vai encontrar uma adversária tão pacífica que, para as pessoas de má índole, chega a ser irritante.

Se você é como eu, quando encontrar uma pessoa que bate pesado sem se importar com o sentimento dos outros, o melhor é evitar o confronto, pois pessoas assim não tem remorsos, não sentem empatia, não conseguem se colocar no lugar do outro, mas em momento nenhum sinta vergonha de ter sido vítima de uma pessoa ingrata, pois esteja certa de que você fez querendo o bem daquela pessoa e nunca fez esperando um retribuição. Quando fazemos esperando algo em troca, se não recebemos não dói tanto quanto se é vítima de ingratidão.


Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

23 comentários :

  1. Bom dia, Betty. Eu respondi a sua pergunta no FB e foi exatamente esta minha resposta: INGRATIDÃO.
    Para mim, é algo que machuca imensamente e principalmente quando, a ingratidão vem de quem menos esperamos, alguém bem próximo. A dor da ingratidão se mistura à decepção e deixa uma cicatriz profunda.
    A pessoa ingrata não tem amor, nem respeito pelo outro. É egoísta e fria. Enfim, quero distância!
    Beijos e um ótimo dia para você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Isabel,
      a ingratidão envolve o inesperado, pois se esperássemos por uma atitude ruim, não machucaria. Ingratidão marca e marca para sempre, tanto é que a história que eu contei aqui pode ser bobinha, não tem ou teve maiores consequências, mas marcou.
      Beijos

      Excluir
  2. Eu respondi ingratidão também. E concordo com vc. Não tem nada a ver com o que disseram os psicólogos pesquisados. É se sentir desconsiderada, sem valor para a pessoa. É uma decepção tão grande que chega a doer fisicamente. Mas isso só acontece com a gente que se importa.
    Bjs
    50+ Moda & Beleza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você pesquisar ingratidão, vai ver que todos os psicólogos on line apontam para a espera de gratidão, como se a gente fizesse algo esperando retorno, mas não é verdade! Ingratidão sempre envolve alguém que amamos, nunca um desconhecido, ingratidão de desconhecido não dói.
      Beijos

      Excluir
  3. Betty, eu sei que a ingratidão é um sentimento que nos mágoa, mas não podemos contar com o sentimento de ninguém,só podemos contar com os nossos atos e os nossos sentimentos. O exemplo que vc deu de sua mãe, vc fala que o que doeu foi não esperar aquela atitude dela, de qualquer forma vc esperava dela uma atitude boa... Se vc não esperasse nada em troca isso não ia te atingir.Se vamos fazer algum para alguem não podemos esperar nada, nem um obrigada,nem um sorriso. Assim nao existirá a decepcao e nem a ingratidao. Bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se não fosse minha mãe, ou alguém próximo, não sentiria a ingratidão. A ingratidão dói quando vem de alguém que amamos. Eu não esperava retribuição, mas também não esperava descaso. Não acho que toda ingratidão tem este sentido pq esperarmos retribuição. Beijos

      Excluir
  4. Betty,
    Acho que em seu exemplo, vc esperava de sua mãe uma atitude, vc quis agradar e gerou ingratidão... Eu, concordo com os especialistas, que a ingratidão, é vc fazer algo esperando algo positivo em troca, seja -por qualquer coisa ou a qualquer pessoa. Colocamos muito expectativas nas pessoas , isso sim!
    Beijokas,
    DMulheresInstagramFanpage

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sheyla,
      Eu usei o exemplo de minha mãe por ela não estar mais entre nós e não se sentirá melindrada ou cobrada por uma atitude, mas eu tenho uma dezena de histórias para contar, sobre as quais me calei por serem de pessoas vivas, que não quero que se sintam constrangidas ou cobradas. Ingratidão sempre me choca, mas não a ingratidão de um estranho ou de um conhecido, a ingratidão que me choca é das pessoas próximas, amadas, não por esperar um "toma lá dá cá", mas sim pelo imprevisto, por não esperar nada de bom, mas também não esperar nada de ruim.
      Acredito que criamos expectativas, que idealizamos, e já escrevi sobre isto aqui no blog, mas para mimingratidão não envolve expectativa, mas sim o choque por uma reação em desconformidade com o ato.
      Beijos

      Excluir
  5. Antes eu tinha um grande problema,eu me preocupava e sofria muito com o que as pessoas pensavam e as pessoas que eu amava se gostavam ou não de mim e essa insegurança tinha um motivo,eu sou filha adotiva e sentia que eu era tratada diferente na família,até que uma pessoa me falou que eu só deveria me importar com o que Deus pensava sobre mim...então desde esse dia que eu tento ser melhor e parei de me preocupar com os sentimentos dos outros a meu respeito. Claro que isso é um aprendizado diário, não é nada fácil,mas não sofro mais,ninguém me decepciona,não espero nada de ninguém e tento compreender mais as pessoas,as suas atitudes(talvez sua mãe agiu assim por ter perdido o seu pai,ainda mesmo que não demonstre,estava abalada,quando perdemos alguém importante as coisas deixam de ter valor),tirei o foco de mim.Por exemplo:Quando eu dou um presente e sinto que a pessoa não gostou,eu penso que ninguém é obrigado a gostar,ter o mesmo gosto que eu,eu fiz a minha obrigação de levar um presente se a pessoa não gostou o problema é dela.Bjss


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esta história de querer agradar a todo mundo é bem minha, e eu nem sabia disto até passar por terapia. É uma caracteística minha que eu tento controlar, mas é minha e pronto, melhor querer agradar do que não ser gentil com as pessoas, não é mesmo?
      Minha mãe fazia isso comigo, mas também com amigas, levar um "chega pra lá" não era exclusividade minha.
      Se você me dá um presente, não importa o que seja, eu vou fico muito, mas muito feliz, o presente é o de menos, para mim o que importa é o gesto. Alguns presentes que eu ganhei, eu não gostei do objeto, mas sim da atitude de quem teve a preocupação de me presentear.
      Mas acho que eu sou um pouco mais sensível que o normal, assim como a ingratidão me machuca, a gratidão me deixa exultante!
      Beijos

      Excluir
  6. Olá, Betty!
    " Todo ingrato nos trata como se fossemos cidadãos de segunda categoria que estivéssemos ali para servi-lo e que tudo o que fazemos de bom não passa de obrigação."
    Tem gente que passa por tanta decepção e ingratidão que acaba ficando amargo e você se tornou meia e doce. Tem mães que são frias, não sabem expressar sentimentos de gratidão e carinho pelos filhos.
    Eu também cortei muitas amizades ingratas e interesseiras da minha vida.
    Ser uma pessoa do bem não significa dar a cara para baterem. "A ingratidão acaba com a afeição."

    Beijinhos, ótimo feriadão ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Andrea,
      Minha mãe tinha um trauma de infância muito grande, o que fez com que tivesse um transtorno de personalidade. Ela conseguia ser a pessoa mais solidária do mundo em alguns momentos, para depois virar uma tirana. Sou filha única, mas em casa todos pisávamos em ovos, eu , meu pai, minha madrinha, as empregadas... ninguém sabia quando vinha a explosão e nem a razão da mesma. Hoje, depois de alguma terapaia, eu sei que adquiri os traços de personalidade do meu pai, que era um bocado omisso. Eu sei que sou omissa e muitas vezes evasiva, mas tenho a vantagem de não ferir ninguém. Tenho um cuidado imenso para não ser agressiva e nem invasiva. Gostaria de ser uma pessoa melhor, mas estou tentando, afinal ninguém nasce pronto.
      Beijos

      Excluir
  7. Post perfeito e comentário lúcido e pertinente. Parabéns Betty e Andréa Santana

    ResponderExcluir
  8. Padre Fábio de Melo disse uma vez: não espere nada das pessoas, elas sempre vão te decepcionar!
    É uma das frases da minha vida! Um jeito de se proteger!
    Bjoo

    Tiemi
    RoseBoxBlog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O duro é não esperar nada mesmo e vir o pior, como foi o exemplo que citei.
      Beijos

      Excluir
  9. Esse discurso politicamente correto de apontar o dedo sempre para o bom exigindo dele perdão, compreensão, e, de outro lado desculpar a falta de educação, falta de consideração, falta de empatia dos maus está abrindo portas para relações abusivas e até ao feminicídio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não entendi nadica! Você é contra, à favor ou muito pelo contrário?

      Excluir
  10. Oi Betty, li tua história e me coloquei em seu lugar porque já vi este filme e vivo algo semelhante. Infelizmente, a ingratidão vem sim de quem amamos porque aqueles que não importamos, não tem poder de nos atingir. Pessoas com personalidades narcísicas agem como sua mãe agiu. Você descreveu bem: "a ingratidão dela doeu porque eu esperava que ela fosse grata...." sua mãe a ignorou e a tratou como se fosse sua obrigação servi-la e agradá-la (exatamente como pensam e agem pessoas narcísicas que só se importam com si mesmas e usam o outro como ferramenta e, pior ainda nos fazem sentirmos culpadas).Afastar-se de pessoas assim nem sempre dá, porque isso ocorreu com sua mãe e nem sempre podemos sair de cena e tomar outro rumo. Eu vivo isso e tenho esta mágoa que carreguei e carrego ainda hoje. A terapia me ajudou e me ajuda ainda. Mas sabe que esta situação é muito mais comum do que pensamos. Infelizmente! Grande beijo!
    www.janeisatomas.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha mãe era uma pessoa difícil de lidar, mas ela tinha rompantes de generosidade que a fizeram famosa. Por exemplo, ela alfabetizou todas as empregadas que passaram por nossa casa, para que pudessem ter um futuro melhor.
      Ela dava aulas e os alunos a amavam, em compensação, os colegas professores tinha medo dela e mantinham distância.
      Era conviver com o anjo e o demônio ao mesmo tempo.
      Eu citei o exemplo com ela por ela não estar entre nós mais, mas tenho dezenas de exemplos com pessoas vivas, sobre os quais me calei para evitar constrangimentos. Vou contar uma coisa, eu ainda vivo isto também.
      Beijos

      Excluir
  11. Amei o post. Muito triste mesmo pessoa ingrata. E nossa, senti dó da sua filha, imagino a decepção que ela ficou com a ingratidão da avó.

    Beijossssssss
    ┌──»ʍi૮ђα ツ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela realmente ficou abalada na época. Nunca mais toquei no assunto com ela e hj ela já é adulta. Espero que tenha esquecido.
      Beijos

      Excluir
  12. eu não respondi a pergunta no tb. mas para mim a maldade. com a ingratidão posso conviver. mas com a maldade não.

    ResponderExcluir



SUBIR