Amores passados Amores eternos - Gosto Disto!

23 de outubro de 2019

Amores passados Amores eternos

Amores passados Amores eternos

Dias atrás ouvi uma definição de que amores eternos não existem, pelo menos não aqueles amores do passado que de alguma forma não se concretizaram ou que se romperam e ficaram perdidos em anos que não vão voltar mais. Essa definição dizia que as pessoas não amam o Fulano ou a Beltrana que ficou lá no passado, mas sim amam um tempo que não vai voltar mais, amam a sua juventude que já passou e confundem com um amor eterno uma paixão que passou. Se essas pessoas realmente tivessem ficados juntas, provavelmente esse amor não seria tão profundo, tão importante em suas vidas. Seriam apenas pessoas normais vivendo vidas normais, mas como não tiveram essa vida, então idealizam.


Tenho uma amiga que está mais para Samantha Jones (Kim Cattrall) de Sex And The City e ela seria a última pessoa que eu esperaria que dissesse que tinha um amor do passado que nunca tinha esquecido, que aquele tinha sido o verdadeiro amor da vida dela. Como a família dela não gostava do cara e achava que ela era muito nova para casar, ela trocou o namoro por uma mudança de cidade para poder fazer uma faculdade, mas nunca se esqueceu dele.

Essa minha amiga casou, descasou, namorou, terminou, namorou e terminou mil vezes, ficou, fugiu, mas nunca foi dada a grandes sofrimentos. Tenho impressão que se ela tivesse ficado com o seu grande amor da adolescência, não seria mais um grande amor eterno, poderia ser até um marido, ou quem sabe um ex-marido, mas se a vida tivesse juntado os dois, seria uma vida normal e na vida normal não cabe amores eternos.

Amores passados Amores eternos


Já vi muita gente estragar a vida por comparar aquele amor passado com o amor atual e azedar o verdadeiro com as suas lembranças. Teve um caso na minha cidade que ficou famoso em determinados círculos e clubes, em que a garota foi abandonada pelo namorado e não se conformava com o abandono. Casou-se com outro e marcou para passar a lua de mel no mesmo hotel em que ela se hospedava com o ex. Não deu outra, fim de casamento durante à lua de mel e ela pôde passa ra vida na eternidade do seu amor passado, sozinha e amargurada.


Estes amores eternos não são uma característica só feminina, pois sei de pelo menos dois casos de homens que vivem esse amor eterno, ou pensam viver. Um destes caras é casado, bem casado e tem um filho, mas se dá ao luxo de não esquecer o amor eterno da adolescência, o outro é o típico solteirão que nunca se casou (diz que não se casou porque seu amor eterno casou com outro). Se qualquer um deles dois tivesse a oportunidade de conviver um mês com as suas amadas, veriam que este amor eterno não existe, pois amor eterno não resiste às mazelas do dia a dia. Amor eterno não pode ter hora para acordar, conta para pagar, lixo para pôr para fora, roupas para passar e nem cobranças de carinhos e presença.
Amor eterno para existir precisa ser inventado, precisa ser etéreo para não acabar. Amor eterno foi feito para existir no passado, para ser lembrado coberto pelo véu tênue da memória e ser regado de purpurina para poder continuar brilhando.
Viver uma ilusão é bom, ajuda a enfrentar a dureza do cotidiano, só não deixe que essa ilusão suplante a realidade e transforme sua vida em deserto no qual você vai passar seus dias se lembrando do seu amor eterno, sem que ele ou ela sequer saiba ou se lembre de sua existência.


Fotos: pxhere e StockSnap.io

8 comentários:

  1. interessante seu post pq acho que td mundo tem um tipo de amor assim

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ter até pode, mas não pode ser fixar nele, parar e ficar vivenciando algo que não vai virar.
      Beijos

      Excluir
  2. Bem isso Betty, tanto quer dizem que, se Romeu e Julieta realmente tivessem existido e ficado juntos, teriam se tornado um casal qualquer, com relacionamento normal, desgastado ou estariam separados.
    Beijos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o romantismo de Romeu e Julieta estava no fato de morrerem jovens, mas imagine com um bando de filhos correndo atrás de Julieta e um Romeu barrigudo. Não vira!
      Beijos

      Excluir
  3. Olá Betty
    Concordo plenamente com vc, em gênero, número e grau.
    Conheço siiim pessoas que vivem colocando em verdadeiras redomas de cristal os tais amores eternos.
    E o tempo passa e a pessoa vive uma fantasia que ela mesma criou e que alimenta com o maior cuidado, mas que na prática não existe.
    O tempo passou, as pessoas mudam, tudo se transforma.
    Amor é realidade.
    É (talvez mais do que olhos nos olhos) olhar os dois na mesma direção.
    Amor de faz de conta não sobrevive ao dia a dia.
    Esse texto é reflexivo e realista, mas com sensibilidade e poetice.
    Onde eu assino?????

    Ótima continuação de semana pra ti
    Bjs Luli
    https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amor é realidade mesmo, amor eterno não é amor, é fantasia.
      Beijos

      Excluir
  4. Perfeito!!! Concordo totalmente. Aquele amor do passado, que por um motivo qualquer foi rompido, hoje é um amor idealizado, pois não enfrentou um casamento, a convivência diária, preocupações com os filhos, problemas financeiros, etc.

    ResponderExcluir
  5. Oi Betty... acho que sou bem realista, nunca acreditei no tal amor eterno, amor pra mim tem que ser construído todos os dias, na dor e na delícia do dia a dia.
    Beijosss

    ResponderExcluir

Copyright 2019 - Todos os direitos reservados - Desenvolvido com
POR LORY DESIGN