Você pensa que está sozinha até que descobre que realmente está


Eu deveria ter voltado na semana passada, mas aconteceram tantas coisas que tive que dar um break. Agora que a coisa está começando a acalmar já consigo falar a respeito e até preciso falar, pois nunca me vi tão sozinha na vida.
Segunda-feira, dia 06 de janeiro foi o pior dia da minha vida...
Como já andei contando no instagram, meu marido passou por uma cirurgia de coluna no dia 20 de novembro e ficou totalmente dependente de mim. Além de cuidar da casa, das contas bancárias, boletos para pagar, imóveis para administrar, me vi transformada em enfermeira 24 horas por dia. Quando nós saímos de férias e fomos para Poços de Caldas, em estava exausta. Só tive um período de exaustão semelhante quando minha mãe teve Doença de Alzheimer e eu tive câncer ao mesmo tempo.


Quando voltamos de férias no domingo, eu tinha uma lista de coisas para fazer, pois estou com um tumor no rim que parece não ser nada sério, mas é necessário que o médico urologista verifique os exames e resolva qual vai ser o procedimento. Também preciso atualizar meus exames gerais com o meu oncologista e tudo isso junto com três apartamentos desalugados que comecei a distribuir pelas imobiliárias para locação.
No domingo meu marido começou a apresentar ausências, algo que eu chamaria de delays, meio comum nas pessoas muito comunicativas, pois já diagnosticamos que ele tem déficit de atenção, mas na segunda-feira os delays se intensificaram e eu falei para ele que deveríamos ver o que estava acontecendo. Realmente fiquei preocupada, pois minha mãe e minha avó tiveram Doença de Alzheimer e o fantasma ronda minha vida.
Desde domingo eu estava com gripe forte, mas forte de atordoar, então imagine todas as responsabilidades em cima dos meus ombros, sem ter com quem dividir e ainda com o molho ácido da preocupação com a saúde mental e física do meu marido.
Minha mãe nunca admitiu manha dentro de casa, então fui criada para passar longe de mimimi e eu não entreguei os pontos.
Na segunda peguei minha lista de afazeres e comecei indo até um dos apartamentos que estava reformando, pois dali eu deveria fazer cópia das chaves daquele apê e de mais um que também está desalugado e entregar nas imobiliárias. Outra das tarefas do dia era pegar meus exames no laboratório, pois minha impressora não está imprimindo bem, e levá-los para o urologista. Fiz os cálculos e achei que faria tudo até as 17 horas, pois às 17:30 tinha que levar meu marido à fisioterapia.
Eu sai de casa me sentindo muito mal de gripe, mas não tinha como parar, pois não tinha quem fizesse o que tinha que ser feito.
Depois de ver o andamento da reforma, eu estava saindo do prédio e torci o pé em um degrau de um centímetro. Fui com tudo para o chão. Bati o lado direito do meu quadril, o meu joelho direito (que já é muito encrencado), segurei com o meu braço direito, que não tem linfonodos devido ao câncer de mama e não consegui me sustentar, meu rosto bateu no chão abrindo um talho em minha sobrancelha.




Sobrancelha é uma área muito vascularizada e eu comecei a sangrar de dar medo. A faxineira do prédio queria me ajudar a levantar, mas se eu levantasse, meu rosto ia ficar coberto de sangue. Pedi que trouxesse papel para que eu pudesse conter o sangramento e pudesse levantar.
Levantei e ela queria chamar mais pessoas para me ajudar. Perguntou para quem eu queria que eu ligasse, mas eu não tinha ninguém! Meu marido estava sem dirigir, minha filha mora em outra cidade, minha melhor amiga está com um problema imenso com o marido e com o filho, minha outra amiga querida mora em outra cidade, outra amiga que poderia me ajudar estava viajando. Eu estava sozinha!
Levantei jorrando sangue, peguei meu carro e fui para o pronto socorro.
Quando entrei no estacionamento, o guarda já é meu velho conhecido devido a todos os problemas de saúde do meu marido, ele ficou passado, sem saber como me ajudar. Disse que eu me virava e segui em frente.
No pronto socorro, devido a hemorragia, virei emergência médica e mais uma vez queriam saber com quem eu estava e quem me acompanharia. Eu estava só!
As atendentes me levaram até o atendimento clínico explicando qual era a minha situação: Ela está sozinha.
Levei dois pontos e estava sob suspeita de deslocamento da minha prótese mamária, pois meu lado direito bateu com tudo no chão, mas nada poderia ser feito, pois caso deslocasse, só cirurgia poderia resolver (já passei por isso antes e já fiz uma cirurgia de 7:30 horas para colocar a prótese no lugar).
Quando vi que o horário estava correndo liguei para o meu marido para dizer onde estava e que talvez eu atrasasse para a fisioterapia dele, mas o porteiro do pronto socorro queria me tirar da área de atendimento por não ser permitido o uso de celular. Enfim, sozinha, machucada, dolorida e ainda ameaçada de ser posta para fora por tentar avisar ao meu marido do que estava acontecendo.
Terminado o atendimento comprei uma barra de chocolate na cantina do hospital e tentei comer na esperança estimular a serotonina e melhorar meu estado geral, mas não consegui comer nem a metade, em todo caso me deu forças para chegar até o carro e voltar para casa.
Em casa ensinei ao meu marido como tomar um uber para chegar até a fisioterapia. Só daí consegui deitar.
Além da dor no corpo que começou a se alastrar por todo ele, comecei a tremer. De início achei que era só nervoso, mas resolvi medir a minha temperatura e vi que estava com 39 graus de febre.
Já vivi dias ruins na minha vida, mas segunda-feira, dia 06 de janeiro vai ter garantido seu lugar no pódio, junto com o dia que descobri que minha mãe tinha Doença de Alzheimer, junto com o dia que foi diagnosticado o meu câncer de mama, mas também não dá para deixar de lado o dia que meu marido foi internado com uma hemorragia monstruosa que o fez ficar 11 dias hospitalizado.
Resolvi ter uma conversa séria comigo mesma: o que não puder ser feito agora, vou deixar para depois. Se tiver que perder dinheiro, eu perco, se tiver que pagar multa, eu pago, se o exame foi preocupante, me cuido quando puder cuidar. Para tudo vai ter seu tempo e eu tive que entender que não dá mais.
Me coloquei de férias forçadas. Enquanto não estiver bem, não faço nada. Vou fazer assim que der. O telefone tem tocado e eu estou deixando pra lá. Meu marido me cobra que eu tenho que fazer isso e aquilo, mas não adianta cobrar que eu não pago!
Você pensa que está sozinha até o momento que descobre que realmente está, então o melhor é assumir isso e parar de se culpar.
Boas notícias: a prótese não deslocou, a febre passou e a gripe também está melhorando.
Vai ficar um leve cicatriz na sobrancelha direita para me lembrar desse dia ruim, nada mais.
... e que venham os novos dias de 2020!


Fotos via Unsplash: Keenan Constance e Imani Clovis

Compartilhe

Betty Gaeta

Gosto Disto foi criado por Betty Gaeta, publicitária, advogada e blogueira, de Bauru - SP, para falar de moda, beleza, comportamento, viagens, decoração, filmes e tudo o que se refira ao universo feminino.

25 comentários:

  1. Olá Betty, de fato um dia péssimo mas vc conseguiu ler os sinais e tirar o lado positivo: não adianta forçar e temos que nos cuidar mais e assumir que as coisas serão feitas no tempo delas e não quando nós queremos. Quanto a estarmos sozinhas, sim, isoo acontece. Não é opor mal, mas as pessoas têm suas próprias pendências e problemas para resolver e por vezes, por mais que queiram, não conseguem acudir um amigo. As melhoras e que 2020 que começou conturbado lhe traga tranquilidade. Beijos, boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi um dia e tanto do qual só estou me recuperando agora. O melhor é que meu marido teve que parar de mimimi e assumir as coisas que eu estava assumindo sozinha. Está sendo uma cura milagrosa por parte dele. rsrsrs
      Beijos

      Excluir
  2. Puxa,Betty! Cada surpresinha que a vida nos oferece!!!Na hora parece que nosso mundo cai... Depois, pouco a pouco, vamos tenso coerência e lucidez pra saber que não somos DUAS OU MAIS e que temos que nos cuidar pra poder ,POUCO A POUCO dar conta de tudo! Desejo tudo de bom,que os dias venham melhores! E que bom tudo se acalmando ,com o resultado ,etc... TE CUIDA! Fiquem bem! bjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi um susto e uma benção, pois algumas pessoas já tinham me alertado de que, por me preocupar demais e fazer demais, eu estava transformando meu marido num dependente. Não é que ele está se virando e se recuperando bem melhor sem a minha ajuda. Quando a água bateu, ele aprendeu a nadar!
      Beijos

      Excluir
  3. Que dias difíceis. Força! E Feliz 2020.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi um início de ano daqueles! Agora já posso esperar pelos dias bons, pois os piores já vieram. rsrsrs
      Beijos

      Excluir
  4. Oi Betty, puxa, que dia de cão mesmo, mas graças a Deus não aconteceu o pior e é isso mesmo, vá resolvendo as pendências conforme for possível, não se cobre tanta perfeição, a gente se vai e as coisas acabam se resolvendo de um modo ou de outro, então, cuide-se para ficar ainda muito tempo por aqui e muito bem, é claro. Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, a gente vive se cobrando, não é mesmo? Agora entrei no ritmo de fazer o que posso e ponto final.
      Beijos

      Excluir
  5. Oi Betty... que dia mais horrível, mas você enfrentou com lucidez e bom senso, não culpou ninguém e isso demonstra o quanto o seu espírito é superior, e você não estava sozinha de tudo, veja as pessoas que se preocuparam com você, e acima de tudo Deus estava contigo. Tudo vai ficar bem, acredite.
    Um super beijo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu estou bem, ainda com um restinho de gripe. O susto foi enorme, mas serviu para o meu marido acordar e assumir as responsabilidades também.
      Beijos

      Excluir
  6. Nossa, nem sei o que te dizer...
    mas com certeza dias melhor virão!

    cobaiaamiga.com

    ResponderExcluir
  7. Betty, que situação... puxa vida.

    Minha mentalização, força e vibrações para que tudo se resolva e você fique bem. Sei bem como é ter marido doente em casa e o peso nos ombros. Depois do acidente do meu marido, em 2016, comecei a ver que se agente para de se olhar, ninguém nos enxerga.

    Te cuida e minha torcida fervorosa para tudo ficar bem. bjks mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu realmente me senti sobrecarregada. Não falei para ninguém, mas duas amigas falaram a mesma coisa: está sendo muito para mim. Agora as coisas estão se acalmando.
      Beijos

      Excluir
  8. Nossa Betty, que perrengue! Espero que já esteja melhor da gripe e que a cicatrização em seu rosto esteja OK. Sinto muitíssimo amiga!
    Por favor, cuide-se bem, não tente sair de casa se não estiver realmente bem.
    Torcendo muito para que tudo se normalize por aí...
    Grande e carinhoso abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cris,
      Hoje comecei na academai, já não aguentou mais ficar em casa, mas bem pianinho. Tô pegando leve.
      Beijos

      Excluir
  9. Oi Betty,
    Nossa que susto hein? Fico feliz que agora está se recuperando e fico na torcida para que tudo entre nos eixos. Uma vez torci meu tornozelo e tive q ir sozinha para o pronto socorro não tinha ninguém pra ficar comigo, foi terrível.
    Convido vc para participar da minha PESQUISA DE PÚBLICO
    Big Beijos
    Lulu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lulu,
      não é fácil virar emerg~encia médica sozinha.
      Já vou lá no seu blog participar.
      Beijos

      Excluir
  10. Oi amiga, que perrengue! Eu e marido já passamos por vários. Resultado: distribuímos tarefas (sempre foi assim), mas agora nós dois sozinhos com filho longe e parentes que seguem seus caminhos, resolvemos simplificar à vida. Menos para nós é mais. E vida que segue. Fique bem querida. Paz e luz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Jô. Aqui não tem muito o que simplificar, mas vamos indo. Agora ele já está me ajudando.
      Beijos

      Excluir
  11. Acho um absurdo o hospital fazer isso com as pessoas que entram sozinhas. Sou filha única e meus pais faleceram. Eles eram filhos mais novos e, assim sendo, a maior parte dos meus tios e primos já faleceram. Se meu marido me faltar não serei aceita em hospitais por falta de um acompanhante.

    ResponderExcluir
  12. Oi Betty,

    Acabei me emocionando com o seu depoimento não só por toda situação que vc passou neste dia, mais principalmente quando vc cita sobre o doença de Alzheimer da sua mãe, porque vivencio essa doença com o meu pai é muito triste, e muitas vezes a gente acaba ficando sem chão...
    Melhoras para você e seu marido, apesar do ano ter começado um pouco turbulento 2020 será iluminado vamos ter FÉ.

    Agradeço você por estar me seguindo lá no Instagram @rô_customizacao, bjs gde e fique com Deus.

    ResponderExcluir
  13. Que dia difícil, Betty!
    Desejo melhoras pra você, para o seu marido... muita luz, paz e saúde.
    Um abraço apertado;)

    ResponderExcluir
  14. Betty querida,
    Sinta-se abraçada por mim!Espero que tudo já esteja nos eixos, como se diz, ou se encaixando!
    Muita saúde e alegrias para vocês!

    ResponderExcluir

Blogs que valem uma visita