Dor E Glória um filme autobiográfico e triste do Almodóvar, mas belíssimo

Dor E Glória um filme autobiográfico e triste do Almodóvar, mas belíssimo

Que Dor E Glória é um filme autobiográfico não resta dúvida, basta olhar para o aspecto de Antonio Banderas como Salvador Mallo, com o penteado e a barba de Pedro Almodóvar e um figurino igual ao do diretor em seu dia a dia, e eu normalmente não gosto de filmes autobiográficos. Adoro biografias filmadas, mas quando a pessoa resolve falar de si mesma na tela acaba sempre se gabando dos seus feitos ou caindo num mimimi que parece não ter fim, mas não é o caso de Dor E Glória, pode assistir sem medo de pieguices.
Eu me interessei por Dor E Glória por ser um filme de Pedro Almodóvar e eu amo Pedro Almodóvar, e um Almodóvar com Antonio Banderas não poderia dar errado, vez que os filmes do início de carreira de ambos são sensacionais.

Antonio Banderas é um ator mediano no cinema americano, mas no cinema espanhol, sob a batuta de Pedro Almodóvar ele sempre supera todas as expectativas e não foi diferente em Dor E Glória.



Dor E Glória um filme autobiográfico e triste do Almodóvar, mas belíssimo

Resenha


Dor E Glória conta a história de Salvador Mallo um cineasta decadente que está envelhecendo mal, cheio de doenças e achaques da idade. Enquanto ele luta com dores nas costas, enxaquecas constantes e uma depressão, começa a padecer de uns engasgos que o sufocam.
Ao mesmo tempo em que enfrenta a velhice ele vai se recordando da infância pobre em um povoado espanhol.
O filme mostra o menino pobre e inteligente que foi educado num seminário, por ser esta a única chance de ter acesso à educação formal para os pobres. Sua mãe Jacinta, representada na fase jovem por Penélope Cruz e na fase idosa por Julieta Serrano, era lavadeira e fazia pequenos serviços de costura para ajudar no sustento da família.
O filme mostra a descoberta da homossexualidade pelo jovem Salvador (Asier Flores), em uma cena memorável em que ele desmaia ao ver pela primeira vez um homem nu. Grande atuação de Asier Flores.
Almodóvar faz as pazes com o seu passado através de Salvador Mallo, e se reconcilia com sua mãe já falecida, pois ela nunca o aceitou por ele ser como era.
Mostra a sua briga com Alberto Crespo (Asier Etxeandia) um ator com quem trabalhou há trinta anos atrás e o seu vício em heroína.

Também mostra a sua grande paixão por Frederico (Leonardo Sbaraglia) e como a vida os separou fazendo com que seguissem caminhos diferentes.

Dor E Glória um filme autobiográfico e triste do Almodóvar, mas belíssimo

Porque assistir


O filme não é um Almodóvar típico, com cenas coloridas e trechos que beiram o absurdo. É um filme mais pé no chão, mais verdadeiro. Embora algumas cenas sejam quase em tons pastel, é um filme de Almodóvar e a casa onde Salvador mora tem boas pincelas coloridas, especialmente na cozinha.
Almodóvar saiu do seu ritmo habitual em Dor E Glória e se deu muito bem nesta sua nova experiência cinematográfica.

Não espere ver o Almodóvar que você estava acostumada em Tudo Sobre Minha Mãe, Ata-Me, Mulheres À Beira De Um Ataque De Nervos e tantos outros. Neste filme Pedro Almodóvar está mais maduro, mais cansado, mais denso e entregando a sua alma com sinceridade e carinho para um público que ele sabe que o ama, e ele retribui esse amor com um filme magnífico.

Dor E Glória um filme autobiográfico e triste do Almodóvar, mas belíssimo

Preste atenção



Embora o filme seja mais melancólico do que todos os outros 20 filmes anteriores (esse é o 21º filme de Pedro Almodóvar), existe uma cena muito engraçada que beira o surreal, na entrevista que Salvador e Alberto Crespo dão por celular para uma plateia aturdida diante da briga que começa a rolar entre ambos.

Dor E Glória um filme autobiográfico e triste do Almodóvar, mas belíssimo

Moda e Figurino


Antonio Banderas, como Salvador Mallo é o alter ego de Pedro Almodóvar, então não poderia ser diferente, seu figurino é exótico, muito colorido e sem nenhum vínculo com a época em que o filme se passa.

Muitas vezes este colorismo e excentricidade do figurino avança para outros personagens como Alberto Crespo e Frederico, este último todo vestido em tons de vinho.

Dor E Glória um filme autobiográfico e triste do Almodóvar, mas belíssimo


Dor E Glória já rendeu um prêmio de melhor ator para Antonio Banderas, no Festival de Cannes de 2019 e também está indicado para o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 2020, estes dados já fazem com que o filme ganhe um destaque especial. É um filme para Oscar, muito embora existam vários filmes bons concorrendo.
O filme está disponível no Youtube no modo pago, mas vale cada centavo que você vai gastar. Não perca, pois é um dos melhores filmes que você vai ver este ano.



Compartilhe

7 comentários:

  1. oi belissima, como voce esta ?
    estou voltando a postar no blog, deu saudade, e voltei
    lendo a trama deu vontade de ver esse filme, vi muitos filmes dele, mas esse ainda não.
    a gente ver um artista bem sucedido, cheio de fama e dinheiro, e as vezes esquece o que tem por trás.

    baci

    ResponderExcluir
  2. Olá Betty
    Gosto muito do Almodóvar e sou fã incondicional do Banderas.
    Sua resenha fez com que eu ficasse com mais vontade ainda de assistir o filme.
    Ainda mais que é uma película atípica, diferente do estilo Almodóvar com que estamos acostumadas.
    As atuações devem ser otimas e os figurinos excelentes.

    Aaaaaahhhhh deixa eu enviar um recado para o Juanito:
    Seu lindo, você pode não gostar que te peguem no colo, masssss se eu te encontrar, te pego e te dou dois beijos estalados nas bochechas 🐶🐶 coisa mais linda.

    Ótimo fds pra vcs aí
    Bjs Luli
    https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Não assisti, mas pretendo. Gosto do Banderas e da Penélope.
    Gostei da postagem.
    blogjoturquezzamundial
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Betty, sua reflexão fez-me finalmente decidir ver o filme. Tenho adiado porque a história parecia aborrecida. Gosto bastante de alguns filmes do Almodovar, não todos, mas vejo sempre. É como com o Woody Allen. Ultimamente os filmes não são o que eram, mas eu continuo a ver cada novo que sai.Vi o Banderas pela última vez num filme que se chama The laundromat. Está competente mas não excepcional. Penso que Parasite vai levar o Oscar de melhor filme estrangeiro sem problemas. E ainda não vi todos os nomeados mas eu daria também a ele o de melhor filme! Vamos ver.

    ResponderExcluir
  5. Oi Betty... ainda não vi, mas de verdade nem estava na minha lista, acho que
    será um daqueles filmes que um dia, sem querer vou assistir, rsrsrs
    Beijosss!!!

    ResponderExcluir
  6. Eu amei o figurino e as paisagens. Grata por partilhares amiga! Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Oi Betty, eu adorei esse filme. A cena é bem surreal e divertida mesmo. E o figurino? E as cores? Tudo muito Almodovar.
    beijos
    Chris
    Inventando com a Mamãe / Instagram  / Facebook / Pinterest


    ResponderExcluir

Blogs que valem uma visita