Viver Duas Vezes filme que quase mostra a realidade do Alzheimer - Gosto Disto!

28 de fevereiro de 2020

Viver Duas Vezes filme que quase mostra a realidade do Alzheimer

Viver Duas Vezes filme que quase mostra a realidade do Alzheimer

Assisti ao filme Viver Duas Vezes por uma indicação da Revista Bula, mas teria assistido antes se soubesse que era sobre a Doença de Alzheimer, doença essa que tem assolado a minha família há duas gerações, quem sabe três, pois ainda não cheguei na idade crítica, mas posso ter sido premiada na loteria genética familiar.

É o primeiro filme sobre Doença de Alzheimer que se aproxima da realidade da doença, bem diferente do filme Para Sempre Alice, que embora seja um filme emocionante sobre a Doença de Alzheimer e tenha uma interpretação maravilhosa de Julianne Moore, a Alice do filme é muito boazinha, nunca agride a família e o filme é essencialmente triste.


Doença de Alzheimer é triste, mas tem o seu lado engraçado também e o filme Viver Duas Vezes consegue mostrar os dois lados da doença, pois é uma comédia dramática.

Notinha: Cabe aqui colocar a razão de eu falar em Doença de Alzheimer e não em Mal de Alzheimer. Quem tem o problema na família sabe que está lidando com uma doença que ainda não tem cura, mas tem tratamento e o doente pode ter uma boa vida mesmo depois de ter sido diagnosticado, enquanto falar de “Mal”, é falar de algo tenebroso, que não tem como tratar ou lutar contra, portanto, seja gentil com todos que têm essa doença e jamais use o termo Mal de Alzheimer.

Viver Duas Vezes filme que quase mostra a realidade do Alzheimer

Resenha


Emilio (Oscar Martínez) é um professor universitário de matemática, aposentado, viúvo, que mora sozinho e tem em sua rotina tomar o café da manhã em uma cafeteria onde sempre resolve o Sudoko diário do jornal, que ele faz questão de chamar de Quadrado Mágico. Um dia ele falha na solução do Sudoko e não se conforma, pois seu raciocínio lógico é praticamente infalível. Ele chega a ligar para o jornal que publica os Sudokos para dizer que o Sudoko daquele dia estava errado. A partir daí a mente de Emilio começa a falhar e ele é diagnosticado com Doença de Alzheimer.
Quem lidou com um paciente de Alzheimer sabe bem como é feito o teste para detectar o dano que a doença está causando no cérebro, e este teste é composto de perguntas simples como qual é dia, qual o mês, qual é a estação do ano e contas matemáticas elementares.
No início, Emilio consegue se sair relativamente bem nos testes, mas à medida que a doença vai avançando ele vai falhando cada vez mais.
Com a doença de Alzheimer se fazendo presente cada vez mais em sua vida ele se vê obrigado a se aproximar de sua filha, Júlia (Imma Cuesta), sua neta Blanca (Mafalda Carbonell) e de seu genro Felipe (Nacho Lopéz).
As características dos personagens secundários são muito interessantes e dão um toque de humor e drama ao filme. Julia é uma representante de laboratórios médicos que está acostumada com hospitais, consultórios e médicos. Blanca tem 12 anos, um pequeno defeito no caminhar e um sarcasmo próprio da idade. Felipe está desempregado e atua como coach on line, postando mensagens edificantes, cheias de frases feitas e que bem pouco condizem com a realidade que ele vive.
Enquanto a doença não se intensifica, Emilio resolve que quer rever uma ex-namorada de sua adolescência, chamada Margarita, só que ela mora em outra cidade. Inicialmente ele conta com a ajuda de Blanca, sua neta, para ir ter com Margarita, mas acaba não conseguindo se deslocar com o auxílio de uma menina por uma estrada que ele desconhece.
Ao voltar para sua casa, a doença vai avançando e Emílio se vê obrigado a morar com sua filha.
Por fim ele consegue convencer Julia e toda a família a fazer esta viagem em busca da Margarita.

O filme vira um road movie temperado com as loucuras próprias da Doença de Alzheimer.

Viver Duas Vezes filme que quase mostra a realidade do Alzheimer

Porque você deve assistir


Até hoje eu não tinha visto nenhum filme sobre Alzheimer que mostrasse o lado engraçado da doença, mas este lado existe, bem como o lado triste e o lado agressivo. Viver Duas Vezes consegue mostrar várias facetas desta doença, que em alguns momentos pode ser até enternecedora.

O filme “quase” mostra a realidade da Doença de Alzheimer porque se desliga da realidade no final, mas isto não atrapalha em nada o roteiro, ao contrário, o engrandece, afinal o filme em momento algum se propôs a ser biográfico e contar sobre a doença de um personagem real.

Viver Duas Vezes filme que quase mostra a realidade do Alzheimer

Preste atenção



Fiquei fascinada com a atuação de Oscar Martínez como Emilio, pois ele consegue mostrar com sua expressão corporal e facial o avançar da Doença de Alzheimer. Note como o olhar dele vai ficando vazio à medida que a doença vai avançando. Este vazio nos olhos é uma característica muito marcante no paciente de Alzheimer em grau avançado. 

Viver Duas Vezes filme que quase mostra a realidade do Alzheimer

Talvez o filme Viver Duas Vezes faça você chorar... nos momentos finais eu dei uma choradinha, confesso, mas não é um filme lacrimoso por excelência. É um filme terno, comovente e até mesmo engraçado. Recomendo muito, principalmente se você já conviveu com alguém que tenha ou teve a doença.

Viver Duas Vezes filme que quase mostra a realidade do Alzheimer



6 comentários:

  1. Essa doença está cada vez mais próxima de cada um de nós. Em tantas famílias ela se instala. Deve ser muito bom o filme...Gostei da indicação! bjs, chica, lindo fds!

    ResponderExcluir
  2. Betty
    Já quero vê-lo!! Gostei demais da resenha.
    Um beijo, sua linda!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Betty... ainda não assisti, mas já está anotado.Obrigada pela indicação!!!
    Beijosss!!!

    ResponderExcluir
  4. Betty, eu adicionei à minha lista, quero ver.
    Minha tia materna nº 3 tem a doença.
    É muito sofrido, ela está em estágio bem avançado e minhas primas, especialmente a que mora com ela, estão bem afetadas.
    E sim, apesar de tudo que é tão ruim tem umas passagens engraçadas, como ela subindo no muro e parando estranhos pra contar que estava em cárcere privado, sem comida, presa, amarrada... e minhas primas tendo que ir de casa em casa procurar ela quando fugia...
    Mas é tenso, especialmente na fase de agora.
    Ela nem soube que o filho mais velho morreu...

    beijossss

    ResponderExcluir
  5. Adorei o post.
    Modelos de Lousa de Vidro Magnética, Sao Paulo - SP

    ResponderExcluir
  6. Very good.
    Modelos de Lousa de Vidro com Logo, Sao Paulo - SP

    ResponderExcluir

Copyright 2019 - Todos os direitos reservados - Desenvolvido com
POR LORY DESIGN