A história maravilhosa de Madam C.J. Walker na Netflix - Gosto Disto!

27 de março de 2020

A história maravilhosa de Madam C.J. Walker na Netflix

A Vida E A História De Madam C.J. Walker

Das séries novas que a Netflix lançou em março, a melhor é A Vida E A História De Madam C.J. Walker sem nenhuma dúvida. É uma minissérie que dá para maratonar em um final de semana.

A Vida E A História De Madam C.J. Walker tem como protagonista principal Octavia Spencer, uma atriz que eu amo e não perco nada que ela tem feito nos últimos tempos. Aquilo que Octavia Spencer faz sempre tem a chancela de qualidade e não poderia ser diferente com esta minissérie.


A Vida E A História De Madam C.J. Walker

Resenha


A Vida E A História De Madam C.J. Walker conta a história de Sarah Breedlove - Madam C.J. Walker, uma mulher negra, semianalfabeta, filha de escravos libertos, que no início do século XX se tornou a primeira mulher a se tornar milionária por conta própria nos Estados Unidos. Existiram outras mulheres milionárias antes delas, mas eram herdeiras, ela foi a primeira a construir uma fortuna por sua conta.
Sarah Breedlove - Madam C.J. Walker trabalhava como lavadeira quando começou a perder os cabelos e isto a fez cair em depressão, até que, uma de suas patroas, Addie Munroe (Carmen Ejogo), a apresentou para um elixir poderoso que fez com que o seu cabelo parasse de cair e começasse a crescer. Sarah se entusiasmou de um tanto que passou a vender o produto em feiras livres.

Devido a um desentendimento entre Sarah e Addie, Sarah resolve criar o seu próprio elixir para cabelos e acaba por se tornar uma empreendedora de sucesso.

A Vida E A História De Madam C.J. Walker

Curiosidades


A minissérie A Vida E A História De Madam C.J. Walker foi baseada no livro On Her Own Ground, escrito pela trineta de Sarah, Lelia Bundles, e a história contada na minissérie se afasta um bocado da história verdadeira de Madam C.J. Walker.
Sarah Breedlove – Madam C.J. Walker foi revendedora do elixir de Annie Malone, com quem se desentendeu, cada uma seguindo o seu caminho. Na minissérie, Annie Malone se transforma em Addie Munroe.
Sarah se tornou um empreendedora de sucesso, filantropa e ativista afro-americana, mas Annie Malone também se tornou uma empresária bem sucedida, filantropa e ativista, e não aquela pessoa invejosa e perseguidora que se vê na minissérie.
A filha de Sarah Breedlove, Lelia, na vida real se casou três vezes e nada indica que fosse homossexual e que sua a mãe tenha aceitado esse fato após uma leve reprimenda, isso não passou de uma licença poética do enredo.
A vida e a obra de Sarah Breedlove - Madam C.J. Walker foi tão rica e entusiasmante que não precisava dessas licenças poéticas, mas nem por isso a minissérie deixa de ser interessante

A Vida E A História De Madam C.J. Walker

Porque assistir


Eu não tinha a mínima ideia da existência de Sarah Breedlove e fiquei emocionada ao ver o quanto uma mulher que veio da lavoura e sem educação formal, conseguiu crescer. Sarah era determinada e tinha visão para negócios.

Ela foi uma precursora e a minissérie A Vida E A História De Madam C.J. Walker serve de lição de vida para todas as mulheres.

A Vida E A História De Madam C.J. Walker

Moda e figurino


O figurino de época de A Vida E A História De Madam C.J. Walker retrata a moda que era usada no início do século XX e é muito bonito e bem cuidado.

Octavia Spencer é uma mulher negra, de meia idade e plus size, mas consegue segurar bem os figurinos de época e conquistar a simpatia e admiração de todos na hora que aparece na tela.

A Vida E A História De Madam C.J. Walker

Em tempos de isolamento voluntário a minissérie A Vida E A História De Madam C.J. Walker não é apenas um tapa buraco para quem está procurando como matar o tempo, mas sim uma minissérie obrigatória para todas as mulheres e mesmo para os homens que acreditam na força de uma ideia, e que determinação e trabalho podem realizar qualquer coisa.

A Vida E A História De Madam C.J. Walker


Veja também:






6 comentários:

  1. Olá Betty, esta foi a única mini série que comecei a ver em tempos de isolamento....e desisti. Achei muito chato o enredo e a ação se desenrolava muito devagar. Havia cenas enormes bem entediantes. Comecei a ver justamente porquê também gosto da atriz protagonista mas não rolou. Agora, quanto aos figurinos, concordo plenamente com vc e foi das coisas que me chamou a atenção: apesar da Octavia Spencer ser plus size, os modelos a favorecem incrivelmente e são lindos. Beijos! Val.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu amei a minissérie, mas achei que faltou sororidade, então fui pesquisar a história real e descobri que naõ era bem assim, mas achei incrível o fato de uma mulher semi analfabeta conseguir se tornar umamilionária!
      Beijos

      Excluir
  2. Oi Betty... eu já ia maratonar nesse final de semana, rsrsrs
    Uma amiga me indicou... eu também amo a Octavia Spencer, ela é maravilhosa!!!
    Beijosss!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Octavia é uma atriz perfeita e tudo oque elafaz eu gosto.
      Beijos

      Excluir
  3. Também gosto demais da Octavia, ela se joga na personagem que parece ser verdadeira.
    Não assisti a mini.
    blogjoturquezzamundial
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma minissérie boa para maratonar. Aproveite o isolamento.
      Beijos

      Excluir

Copyright 2019 - Todos os direitos reservados - Desenvolvido com
POR LORY DESIGN