O Cidadão Ilustre razões para assistir ao filme

O Cidadão Ilustre razões para assistir ao filme

Descobri o filme O Cidadão Ilustre porque o trabalho de Oscar Martínez, no filme Viver Duas Vezes, que resenhei na semana passada, me chamou muito a atenção, o trabalho dele como ator foi perfeito e mais uma vez me surpreendeu. Além do trabalho de Oscar Martínez, O ilustre Cidadão mais uma vez confirma a capacidade inigualável que nossos hermanos argentinos têm de escrever bem um roteiro. Infelizmente falta muito para o cinema brasileiro chegar aos pés dos roteiros escritos pelos argentinos, pois eles conseguem fazer filmes de primeira qualidade sem que sejam filmes caríssimos, provando que um bom roteiro, com boa direção e bons atores bastam para criar uma obra prima, pois é isto que O Cidadão Ilustre é, uma obra prima.


O Cidadão Ilustre razões para assistir ao filme

Resenha


Daniel Mantovani (Oscar Martínez) é um escritor argentino que mora na Europa há mais de 40 anos e recebeu o Prêmio Nobel de Literatura. Seu discurso ao receber o tal prêmio é muito mordaz e ele vê aquele prêmio como o fim de sua carreira como escritor. Após receber o prêmio ele fica sem escrever por 5 anos e tem por costume recusar todo e qualquer convite que receba, até que recebe o convite para receber o prêmio de Ilustre Cidadão na cidadezinha onde nasceu, Salas, que fica 800 quilometros de Buenos Aires e da qual saiu ainda jovem e nunca mais voltou.
Daniel resolve aceitar o prêmio e viajar para sua cidade natal, um tanto por saudosismo, outro tanto por vaidade, pois agora ele será o herói local.

Sua permanência na cidade começa bem, mas em pouco tempo a visita desanda, um tanto devido ao cinismo de Daniel, outro tanto pelo fato dele não caber mais naquele lugar do qual fugiu e muito devido ao ciúme dos moradores que não se sentem prestigiados por aquela presença que vai se tornando incômoda a medida que o tempo vai transcorrendo.

O Cidadão Ilustre razões para assistir ao filme

Porque assistir


Essencialmente o filme O Cidadão Ilustre é uma comédia, e eu não classificaria como comédia dramática, mas sim como comédia ácida, e mostra o melhor e o pior do ser humano. Em quase duas horas de filme a vaidade dos locais e do próprio Daniel, transborda na tela, bem como o ciúme de quem não recebe a atenção que juga ser merecedor de receber.
A obra de Daniel Mantovani é toda inspirada naquilo que ele viveu em Salas em sua juventude, e algumas pessoas se sentem lisonjeadas de se verem retratadas nos seus livros, enquanto outras se sentem ofendidas.
O pior e o melhor do ser humano vem à tona em O Cidadão Ilustre e se você já viveu ou visitou uma cidade pequena, vai se ver neste filme, ora como Daniel Mantovani, ora como um morador do local.

  
O Cidadão Ilustre razões para assistir ao filme

Preste atenção


As pessoas são vaidosas e muitas vezes não têm noção do ridículo de suas atitudes e nem mesmo daquilo que consideram suas obras. Veja a escolha de quadros para serem premiados em uma exposição que acontecerá em Salas, tenho certeza que você já viu telas parecidas com aquelas penduradas em muitas casas, como sendo a obra da vida da mãe, pai ou da avó de alguém.

Note como a falta de aceitação pode levar a atitudes extremas.

O Cidadão Ilustre razões para assistir ao filme

Cenário


Procurei a cidade ou povoado de Salas na internet, mas este povoado parece não existir. Tentei saber onde as externas do filme foram feitas, mas também não encontrei nenhum dado. A verdade é que a cidadezinha pode ser qualquer uma, em qualquer lugar da América do Sul. Eu moro em Bauru, uma cidade que tem por volta de 400.000 habitantes no meio do estado de São Paulo, e Bauru está cercada por cidades pequenas, que são cidades dormitórios, pois as pessoas trabalham em Bauru, mas moram nestas cidades ou distritos pequenos como Piratininga (13.000 habitantes), Tibiriçá (1.500 habitantes), Borebi (2.500), Guaianás (1200); todos estes locais se parecem muito com o povoado de Salas retratado no filme.
Esses lugares pequenos são feitos de ruas arborizadas, casas simples, porém confortáveis, botequins frequentados apenas pela população masculina (a feminina quando se faz presente é por motivo de trabalho e trabalho nem sempre honroso), cães sem raça que andam no meio da rua sem medo dos carros, que são poucos. Nessas cidadezinhas é comum ver prédios abandonados e semidestruídos que tiveram dias melhores.

Se você conhecer ao menos um destes povoados, então conhece todos e conhecerá Salas, com toda a sua falsa solidão, que é incomodada por fofocas feitas através de janelas que não se abrem totalmente, por olhos que espreitam a vida dos vizinhos através de portas semiabertas.

O Cidadão Ilustre razões para assistir ao filme


O Cidadão Ilustre é um filme maravilhoso por fazer com que você questione e se sinta incomodada(o) desde a primeira cena com as atitudes de todos os personagens, personagens esses muito humanos, comicamente humanos, dolorosamente humanos.




Compartilhe

Betty Gaeta

Gosto Disto foi criado por Betty Gaeta, publicitária, advogada e blogueira, de Bauru - SP, para falar de moda, beleza, comportamento, viagens, decoração, filmes e tudo o que se refira ao universo feminino.

2 comentários:

  1. Oi Betty... é bacana assistir filmes assim, a natureza humana em sua plena forma.
    Ainda não vi, mas já está anotado.
    Beijosss!!!

    ResponderExcluir
  2. Vi este filme no cinema há uns três anos, não lembrava mais dos detalhes, mas me recordo que gostei muito na época; E concordo contigo, os roteiros argentinos são ótimos!

    ResponderExcluir

Blogs que valem uma visita