Gloria Bell amor sexo e solidão depois dos 50 anos


Gloria Bell filme com Julianne Moore

Escolhi o filme Gloria Bell para assistir por causa da Julianne Moore, uma atriz que faz com que todo filme se torne ótimo, independente do enredo, e para completar o filme tem John Turturro como coadjuvante, no papel de Arnold, outro ator que segura qualquer papel com garra. Não me enganei, o filme é realmente muito bom, mas depois de assisti-lo, fui pesquisar sobre o filme e descobri que é um remake de um filme mexicano chamado Gloria, cujo diretor, Sebantián Lelio, é o mesmo nos dois filmes. Foi aí que me vi obrigada a assistir ao filme Glória original, pois é um filme premiadíssimo e cujos críticos apontam como sendo um filme bem melhor do que o filme posterior, Gloria Bell, com a Julianne Moore.
Eu não sou crítica e nem me considero uma cinéfila, apenas uma curiosa, e comparando os dois filmes, gostei mais do remake.



O filme Gloria, estrelado por Paulina García, no papel principal, e Sergio Hernandez, como Rodolfo, é uma filme mais duro, mais áspero. A Gloria chilena é mais solitária do que a Gloria Bell americana. Embora as duas padeçam de solidão, Gloria Bell tem uma mãe idosa, Hillary (Holland Taylor), que faz com que ela tenha uma âncora no mundo que vai além dos filhos, quem tem mãe tem raiz.
As cenas de sexo do filme original são duras, quase cruéis, não tem nada de sutis ou sensuais, bem diferente das cenas de Gloria Bell, que são mais pasteurizadas. O filme Gloria original seria um filme para maiores de 18 anos, enquanto o filme Gloria Bell seria para maiores de 12 anos, quando muito.
O filme original tem cenas de nu frontal e marcas de elástico, das roupas de baixo que foram tiradas, no corpo da atriz, fazendo com que sejam mais reais. Seus nus não têm maquiagem corporal e nem luz que os deixem poéticos, são nus animalescos, nem dá para dizer que os atores estão nus, eles na verdade estão pelados.
O que tem de interessante no filme original é que o pano de fundo é político, um dado que falta no remake.
Se puder, assista ambos os filmes, pois ambos são bons, se tiver que optar por um só, então fique com Gloria Bell, com Juliane Moore.

Gloria Bell filme com Julianne Moore

Resenha


Vou resenhar o filme tomando por base o remake.
Gloria Bell é uma mulher de meia idade, divorciada, mãe de dois filhos adultos e independentes, Anne (Karen Pistorius) e Peter (Michael Cera), já é avó, e mora sozinha.
Apesar de sua solidão, do distanciamento dos filhos, que parecem ignorá-la, ela é uma pessoa bem resolvida, pois trabalha e gosta de sair à noite para dançar em bares de solteiros de meia idade e eventualmente transa com seus parceiros de dança.
Numa destas saída ela conhece Arnold, que também é divorciado como ela e tudo correria bem, pois a química entre eles é intensa, mas Arnold, diferentemente de Gloria, está divorciado há menos tempo e tem uma ex-família totalmente dependente, tanto econômica quanto emocionalmente, dele.
Os filhos de Gloria, trabalham e têm as suas próprias casas e vidas, enquanto as filhas de Arnold, duas mulheres com as mesmas idades dos filhos de Gloria, nunca fizeram nada na vida e vivem com a mãe.
A cada passo que dão, as filhas ligam para Arnold para que ele tome as decisões por elas. Arnold não consegue se desvencilhar dessa família que deveria estar mais distante e não assume o namoro com Gloria diante de suas filhas.
Quem já namorou um homem que tem o rabo preso com a família anterior vai entender bem o sentimento que este filme passa. A passividade de Arnold é irritante, ele é fraco, submisso à ex-mulher e às filhas, mas ao mesmo tempo é apaixonado por Gloria.

Gloria Bell filme com Julianne Moore

Porque assistir


Gloria é uma pessoa real, muito humana. O filme mostra os dois lados de moeda que é estar na meia idade, pois se seus filhos são independentes, a pessoa se sente só, é colocada de lado, mas se esses filhos continuam vinculados aos pais, e ainda estão em casa numa idade em que já deveriam ter suas próprias vidas, a solidão não existe, mas existe a preocupação com vidas que já deveriam estar em construção em outros patamares e que se estagnaram em um núcleo familiar que não permite a continuidade. São os filhos eternos, filhos que não serão pais e nem avós, serão apenas filhos.

Gloria Bell filme com Julianne Moore

Preste atenção


A solidão de Gloria fica patente quando a vemos ligando para os filhos e deixando mensagens, pois eles não atendem seus telefonemas, mas esta solidão se consolida quando vemos Gloria em uma aula de ioga e no final da aula descobrimos que a professora de ioga é Anne, filha de Gloria, e ela está lá, não pela aula, mas sim por aquela aula ser uma chance de ver a filha, que nunca tem tempo para ela.

Gloria Bell filme com Julianne Moore

Trilha sonora


Gloria Bell sempre canta quando está dirigindo, ou mesmo em casa sozinha, e, no filme americano, a trilha sonora não é nada sutil, pois foram escolhidas músicas que falam diretamente sobre o momento que Gloria está vivendo e o que ela está sentindo. No filme mexicano a trilha é um pouco mais sutil, incluindo uma interpretação deliciosa de “Águas de Março”.
A cena de Gloria dançando a música “Gloria”, de Laura Branigan, tanto no filme original, quanto no remake é fantástica e mostra toda a força da mulher corajosa que ela é.


Gloria Bell filme com Julianne Moore

Se você optar por assistir Gloria Bell, chame a família e estoure pipoca, pois é um filme que tem tudo para agradar a todos. Mas se você for assistir ao filme Gloria original, é melhor deixar as crianças fora da sala, pois as cenas são cruas demais, e esqueça a pipoca, pois não vai ser digerida com facilidade.

Deixo aqui os trailers de ambos os filmes.






Compartilhe

Betty Gaeta

Gosto Disto foi criado por Betty Gaeta, publicitária, advogada e blogueira, de Bauru - SP, para falar de moda, beleza, comportamento, viagens, decoração, filmes e tudo o que se refira ao universo feminino.

7 comentários:

  1. Muito bom. Já quero assistir!

    juliamodelodemodelo.blogspot.com
    instagram.com/juliamodelodemodelo

    ResponderExcluir
  2. Jane Quintela de Carvalho6 de junho de 2020 16:23

    Oi Betty... se não me engano assisti o primeiro Glória e lembro de não ter gostado, mas essa refilmagem eu gostei da sinopse. Está anotado!!!
    Beijosss!!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Betty, já quero assistir aos dois. Vou procurar hoje mesmo. Taí o meu programa de domingo. Muito obrigada pela dica.
    beijos
    Chris


    Inventando com a Mamãe / Instagram  / Facebook / Pinterest

    ResponderExcluir
  4. Puxa, que boa sugestão, é uma boa dica para assistir em plena quarentena, a princípio gosto muito da atuação da atriz Julianne Moore, me identifico com o gênero, valeu pela dica, ótimo artigo!
    https://www.planosdesaudeedental.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filmes com a Jullianne não têm erro. Ela é sinônimo de qualidade.
      Beijos

      Excluir
  5. filme chato, com uma premissa idiota de uma coisa que não existe, o original ja era ridiculo esse, nem perca tempo, filme idiota...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem certeza que assitiru a este filme? O original chileno foi premiadíssimo! Se assisitu, tem certeza que entendeu?

      Excluir

Blogs que valem uma visita