La Belle Époque uma comédia romântica da terceira idade

La Belle Époque filme comédia romântica

Fazia tempo que eu não encontrava uma comédia romântica que valesse a pena assistir e indicar, pois La Belle Époque, do diretor Nicolas Bedos, é uma comédia romântica tão boa quanto as comédias românticas dos anos 90, só que é uma comédia romântica da terceira idade, ou quase isto, pois, embora o casal principal, Victor Drumond (Daniel Auteuil) e Marianne(Fanny Ardant), seja de atores com mais de 60 anos, o filme desenrola uma trama paralela com um casal mais jovem, Antoine (Guillaume Canet) e Margot ((Doria Tillier), mas que igualmente se encontra desestabilizado e com problemas.


La Belle Époque filme comédia romântica

Resenha


Victor é um cartunista que não se adaptou aos tempos atuais. Ele está desempregado, ainda desenha com lápis e papel, não interage nas redes sociais e é praticamente um analfabeto digital.
Ele é casado com Mariane, uma médica psiquiatra bem sucedida, bonita, que além de estar com Victor pela tampa, ela está na idade da loba. É linda, se sente jovem e arrumou um amante, François (Denis Podalydès).
Numa discussão ela coloca Victor para fora de casa e ele resolve participar de um evento dirigido por Antoine, que seria um tipo de parque de diversões. Nesse parque de diversões ele pode escolher que época gostaria de viver na história, e que história gostaria de encenar. Esta encenação é feita com atores e cenários que buscam ser o mais realista possível, e as pessoas podem conviver com Maria Antonieta, com Hittler ou qualquer personagem que desejem, mas Victor escolhe voltar nos anos 70, no dia em que conheceu Marianne, pois ele acha que aquele foi o dia mais feliz da vida dele.
Victor conheceu Marianne quando ela era estudante de medicina, em um café parisiense chamado La Belle Époque (daí o nome do filme) e é num cenário igual a este café que ele vai encontrar a sua Marianne de 1974, vivida pela atriz Margot, que é a namorada do diretor do empreendimento, Antoine, cujo relacionamento está bem desgastado por inúmeras brigas e também pelo temperamento egocêntrico de Antoine.
Margot não se parece com Marianne, mas está caracterizada para chegar mais perto possível do que Marianne era na juventude.

O problema começa a acontecer quando Margot começa a sair do roteiro estabelecido e levar Victor para dentro de sua vida pessoal.

La Belle Époque filme comédia romântica

Porque assistir


O filme é de um romantismo delicioso, mas nada piegas, pois os anos 70 foram os verdadeiros anos loucos, com muito rock and roll, muito ácido, muita maconha e orgias.

A reconstituição dos anos 70 está perfeita, tanto nas roupas, quanto nas músicas e nos costumes. Só pela reconstituição já valeria o filme, mas La Belle Époque vai bem além disto, pois é uma comédia romântica com um ritmo rápido que obriga que você fique com os olhos presos na tela esperando pelas guinadas que o roteiro vai dando.

La Belle Époque filme comédia romântica

Preste atenção


Fanny Ardant é linda, sempre foi!  Ela está com 70 anos e continua sendo sexy, de uma sensualidade que transborda e envolve.

Uma das melhores partes do filme La Belle Époque é ver que como Marianne (Fanny Ardant) vai se aborrecendo com o amante François, que inicialmente parecida tão excitante em comparação com o seu marido Victor. Ela vai se dando conta, aos poucos, que Victor faz muita falta e que a vida sem ele, que parecia o rei do tédio, é uma vida entediante.

La Belle Époque filme comédia romântica

Quando eu comecei a assistir La Belle Époque, senti uma sensação de déjà vu e em alguns pontos me lembrou a comédia Meia-Noite Em Paris, de Woody Allen, pois o personagem se vê transportado para uma outra época, mas diferente de Meia-Noite em Paris, em que Gil Pendler (Owen Wilson) realmente se transporta no tempo, Victor não sai do ano que está, e ele sabe que está num cenário que representa 1974, mas que não saiu realmente do tempo atual.
Existia um seriado nos anos 80, chamado A Ilha da Fantasia, que lembra mais a comédia romântica La Belle Époque, pois neste seriado, os visitantes de uma ilha paradisíaca, comandada por pelo Sr. Roarke (Ricardo Montalban) e seu fiel escudeiro Tattoo (Hervé Villachaize), um anãozinho que se vestia igual ao patrão, podiam ter seus desejos realizados mediantes encenações daquilo que queriam viver ou reviver.

Mas a verdade é que La Belle Époque é um filme único, com um toque de romantismo contagiante e que faz a gente ficar pensando que época da nossa vida gostaria reviver, como Victor fez.

La Belle Époque filme comédia romântica


Eu não encontrei link pago para assistir a comédia romântica La Belle Époque, mas existe uma ótima cópia gratuita AQUI, só que é aquela história: tem que clicar em um monte de anúncios até conseguir entrar, mas não precisa fazer nenhum cadastro.




Compartilhe

Betty Gaeta

Gosto Disto foi criado por Betty Gaeta, publicitária, advogada e blogueira, de Bauru - SP, para falar de moda, beleza, comportamento, viagens, decoração, filmes e tudo o que se refira ao universo feminino.

2 comentários:

  1. Ah, quero assistir. AMO a Fanny Ardant, sempre belíssima. <3 <3 <3

    ResponderExcluir
  2. Não assisti esse, é novo.
    Vou procurar. Casei em 1970, vou gostar de rever rsrs
    Valeu a dica.
    blogjoturquezzamundial
    Beijos.

    ResponderExcluir

Blogs que valem uma visita