Pandemia estressa mais do que câncer

 

Pandemia e Câncer

Como você sabe, tive câncer de mama e passei por uma mastectomia total, este blog nasceu como um respiro para me libertar da doença. Hoje, 11 anos depois do câncer, eu e o meu blog estamos mergulhados numa pandemia, assim como você e todo o mundo, e depois de um ano longe da família, dos amigos, da academia e de toda liberdade que eu tinha, e sequer tinha noção de que tinha, resolvi voltar ao assunto do câncer e da pandemia, pois concluí que foi mais fácil passar pelo câncer de mama, do que está sendo passar pela pandemia. Pandemia estressa demais!

 

O medo da doença

 

Tanto o câncer quanto a pandemia metem medo, ambos mexem com a vida da gente e podem pôr fim a vida. No câncer eu não me preocupava em morrer, mas sim em sofrer, me preocupava em como deixar tudo ajeitado para não dar trabalho para minha filha e meu marido depois de morta.

Hoje sofro do estresse de acabar intubada numa UTI, longe de todos os seres que eu amo, deixando todo mundo preocupado, mas acima de tudo tenho medo de trazer a doença para dentro de casa e passar para o meu marido, que é mais velho do que eu.

Como a maioria das pessoas, tenho medo de perder as pessoas que eu amo.

No câncer tinha medo por mim e agora tenho medo pelos que eu amo e por mim também. A pandemia traz um medo pior do que o medo que o câncer traz.

 

Quando você sabe ou não sabe que vai ter fim

 

No câncer eu sabia qual seria o tratamento, sabia que seria operada em tal dia, que ficaria um tempo me recuperando antes de começar a quimioterapia, sabia a data de quando começaria a quimio, qual o intervalo entre em um procedimento e outro e quando terminaria. Eu fui operada no dia 12 de março de 2010, deu para passar a Páscoa junto com minha família, mesmo estando em recuperação pós cirúrgica e no final do ano já estava de alta para viajar e ir onde bem entendia sem medo algum.

O que mais me incomoda na pandemia é não saber do fim, não poder fazer planos!  Já se foi um ano e esta vai ser a segunda Páscoa que vamos passar em isolamento social. Não dá para saber se vai ter final de ano, já tenho consciência que vou passar novamente o meu aniversário trancada e gostaria que me dessem uma pequena visão do futuro, um calendário onde eu possa marcar as datas de quando eu vou poder fazer o que eu fazia antes.

Será que algum dia ainda vamos fazer o que fazíamos antes?

 

O mundo não é um só nem a visão das pessoas

 

Enquanto eu me recolho e faço meu marido se cuidar para não pegar a doença, vejo pessoas agindo como se nada estivesse acontecendo, como se tudo fosse culpa da Rede Globo, que é alarmista (já vi mais de uma pessoa afirmando que é culpa e alarmismo da emissora de TV). Faz um bom tempo que não ligo na Globo, não gosto de TV aberta e o fato de estar passando o BBB piora muito a minha ojeriza pela Globo, mas costumo dar uma zapeada pelas emissoras mundiais e não é só a Globo e nem só no Brasil que as notícias sobre a pandemia são maciças! Se você tiver TV a cabo, olhe a RAI (italiana), olhe a SIC (portuguesa), a CNN, a BBC, enfim, em todos os telejornais internacionais o assunto é o mesmo:Covid-19. Tem mais, não é a Globo que está criticando como o Brasil está conduzindo a pandemia, o mundo está de olho no Brasil e majoritariamente o planeta está preocupado com o comportamento brasileiro nesta pandemia. Somos uma preocupação e um problema mundial, infelizmente.

Enquanto nós não nos conscientizarmos que esta é uma doença real e não politicagem, nós não vamos conseguir sair desta pandemia.

 

Eu fui ao meu oncologista em uma consulta de controle e ele, em vez de falar sobre o câncer, me falou muito sobre a pandemia e eu saí de lá com a consciência afiada, pois ele está com medo, mas um medo protetor, um medo bom. Ele atende em hospitais e pronto-socorro e deixou claro que nunca a situação esteve tão ruim, como está agora.

 

O que você pode fazer por você e pelo seu semelhante

 

Segundo o meu médico:

1. Fique em casa e só saia se precisar muito. Não é hora de ira à academia ou fazer exercícios ou caminhadas em locais que tenham outras pessoas. Evite todas as atividades não essenciais, como cabeleireiro, manicure, esteticista e outras.

2. Use máscara, sempre! Só tire a máscara quando estiver em casa. A máscara deve ser ajustada ao nariz, então as máscaras de pano não são as mais indicadas. As máscaras de pano podem ser usadas, mas de preferência use duas máscaras, a descartável por baixo e a de pano por cima.

3. Ao entrar em qualquer lugar, higienize as suas mãos lavando ou passando álcool 70, depois de um tempo no local, repita a operação e ao sair, limpe de novo as mãos.

 

A pandemia não vai durar para sempre, mas agora é o momento de se se resguardar, pois se protegendo você também estará protegendo o seu semelhante.

Ficar em casa é um ato de amor.


Foto Sharon McCutcheon via Unsplash

Compartilhe

Betty Gaeta

Gosto Disto foi criado por Betty Gaeta, publicitária, advogada e blogueira, de Bauru - SP, para falar de moda, beleza, comportamento, viagens, decoração, filmes e tudo o que se refira ao universo feminino.

12 comentários:

  1. Jane Quintela de Carvalho2 de abril de 2021 16:29

    Oi Betty... está bem difícil mesmo esta época, e pensar que a gente imaginou que depois das vacinas tudo iria melhorar. Estamos por aqui nos cuidando e no dia 12 eu e meu marido, por sermos professores, vamos tomar a 1ª dose da vacina. Meu pai tomará a 2ª dose no dia 06.
    Continuamos confiantes!
    Beijosss!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi jane,
      Eu estou na espera pela vacina, sou grupo de risco, mas não prioritário até agora e toca ficar em casa.
      Que sorte vcs serem vacinados!
      Beijos

      Excluir
  2. Betty lendo teu relato lembrei que desde o primeiro caso no Brasil eu e a familia temos usado mascara e evitado aglomerações, só depois vieram os decretos estaduais e municipais orientando. Mas nós aqui usamos para proteger os vizinhos, porteiros e zeladores do prédio e quando saimos para proteger aqueles que nos atendem, sabemos que não somos imunes, mas não queremos ser responsáveis pelo adoecimento de alguém, mesmo que desconhecido. Hoje o uso de máscara e evitar aglomerações é um ato de amor ao próximo, o contrario é egoísmo puro.
    Muita Luz e Paz!
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Adelaide,
      Também comecei a usar máscaras em lugares públicos, como supermercados, logo no começo, e fui criticada por um amigo que me encontrou de máscara, como se eu estivesseexgerando.
      Na época da H1N1 eu estava tratando do câncer e usava máscara para ir em lugares onde tinha muita gente. Não peguei nenhuma gripe durante a quimio e pude fazer as plicações de forma continuada.
      Hoje, quem se portege4, protege também ao seu semelhante.
      Beijos

      Excluir
  3. Oi Betty,
    o mais estressante é ver como o ser humano é egoísta. Em outubro já era pra ter acabado, mas as ações de pessoas sem nenhuma civilidade não permitiu e continua não permitindo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que as festas de fim de ano ajudaram a fazer chegar onde chegamos. Se tivessem segurado o povo em casa, não seríamos o foco mundial da doença.
      Beijos

      Excluir
  4. Olá Betty. Eu concordo com você. Cá na Bélgica,a saúde mental dos Belgas afetaram bastante. Eu vi de perto vizinho se suicidar,amigas com burnout,colegas do trabalho com depressão. Eu tive necessidade de me recolher e recorrer as minhas meditação. Sim,muitos pensam em si e nos outros e se cuidam,os outros com o seu egoísmo,vive como se nada estivesse acontecendo. Cá na Bélgica por exemplo na Sexta Feira,a polícia teve que agir em um parque aonde acontecia uma festa ilegal,que não foi permitida com 5 mil jovens. Um caos,uma falta de respeito. Fica bem,vamos ter fé que tudo passará. Sinta-se abraçada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Patricia,
      Passou na televisão uma manifestação com 5.000 pessoas negacionistas na Alemanha. Eu achava que o problema maior era no Brasil, mas parece que é geral! Todos estamos cansados, mas agora é hora de se solidário e se cuidar para cuidar do próximo.
      Beijos

      Excluir
  5. Oi Betty!!!! Essa pandemia e o comportamento irresponsável das pessoas mexe com a nossa saúde mental. Estou num ponto que não quero considerar que estou deprimida, então, acho melhor dizer que estou angustiada. Dá na mesma, né. Eu tive covid em dezembro, passei Natal e Ano Novo muito mal, mas me recuperei. Estou viva. Mas com muito medo. Bjs Laura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi laura,
      Que bom que você se recuperou! Eu estou angustiada, sem vacina e com medo da doença. Há usn 5 meses estou tomando um calmante fraquinho para dormir, pois estava dormindo 3 horas por noite e passava o dia cansada.
      Muita saúde para nós!
      Beijos

      Excluir
  6. Oi Betty, concordo com você que a pandemia é estressante demais!
    A gente teme por todos...
    E dá uma raiva enorme ver gente que não está nem aí...sem máscara, aglomerando...
    Já perdi tantas pessoas queridas e colegas para a COVID, um luto que não acaba....
    Mas a gente tem que resistir, persistir, sobreviver! Continuar acreditando que uma hora isso acaba.
    Força querida, vamos juntas!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cris,
      Esta pandemia está me estressando demais! Só se fala sobre isso, só se vive isso. Quero minha vida antiga de volta.
      Beijos

      Excluir

Blogs que valem uma visita