Casas semi-renovadas de Ruhrgebiet e a gentrificação

 

Casas semi-renovadas de Ruhrgebiet e a gentrificação

Quando a outrora florescente indústria do carvão em Ruhrgebiet, na Alemanha, começou a declinar, muitos dos apartamentos dos trabalhadores foram vendidos. Frequentemente, os novos proprietários compravam apenas metade do prédio - os mineiros mantinham o direito de residência vitalícia aos seus aposentos - criando uma divisão nítida entre os lados esquerdo e direito da estrutura. As casas parecem ter dupla personalidade, pois cada casa pertence a dois donos, e cada parte reflete o gosto e a condição social do morador. O fotógrafo Wolfgang Fröhling captura essa divisão visualmente impressionante em uma série de imagens que enquadram os designs renovados e originais justapostos em uma única estrutura. Veja a coleção completa de fachadas pintadas pela metade e paisagismo distinto no Pixel Project e descubra mais do trabalho do fotógrafo baseado em Bottrop em seu site.

O descompasso entre os lados das casas mostra claramente um processo de gentrificação.

Mas o que é gentrificação?

Casas semi-renovadas de Ruhrgebiet e a gentrificação

Casas semi-renovadas de Ruhrgebiet e a gentrificação

Casas semi-renovadas de Ruhrgebiet e a gentrificação

Casas semi-renovadas de Ruhrgebiet e a gentrificação

Casas semi-renovadas de Ruhrgebiet e a gentrificação

Casas semi-renovadas de Ruhrgebiet e a gentrificação

A gentrificação é um processo em que indivíduos ricos com melhor educação começam a se mudar para comunidades pobres ou de classe trabalhadora. As pessoas e empresas que se mudam para bairros de gentrificação podem ter objetivos para suas novas casas que vão contra os objetivos de pessoas que viveram lá por muito tempo. O aumento do custo de vida e uma mudança na cultura da comunidade podem dificultar o ajuste para os residentes de longa data. Essas mudanças podem expulsar pessoas de menor poder econômico e empresas pertencentes a minorias. Ao mesmo tempo, a gentrificação traz os investimentos necessários para áreas há muito negligenciadas. A gentrificação é, portanto, uma questão complicada que envolve muitas partes interessadas e perspectivas diferentes.

À medida que um bairro se enobrece, a oportunidade econômica que ele representa aumenta. Mais pessoas se mudam para a área para aproveitar essas oportunidades, e então a desejabilidade dessa área aumenta ainda mais. Os incorporadores começam a demolir casas antigas para construir novas. Lojas antigas, restaurantes e outras características do bairro podem ser eliminados por vitrines que atendem a novos residentes. Talvez o pior de tudo seja que os próprios antigos residentes sejam forçados a partir. O aumento do custo de vida e uma mudança no cenário de empregos significam que os benefícios que a gentrificação traz para uma área são frequentemente distribuídos de forma desigual.

Como os benefícios econômicos potenciais dos bairros de gentrificação são muito grandes, no entanto, há debates animados sobre se a gentrificação é boa ou ruim e se ela deve ser abraçada ou resistida. Existem até pesquisas que sugerem que famílias mais pobres da classe trabalhadora tendem a permanecer em bairros gentrificados ao invés de deixá-los, e que os benefícios econômicos da gentrificação de fato alcançam todos os residentes. Por enquanto, as cidades e seus residentes devem encontrar caminhos para a melhoria econômica que beneficie tanto as comunidades antigas quanto as novas.


Compartilhe

Betty Gaeta

Gosto Disto foi criado por Betty Gaeta, publicitária, advogada e blogueira, de Bauru - SP, para falar de moda, beleza, comportamento, viagens, decoração, filmes e tudo o que se refira ao universo feminino.

4 comentários:

  1. Confesso que sou uma amante de casas antigas e quase totalmente avessa a Gentrificação, pois na prática é a segregação da comunidade estabelecida, o bairro em que moro está sofrendo esse processo de forma bastante agressiva nos últimos anos, o lado bom é que calçadas e ruas são quase perfeitas, o sistema de recolhimento de lixo ocorre todos os dias da semana. O lado ruim é que estão sumindo as casas históricas, o preço de tudo é muito mais alto.
    Amei as fotos, porém gosto mais do lado com as caracteristicas antigas.
    Muita Luz e Paz!
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI Adelaide,
      Me lembra a música Sampa do Caetano: A força da grana que ergue e destroi coisas belas.
      O lado mais antigo, ficou mais pobre, na maioria das casas.
      Beijos

      Excluir
  2. Jane Quintela de Carvalho19 de maio de 2021 18:29

    Oi Betty... o brasileiro sabe o que são essas casas também, rsrsrs as famosas casas "geminadas".
    O aspecto histórico é bem bacana e as casas ficaram charmosas depois de reformas.
    Beijosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, aqui temos as casas geminadas, mas por lá, o que aconteceu é que um lado da casa ficou mais pobre do que o outro.
      Beijos

      Excluir

Blogs que valem uma visita