Reclame menos e faça uma limpeza mental

 

Reclamar menos - limpeza mental

Você já notou quantas vezes reclama por dia? Não estou falando de coisas sérias, mas aquela reclamação comum que todo mundo faz sobre o tempo, sobre o trânsito, sobre o barulho e tantas coisinhas mais.

Você conhece aquela sensação incrível quando dá uma pausa para conversar com seus colegas de trabalho em torno do bebedouro sobre aquela coisa irritante que seu chefe acabou de fazer? E quando você liga para sua mãe para desabafar sobre os pratos sujos que sua colega, com quem você divide o apartamento, deixa na pia? Ou quando você está cansada e sua cafeteira não está funcionando, então você envia uma mensagem para sua melhor amigo, "segunda-feira braba!”. Que tal a emoção de comentar algo negativo no Instagram de uma celebridade que você não gosta ou um artigo online com o qual você não concorda? Eu, tenho que confessar que reclamo bastante e me sinto seduzida por reclamar diariamente.

Em dias ruins e estressantes, é fácil reclamar de qualquer coisa que me incomoda - o trânsito, o tempo, um amigo me dando nos nervos. Quer seja em voz alta para quem pode ouvir, ou apenas pensando na minha cabeça, reclamar é tão natural para muitos de nós quanto respirar. Muitas vezes sou levada pelas maiores e menores frustrações que encontramos todos os dias, e se você me conhece, sabe que às vezes tenho um dom para o “drama” então às pequenas coisas do dia a dia podem tomar proporções enormes para mim.

 Embora alguns desabafos sejam saudáveis ​​para evitar o engarrafamento de sentimentos e uma nova perspectiva possa ajudar a resolver uma situação. Reclame sobre o que vale à pena reclamar, mas não sobre tudo. Reclamar demais pode causar estresse crônico, afetar nossos relacionamentos e até mesmo afetar nossa saúde. Então, o que você pode fazer? Uma limpeza mental e se propor um reclame menos, é claro! Aqui está como eu fiz uma limpeza mental de reclamação e por que você também deveria.


Por que reclamamos?

 

De acordo com a psicologia, reclamamos porque encontramos uma lacuna entre a expectativa e a realidade, mas também pode ser uma técnica de ligação subconsciente. Desabafar sobre experiências negativas compartilhadas pode criar um senso de camaradagem, já que você não gosta da mesma coisa e sente a mesma emoção. Reclamar é contagioso, o que significa que você pode começar a reclamar mais se as pessoas com quem você está o fizerem reclamar, e vice-versa.

Mas falar sobre como seu cabelo está ruim hoje cria um ciclo de feedback, nos fazendo sentir a emoção negativa repetidamente. Focar nas insatisfações que não temos o poder de controlar (ou tentar mudar) pode fazer com que nos sintamos vitimizados, sem esperança e até deprimidos. Claro, a insatisfação ocasional de vez em quando não pode ter tanto efeito em nossas mentes, mas sejamos honestos com nós mesmos. Pense em quantas coisas você reclama por dia - o tempo lá fora, o trânsito esta manhã, o programa de TV de que você não gostou, a cafeteria que errou no seu pedido, a reunião que demorou muito - e como a imediata reação de frustração e desamparo se acumula com o tempo e pode religar nossos cérebros para encontrar o negativo em qualquer situação. É um ciclo constante - reclamar, na verdade, leva a reclamar ainda mais.

Se você não tem certeza se reclama muito, analise seus textos ou e-mails para ver se eles têm um tom mais negativo do que positivo, ou se há tantos comentários negativos quanto positivos. Você também pode manter um diário de pensamentos e anotar cada vez que tiver um pensamento negativo ou expressar uma reclamação. Se todas as suas conversas e pensamentos forem cerca de 20% negativos, isso é a média, mas se continuarem, isso pode estar afetando sua saúde física e mental.

Reclamar menos - limpeza mental

Um estudo de 2016 realizado na Standford University descobriu que reclamar na verdade encolhe neurônios em certas áreas do cérebro. Em termos não científicos: diminui a capacidade do cérebro de resolver problemas. A reclamação também libera cortisol, o hormônio do estresse, que age fisicamente aumentando a pressão arterial e o açúcar no sangue, e pode até levar a doenças cardíacas e diabetes. Agora tenho sua atenção, hein?

Além dos efeitos físicos graves, reclamar também afeta nossos relacionamentos - sem mencionar que reclamar é simplesmente irritante quando o reclamante parece não querer fazer nada a respeito. De acordo com a psicologia, as coisas negativas se destacam no cérebro mais do que as positivas (pense em como você provavelmente esqueceria um elogio, mas sempre se lembraria de um insulto, ou como ficaria obcecado em perder uma nota de R$ 100,00 bem mais do que encontrar R$ 100,00 a mais na sua carteira). Isso significa que sua negatividade ou comentários negativos têm mais probabilidade de se destacar na mente das pessoas do que as coisas positivas sobre você faz ou as coisas positivas que você diz.

Agora vamos mudar para o outro lado - gratidão, ou como a chamo para o propósito deste post, o oposto de reclamar. Muito se tem falado sobre o fenômeno do diário de gratidão, mas é mais do que apenas uma tendência passageira de bem-estar. Gratidão em geral tem uma quantidade muito grande de benefícios, incluindo sono melhor, aumento de energia, fortalecimento do sistema imunológico, maior longevidade, relacionamentos mais saudáveis ​​e o óbvio: fazer você mais feliz.


Minha limpeza mental de reclamação

 

Sempre acreditei fortemente no poder do pensamento positivo, mas foi só depois de dar uma olhada no Instagram que percebi que poderia precisar de mais do que alguns aplicativos de meditação para alcançar uma mentalidade totalmente grata.

Algum tempo atrás tentei uma desintoxicação digitaluma desintoxicação da pele e até mesmo suco detox (não se preocupe, foi em 2016, por favor, não faça dietas malucas como eu já fiz), portanto, uma limpeza de reclamação parecia a coisa mais óbvia a fazer. Também acredito muito no poder das palavras e mais ainda na neurolinguística (hoje pouco se tem falado sobre neurolinguística, mas recomendo muito aprender um pouco mais sobre ela e o quanto pode mudar sua vida) e sinto que cada palavra que dizemos (ou escrevemos!) pode fazer a diferença no mundo - para melhor ou para o pior. É por isso que escolhi não discutir com estranhos na internet, porque me recuso a falar pelas costas das pessoas.

Por uma semana inteira, renunciei a todas as reclamações - não necessariamente um ato nobre, mas sincero, na verdade. Cada vez que me sentia irritada com outros motoristas na rua ou irritada porque minha comida estava demorando muito para ser entregue pelo iFood, percebia o pensamento negativo e então o deixava ir (difícil de fazer, mas eu fiz o meu melhor!). Pensei em dois comentários positivos para cada comentário negativo e escrevi três coisas pelas quais era grata todas as manhãs e todas as noites. Fiz um esforço para elogiar meus amigos e família com mais frequência e contar-lhes coisas boas sobre meu dia ou histórias engraçadas que ouvi. Em outras palavras, preenchi o espaço que havia reservado anteriormente para reclamar apenas com palavras e pensamentos positivos e de apoio.


Reclamar menos - limpeza mental

Correndo o risco de colocar toda a credibilidade deste post em risco, acredite em mim quando digo que é bom reclamar. E as emoções negativas não são todas ruins - elas nos ajudam a ver o que mudar, perceber o que queremos de nossas vidas e ficar longe do perigo. Na verdade, precisamos de emoções negativas para sobreviver. Expressar opiniões quando você vê injustiça também não é uma reclamação, é um apelo à ação (neste caso reclame à vontade). Para ser bem clara, sempre serei uma grande fã de desabafar com minha melhor amiga, meu marido e meu grupo de melhores amigas (no estilo Sex And The City) e falar (o mais alto que puder!) sobre questões e injustiças que precisam ser mudadas - mas percebi o poder que as reclamações frívolas realmente têm sobre nós mesmos e as pessoas ao nosso redor.

A principal coisa que aprendi com uma limpeza mental de reclamação foi a diferença entre o que vale a pena expressar e o que não vale. Se algo puder ser consertado, como seu cônjuge deixar pratos sujos na pia, pedir uma mudança ou explicar o que você não aprecia, pode realmente melhorar a situação. Mas se o trânsito estava ruim naquela manhã, não há motivo para reclamar com meus colegas de trabalho. Não há nada que eu possa fazer para consertar isso, e isso só ocupa um espaço que eu poderia estar pensando, “que lindo dia está lá fora”, ou perguntando como foram suas manhãs (oh sim, outras pessoas também têm vida!).

No final, prefiro muito mais ver e criar coisas boas, sem comentar as ruins. Prefiro ser a autora, não a crítica.  Os detox com sucos podem não valer a pena, mas as limpezas de reclamação, como eu descobri voluntariamente, são o tipo de limpeza que você vai querer continuar muito depois do fim da semana.

 

Espero que este post ajude você a ter uma vida mais feliz e positiva.


Fotos: Thomas Wolter via Pixabay e Sound On via Pexels

Compartilhe

Betty Gaeta

Gosto Disto foi criado por Betty Gaeta, publicitária, advogada e blogueira, de Bauru - SP, para falar de moda, beleza, comportamento, viagens, decoração, filmes e tudo o que se refira ao universo feminino.

3 comentários:

  1. Jane Quintela de Carvalho1 de outubro de 2021 10:12

    Oi Betty, eu não sou de reclamar, mas falo sempre com meu marido quando algo não está me agradando, já começo o dia agradecendo a tudo na minha vida!
    Beijosss!!!

    ResponderExcluir
  2. Post inspirador! Eu tento agradecer e ser cada vez mais grato, embora tenha alguns momentos de reclamação e que fico fora do sério. Chego até a gritar na rua, acredita?

    Boa semana!


    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir

Blogs que valem uma visita