Identidade um bom filme da Netflix de 2021 –crítica

Identidade um bom filme da Netflix de 2021 –resenha

Eu ando meio avessa à Netflix, pois já assisti muitos filmes ruins por lá, daqueles que a gente sente que estão sendo produzidos para gerar quantidade e não qualidade, e não foi sem relutar um bocado que resolvi assistir Identidade, mas mal comecei e já gostei.


Resenha do filme Identidade

Identidade um bom filme da Netflix de 2021 –resenha

Na década de 20 do século XX, Irene (Tessa Thompson), uma negra do Harlem, encontra por acaso uma amiga de infância, Claire (Ruth Negga). As duas tem peles claras e podem se passar por brancas. O nome original do filme é Passing, que é uma referência às pessoas que se passam como sendo de outra raça e era um termo muito usado nos EUA. Este termo passing me fez lembrar de imediato de Michael Jackson, que passou por uma branqueamento de pele, traços e textura capilar, ao ponto de sua aparência se tornar cadavérica. No filme, Claire não chega a tanto, mas ela tem o cabelo e as sobrancelhas tintos de loiro.

Detalhe, Passing foi baseado no romance de mesmo nome, de Nella Larsen, escrito em 1929.

Irene é casada com um médico negro, Brian (Andre Holland) e tem três filhos. Sua vida é tranquila, ela é uma pessoa influente na comunidade negra, tem uma boa casa e uma empregada doméstica com o tom de pele mais escuro do que o dela. Ela é uma pessoa satisfeita com aquilo que possui, enquanto Claire é casada com um homem branco rico (John - Alexander Skarsgard), que não tem ideia de que ela é negra e odeia negros. Claire vive em uma bolha, onde tem todo o conforto que desejou, mas se sente só, isolada de seu mundo. Ela tem uma filha e confessa que passou por uma gravidez apavorada pela possibilidade de que sua filha nascesse com a pele mais escura do que a dela.

O que deveria ser apenas um encontro casual, se transforma em novos laços de amizade, principalmente porque Claire força um bocado esta aproximação e acaba por entrar na vida da amiga de uma maneira em que as estruturas que pareciam sólidas ficam abaladas.


Porque assistir Identidade

Identidade um bom filme da Netflix de 2021 –resenha

O filme Identidade de 2021 é intrigante, pois toca de modo sútil no racismo e inicialmente se tem as impressão de que vai se desenrolar por esta linha, mas ele toma um rumo de drama psicológico.

Até que ponto Irene é realmente feliz com a vida que tem? Ela também vive em uma bolha, pois ela não quer que o marido trate de questões racistas com os seus filhos, por acreditar que assim os protege da maldade do mundo.

Se a vida de Irene não é perfeita, a de Claire então seria um verdadeiro caos por se passar por quem não é, mas a verdade é que Claire é muito diferente de Irene e ela confessa que joga pesado quando deseja algo e não se importa muito com o preço que tenha que pagar por isso.

 

Figurino e cenários

Identidade um bom filme da Netflix de 2021 –resenha

O filme é feito em preto e branco, o que ajuda a aumenta a dramaticidade e o ar vintage.

As roupas das duas personagens principais, Irene e Claire são lindas, refletem a Era do Jazz e as luzes e sombras do filme passeiam por todos os tons de cinza, sendo que o humor de ambas é retratado nas mudanças de iluminação na tela.

Identidade um bom filme da Netflix de 2021 –resenha

Você pode assistir ao filme de diversas maneira, até mesmo focando no lado do racismo que existia nos anos 20, mas para mim o lado dramático de uma amizade que invade sua vida, numa época em que você não tem como acolhe-la é o ponto nevrálgico da história. A pressão que Claire faz para pertencer a um ambiente que ela rejeitou chega a causar um mal estar em quem se coloca no lugar de Irene, como eu me coloquei.

Esqueça todo o lixo que a Netflix tem produzido nos últimos tempos e assista o filme Identidade com o carinho e atenção que ele merece ser assistido.


Compartilhe

Betty Gaeta

Gosto Disto foi criado por Betty Gaeta, publicitária, advogada e blogueira, de Bauru - SP, para falar de moda, beleza, comportamento, viagens, decoração, filmes e tudo o que se refira ao universo feminino.

3 comentários:

  1. Adorei a dica, vou ver!
    Sabe já estive "de mal" com Netflix e agora voltei as boas, comecei a ver alguns filmes sobre vidas reais como: Sem dor sem ganho, Roman J. Israel, Radioactive, A lavanderia ou O menino que descobriu o vento e agora reatei com o streaming (risos)
    Muita Luz e Paz!

    ResponderExcluir
  2. Depois dessa resenha não tem como não ver. A estória do filme parece com 'A Usurpadora' e 'Um lugar ao sol'.

    Boa semana!


    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  3. Jane Quintela de Carvalho24 de novembro de 2021 08:56

    Oi Betty, eu ainda não vi, mas já estava anotado para ver nas férias, rsrsrs
    Estou tão cheia de coisas pra fazer que deito na cama e desmaio!!!
    Beijosss!!!

    ResponderExcluir

Blogs que valem uma visita